Amigos do Blog

Pesquisar este blog

Carregando...

sexta-feira, 27 de dezembro de 2013

A SAÚDE EM 2014



A SAÚDE EM 2014

A população brasileira está vivendo mais. Essa é uma verdade, entretanto não estamos mais saudáveis. Simples, não estamos mais felizes, ao contrário, quantas pessoas você conhece que usam antidepressivos, calmantes e relaxantes como água. Simples assim.
Não conseguimos entender as linhas que dividem os brasileiros, dos pobres a classe média, dos ricos aos milionários e a vida se segue. Faltaram os miseráveis, aqueles que estão entre os 16 milhões de brasileiros que passam fome.



Desaprendemos a olhar as coisas simples e o consumismo minou a mesa dos cidadãos comuns. Coca cola é sinônimo de felicidade, whisky voltou a ser sinônimo de gente rica e toda e qualquer pessoa pode comprar um espumante e tomar na virada do ano.
O consumo de anabolizantes aumentou e ninguém precisa de número para saber disso, basta ver nas rodas onde a classe média aparece, a cirurgia plástica matou mais pessoas nesse ano e a vaidade ocupa largamente as mídias, são as compras em busca da beleza.


 (se reconheceu o problema, soube de sua existência, concordar ou não é outra coisa, mas enfim não é mais proibido dizer num hospital: sou prostituta)

A saúde ficou de lado em todas as prateleiras e olha que pela primeira vez, temos um Ministro da Saúde que enfrentou frente a frente o Conselho Federal de medicina e enfim disse publicamente quem manda na saúde.

Precisamos importar médicos cubanos, médicos brasileiros, médicos espanhóis, mas acredito fielmente que no fundo trouxemos mais seres humanos, acostumados com um senso e uma percepção de saúde diferente. Precisa-se incluir humildade nos currículos de medicina, precisa-se resgatar a vocação e precisa-se urgentemente de polícia dentro dos hospitais. O desvio, a mal uso, a falta de qualificação e o jeitinho, adoecem qualquer um.
Em 2013 muita coisa foi feita em prol dos que não aparecem na mídia, fazem parte da população que optou por acreditar e a divisão se fez. Custaram aceitar a homeopatia e a acupuntura nos hospitais, tentaram elitizar o máximo e graças perderam essa batalha. Falta de algodão a equipamento nos postos e nos hospitais. Faltam médicos, especialistas, macas, remédios e sonho. Mais médicos são reprovados, mais verbas são desviadas e mais planos de saúde pioraram. No Brasil depois dos 40 anos você não tem mais direito a saúde.
Desaprendemos a comer, a sorrir, a dormir, mas vamos pra copa. Não temos saneamento básico, nem higiene e educação, mas nos sobram craque, armas e corrupção; mas tudo isso faz parte da saúde.

A classe média assiste os famosos viajarem para o exterior a procura de centros de medicina, as famílias assistem seus filhos jovens médicos embarcando para outros países a fim de desenvolver uma medicina possível e o Brasil assiste um jogo de empurra daqui e Dalí, como se toda essa estrutura já fizesse parte da paisagem. Os miseráveis assistem os seus morrendo como sempre foi e ainda será por um bom tempo. As chuvas mataram aquelas pessoas mais pobres, a miséria os matou, o governo os matou, não as chuvas. Faltam remédios, sobram sepulturas. A saúde do governo não anda bem.

Descobrimos que o café, a carne de porco e o ovo não são os grandes vilões ... veremos quais serão os próximos condenados. Criamos as soluções práticas para o câncer de mama – TIRE TUDO. Arranque isso, retire aquilo e pronto, fim de papo. A hipocrisia mata hoje no Brasil, mais do que nunca.
Temos o melhor sistema de atendimento a saúde do mundo, mas não temos caráter, gente e justiça que o faça andar, na dúvida acione o Ministério Público para ter direito a um remédio ou a não morrer numa dessas filas de 3 ou 5 horas de espera.
Cuide-se, ficar doente por aqui, significa enfrentar uma bateria de contradições que podem te levar a morte.

Em 2014 muita gente teve a dignidade de ser reconhecido como gente pelo MS e essas campanhas foram fantásticas. Muitas doenças chegaram a ser classificadas como passíveis de cura. A tecnologia cresceu para combater o que ela mesma ajudou a criar.
A saúde que queremos em 2014, passa pela construção de esgotos, pela distribuição de água potável de qualidade, passa pelo saneamento básico, passa pela universidades e escolas primárias, passa pela valorização das medicinas tradicionais, pela ampliação dos agentes comunitários de saúde, pelo curso de administração hospitalar, passa pelo curso de cidadania, pela valorização das parteiras, passa pela construção de rodovias e vias que levem alimento de forma mais barata e saudável, pelo combate ao alcoolismos (socialmente aceito no nosso país), por melhores salários dos médicos, por menos roubos nos hospitais e pela cadeia para os governos que lesarem as verbas destinadas ao povo. Em algumas localidades  a construção de banheiros resolveria grande parte dos problemas, simples assim, se a saúde no Brasil não fosse tratada como caso de polícia.
Não existem culpados diretos, existem anos de má informação, negligencia, mediocridade e desprezo pelo ser humano. Temos tudo para fazer do nosso país um modelo de atendimento a saúde na base, física e teórica, precisamos de humanidade o suficiente para colocar em prática.


A saúde não é um recorte do governo e nem o ministro é um santo milagreiro. Saúde é um direito básico, pautado na observação da dignidade básica, que todo país que se preze, deve fazer cumprir. Saúde; seu nome é direito à dignidade.

A equipe dos Homeopatas dos Pés Descalços.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Pesquise por matéria específica