Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de 2016

Violência contra as mulheres ciganas: um racismo esquecido

(Encontro de alunos, professores da UNB, UFPA, Defensoria Pública do Paraná, Membros da AMSK, além de Pesquisadores e estudiosos, reunidos na Universidade de Brasília, convidadas pelo Departamento de Saúde - Saúde coletiva, para debater o assunto do racismo e da discriminação contra as mulheres ciganas -  foto AMSK/Brasil). A autora do artigo, Priscila Paz Godoy, Jamily Cunha (Federal da Paraíba) e Camille Costa DPU do Paraná e Lucimara Cavalcante da AMSK foram as debatedoras desse encontro.
No dia 10 de Novembro, no Conselho Nacional de Saúde am Brasília, o Ministério da Saúde (DAGEP) e a AMSK/Brasil lançam  o documento "Subsídios para o cuidado á saúde do Povo Cigano" - um documento orientador no combate a discriminação, o preconceito e a ignorância sobre o tema. O documento deve nortear os profissionais da área de saúde no atendimento a essa parcela da população. 
AMSK/Brasil


Sexta-feira, 9 de dezembro de 2016
Violência contra as mulheres ciganas: um racismo esquecidoleia aqu…

A luta das mulheres indígenas contra o estupro

A luta das mulheres indígenas contra o estuprohttp://outraspalavras.net/outrasmidias/capa-outras-midias/a-complexa-luta-das-mulheres-indigenas-contra-o-estupro/ – 29 DE NOVEMBRO DE 2016
Estudos sugerem que uma em cada três entre elas sofre violência sexual. Disputas pela terra e alcoolismo são causas principais. Em muitos casos, leis “de brancos” não são adequadas Por Ana Beatriz Rosa, no HuffPost Brasil “O pai, não indígena, foi acusado de estuprar as cinco filhas. Os abusos aconteciam na casa onde ele morava com as meninas e outros três filhos, após se separar da esposa. A mãe, que é indígena, fez a queixa pois desconfiou do comportamento de uma das meninas.” “Das violências relatadas pelos indígenas, uma das mais chocantes foi o estupro coletivo de uma jovem Guarani e Kaiowá por doze pistoleiros. Eles a pegaram no mato quando ela se perdeu ao tentar fugir do ataque.” “A vítima foi pegar frutas no pomar da aldeia quando foi atacada por um integrante da comunidade. A criança foi encontra…

Associação Paulista de Medicina repudia a proposta do Ministério da Saúde

E segue mais um capítulo do tipo de ação do governo atual que é nada mais nada a menos um desserviço a população brasileira como um todo.
O Sistema Único de Saúde, deveria ser protegido como um patrimônio, uma assinatura de respeito as pessoas. Dignidade e respeito. É disso que se trata. Nosso apoio a APM e a nossa esperança de que devemos olhar para os desafios, daquela forma gentil com que olhamos para nós mesmos, daquele jeito que fazemos quando precisamos mudar algo que está dando errado, mas que é bom. Aprimorar, dialogar, aprender e dividir sempre serão ações bem vindas e justas. O que não podemos fazer é destruir um patrimônio como o SUS, construído da demanda da população.
Com os Planos de Saúde não é diferente.
VIVA O SUS E ABAIXO A IGNORÂNCIA QUE DESTRÓI CAMINHOS AO INVÉS DE RECONSTRUIR.

Homeopatas dos Pês Descalços






Associação Paulista de Medicina repudia a proposta do Ministério da Saúde que pode reduzir a cobertura dos planos de saúde. Uma carta já está sendo enviada a todos os…

AMSK PARTICIPA DO XIV ENAM – ENCONTRO NACIONAL DE ALEITAMENTO MATERNO

A IBFAN (Rede Internacional em Defesa do Direito de Amamentar - International Baby Food Action Network) promoveu nos dias 22 a 25 de novembro o XIV ENAM – Encontro Nacional de Aleitamento Materno, e o IV ENACS – Encontro Nacional de Alimentação Complementar Saudável, na Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), em Florianópolis – SC.
A organização do evento pela primeira vez oportuniza a uma mulher romani (cigana) apresentar suas práticas e informações sobre os cuidados na amamentação.
A Romi Kaldarash, Elisabete Martinho, representante da AMSK/Brasil, no dia 24 de novembro, proferiu palestra na Roda de Conversa 4 - Amamentar no contexto étnico-racial promovendo a reflexão do público sobre seus saberes e práticas de amamentação, e também sobre a história e a realidade de vida de muitas mulheres no enfrentamento as violações de direitos humanos. 



A AMSK/Brasil agradece a coordenadora do evento, Evangelia Kotzias Santos, e a todas e todos que trabalharam pela promoção e oportunidade …

SGEP/MS LANÇA CARTILHA: SUBSÍDIOS PARA O CUIDADO À SAÚDE DO POVO CIGANO

É preciso conhecer antes de julgar, somos muitos, Somos de diferentes etnias. Nossa cultura e nossa tradição estão morrendo e precisamos de ajuda. Estamos em todos os estados do território Nacional e Distrito Federal. O mais difícil é que permanecemos entregues a nossa própria sorte.
Mio Vacite – Violinista e músico, cidadão brasileiro Rom Horaranô






A Secretaria de Gestão Estratégia e Participativa do Ministério da Saúde (SGEP/MS) lançou no dia 10 de novembro de 2016, a cartilha Subsídios para o Cuidado à Saúde do Povo Cigano. O lançamento aconteceu durante a 287ª Reunião Ordinária do Conselho Nacional de Saúde (CNS) e contou com a participação da presidente da AMSK/Brasil, Elisa Costa, do diretor do Departamento de Apoio à Gestão Participativa – DAGEP, Esdras Daniel Pereira, e do presidente do CNS, Ronald Ferreira dos Santos.
Elaborada pelo Departamento de Apoio à Gestão Participativa (DAGEP) da SGEP, em parceria com a Associação Internacional Maylê Sara Kalí (AMSK), fruto do trabalho realiz…