Amigos do Blog

Pesquisar este blog

Carregando...

domingo, 25 de agosto de 2013

6 ª Edição traduzido por Boericke***


6 ª Edição traduzido por Boericke***

Ao investigar a totalidade dos sintomas da epidemia e as doenças esporádicas é bastante irrelevante ou não algo semelhante já apareceu no mundo, antes sob o mesmo ou qualquer outro nome. A novidade ou peculiaridade de uma doença desse tipo também não faz diferença no modo de verificação ou de tratar, como o médico tem de qualquer forma relativamente pura para imagem de cada doença prevalecente como se fosse algo novo e desconhecido, e investigar completamente para si mesmo, se o desejo de praticar a medicina de uma forma real e radical, nunca substituindo conjectura para a observação real, nunca dando por certo que o caso da doença antes que ele já é conhecido, total ou parcialmente, mas sempre examinando-o cuidadosamente em toda a sua fases, e este modo de procedimento é ainda mais necessária em tais casos, como um exame cuidadoso mostrará que cada doença é predominante em muitos aspectos, um fenômeno de caráter único, diferindo muito de todas as epidemias anteriores, em que certos nomes foram falsamente aplicada - com excepção das epidemias resultantes de um princípio contagiosa que permanece sempre a mesma, como a varíola, sarampo, etc
Pode facilmente acontecer que, no primeiro caso de uma doença epidêmica que se apresenta ao conhecimento do médico ele não ao mesmo tempo obter um conhecimento de sua imagem completa, pois é apenas por uma estreita observação de vários casos de todas as doenças, tais coletiva que ele pode tornar-se familiarizado com a totalidade de seus sinais e sintomas. O médico pode observar com cuidado, no entanto, a partir do exame mesmo dos primeiro e segundo pacientes, muitas vezes, chegar tão perto de um conhecimento do verdadeiro estado a ter em sua mente um retrato característico dele, e até mesmo para ter sucesso em encontrar um adequado , remédio homeopaticamente adaptados para isso.
No curso de anotar os sintomas de vários casos deste tipo o esboço da imagem doença torna-se cada vez mais e mais completo, e não mais girado para fora e detalhado, mas o mais significativo (mais característico), e incluindo mais das peculiaridades desta doença colectivo; por um lado, os sintomas gerais (por exemplo, perda de apetite, insónia, etc) tornam-se precisamente definida como as suas particularidades, e por outro lado, os sintomas mais marcados e especiais que são peculiares mas poucas doenças e de rara ocorrência, pelo menos na mesma combinação, tornam-se importantes e constituem o que é característico dessa doença. 1 todos aqueles afetados com a doença predominante em um determinado momento certamente contraiu-lo de uma única e mesma fonte e, portanto, estão sofrendo com a mesma doença, mas de toda a extensão de uma tal doença epidémica e a totalidade dos seus sintomas (o conhecimento do que, o que é essencial para o que nos permite escolher o remédio homeopático mais adequado para este conjunto de sintomas, é obtido por um exame completo da mórbida imagem) não pode ser aprendido a partir de um único paciente, mas só pode ser perfeitamente deduzido (abstraído) e verificado a partir do sofrimento de vários pacientes de diferentes constituições.
1 O médico que já tem, nos primeiros casos, foi capaz de escolher uma solução de aproximação para o específico homeopático, vai, a partir dos casos subsequence, ser habilitado para verificar a idoneidade do remédio escolhido, ou para descobrir uma forma mais adequada, o remédio homeopático mais adequado.
Da mesma forma como já aqui foi ensinado em relação à epidemia, que são geralmente de caráter agudo, as doenças miasmáticas crônicas, que, como já mostrado, sempre permanecem os mesmos, em sua natureza essencial, especialmente a psora, deve ser investigados, como para todo o domínio de seus sintomas, de uma forma muito mais minutos de cada vez que tiver sido feito antes, para neles também apenas um paciente apresenta uma porção dos seus sintomas, um segundo, um terceiro, e assim por diante, apresentar alguma outros sintomas, mas que são também um (dissevered, como era o caso), a porção da totalidade dos sintomas que constituem toda a extensão dessa doença, de modo que todo o conjunto dos sintomas pertencentes a uma doença como miasmático, crónica, e especialmente para a psora, só pode ser verificado a partir da observação de muitos pacientes individuais afetados com a doença como crônica, e sem um levantamento completo e imagem coletiva destes sintomas, os medicamentos capazes de curar toda a doença homeopaticamente (a saber, os antipsóricos ) não pode ser descoberto, e estes medicamentos são, ao mesmo tempo, as verdadeiras soluções dos vários pacientes que sofrem de tais afecções crónicas.
Quando a totalidade dos sintomas que especialmente marcar e distinguir o caso de doença ou, em outras palavras, quando o quadro da doença, qualquer que seja seu tipo, uma vez que é esboçado com precisão, 1 a parte mais difícil da tarefa é cumprida. O médico tem, em seguida, a imagem da doença, especialmente se for uma crônica, sempre antes dele para guiá-lo em seu tratamento, ele pode investigá-la em todas as suas partes e pode escolher os sintomas característicos, a fim de se opor a estas , isto é, a toda a doença em si, uma força morbífico artificial muito semelhante, na forma de uma substância medicinal homeopaticamente escolhido, seleccionado a partir das listas de sintomas de todos os medicamentos cujos efeitos puro ter sido verificado. E, quando, durante o tratamento, ele pretende saber o que tem sido o efeito do medicamento, e que a mudança tenha ocorrido no estado do paciente, neste novo exame do paciente, ele apenas necessita de eliminar da lista dos sintomas anotado na primeira visita aqueles que tornaram-se aliviados, para marcar o que ainda permanecem, e adicione quaisquer novos sintomas que podem ter sobrevida.
1 O velho médico da escola deu-se muito pouco de dificuldade neste assunto em seu modo de tratamento. Ele não quis ouvir nenhum detalhe minuto de todas as circunstâncias de seu caso por parte do paciente, na verdade, ele freqüentemente o interrompeu em sua relação de seus sofrimentos, a fim de que ele não pode ser adiada na rápida elaboração de sua prescrição, composto de uma variedade de ingredientes desconhecidos dele nos seus efeitos verdadeiros. Nenhum médico alopático, como já foi dito, procurou aprender todas as circunstâncias do caso do paciente, e muito menos que ele faça uma nota por escrito deles. Ao ver o paciente novamente alguns dias depois, ele recordou nada sobre os poucos detalhes que ouvira na primeira visita (tendo entretanto vi tantos outros pacientes trabalhando sob diferentes afecções), ele havia permitido tudo para ir em um ouvido e sai na outra. Em visitas posteriores, ele só fez algumas perguntas gerais, passou pela cerimônia de sentir o pulso no pulso, olhou para a língua, e ao mesmo tempo escreveu outra receita, em princípios igualmente irracionais, ou ordenado o primeiro a ser continuado (em consideráveis ​​quantidades várias vezes ao dia), e com um gracioso arco, ele correu para o qüinquagésimo ou sexagésimo paciente teve que visitar, desta forma impensada, no decurso dessa manhã. A profissão que exige de todos os outros, na verdade, o mais reflexão, um cuidadoso exame de consciência do estado de cada paciente e um tratamento especial fundado nele, foi realizado dessa maneira por pessoas que se diziam médicos, profissionais racionais. O resultado, como era de se esperar, naturalmente, era quase sempre ruim, e ainda os pacientes tinham que ir até eles para informar, em parte porque não havia ninguém melhor que podem ser, em parte por causa da moda.
O segundo ponto do negócio de um verdadeiro médico relacionado com a aquisição de um conhecimento dos instrumentos destinados à cura das doenças naturais, investigando o poder patogenético dos medicamentos, a fim de, quando chamado para curar, para ser capaz de selecionar a partir de entre os quais uma, a partir da lista de uma doença cujos sintomas artificial pode ser construído, tão semelhantes quanto possível para a totalidade das principais sintomas da doença natural procurou ser curada.
O efeito patogénico inteiro dos vários medicamentos deve ser conhecida, ou seja, todos os sintomas mórbidos e alterações da saúde que cada um deles é especialmente capaz de desenvolver no indivíduo saudável deve primeiro ter sido observados, tanto quanto possível, antes podemos ter esperança de ser capaz de encontrar entre eles, e para selecionar, remédios homeopáticos adequados para a maioria da doença natural.
Se, a fim de verificar isto, os medicamentos ser administrado a pessoas doentes, só, ainda que eles sejam administrados isoladamente e só, então pouco ou nada é visto preciso dos seus efeitos verdadeiros, como essas alterações peculiares da saúde a ser esperado a partir da medicina são misturadas com os sintomas da doença e pode raramente ser observada distintamente.
Não há, portanto, nenhuma outra forma possível em que os efeitos peculiares dos medicamentos sobre a saúde dos indivíduos pode ser apurado com precisão - não há certeza, não há maneira mais natural de realizar este objeto, que para administrar os vários medicamentos experimentalmente, em moderada doses, a pessoas saudáveis, a fim de verificar que as mudanças, os sinais e sintomas da sua influência produz cada um individualmente, sobre a saúde do corpo e da cabeça, isto é, elementos que eles são capazes de doenças e tendem a produzir 1, uma vez que, como já foi demonstrado (§ § 24-27), todo o poder curativo de medicamentos encontra-se neste poder que possuem de alterar o estado de saúde do homem, e é revelada por observação do último.
1 Nem um único médico, tanto quanto eu saiba, durante os últimos 2.500 anos, o pensamento deste modo tão natural, tão absolutamente necessária e só genuína de testar em perturbar a saúde do homem medicamentos para seus efeitos puros e peculiar, a fim de aprender o mórbido estado cada medicamento é capaz de curar, a não ser o grande e imoral Albrecht von Haller. Ele sozinho, além de mim, viu a necessidade disso (vide o Prefácio da Farmacopeia Helvet, Basil, 1771, fol, p.12.); Nempe primum in corpore sano Medela tentanda est, sine peregrina Ulla miscela; odoreque et sapore ejus exploratis, exigua illiu dose ingerenda et ad Ommes, quae inde contingunt, affectiones, Quis pulsus, CALOR qui, quae respiratia, quaenam excretiones, attendum. Inde anúncio ductum phaenomenorum, em sano obviorum, transeas anúncio experimentação in corpore aegroro, etc Mas ninguém, nem um único médico, participou ou acompanhou essa dica valiosa.
Eu fui o primeiro que abriu este caminho, que eu tenho perseguido com uma perseverança que só poderia surgir e ser mantido por uma convicção perfeita de a grande verdade, repleto de tais bênçãos para a humanidade, que é somente pelo emprego homeopático de medicamentos 1, que a cura de certas doenças humanas é possível. dois
1 É impossível que não pode haver outra verdade, o melhor método de cura de doenças dinâmicas (ie, todas as doenças não estritamente cirúrgico), além de homeopatia, assim como é impossível fazer mais do que uma linha reta entranhas dois pontos dados. Aquele que imagina que existem outros modos de cura de doenças, além de que não poderia ter apreciado a homeopatia, fundamentalmente, nem praticado com cuidado suficiente, nem ele poderia nunca ter visto ou lido casos de curas homeopáticas devidamente executadas, nem, por outro lado, poderia ter percebido a falta de bases de todos os modos alopáticos de tratamento de doenças e seus efeitos ruins ou até mesmo terrível, se, com tal indiferença negligente, ele coloca a única e verdadeira arte de curar em igualdade com os métodos dolorosos de tratamento, ou alega que o último a ser auxiliares a homeopatia que não poderia fazer sem! Meus verdadeiros seguidores, conscienciosos, os homeopatas puros, com o seu bem-sucedido, o tratamento quase nunca falha, pode ensinar a estas pessoas melhor.
2 Os primeiros frutos deste trabalho, tão perfeito como eles poderiam estar, nesse momento, eu gravei no Fragmenta de viribus medicamentorum positivis, sive em corpore sano Humano observatis, pts. I, II, Lipsiae, 8, 1805, p. JA Barth, os frutos mais maduros no Arzneimittellebre Reine, eu Th, dritte Ausg;... II Th, dritte Ausg de 1833;. Th III, zweite Ausg de 1825;.. IV Th, zw.. Ausg de 1827 (Inglês tradução, Materia Medica Pura, vols I e II);.. E na segunda, terceira e quarta partes do Die chronischen Krankheiten, 1828, 1830, Dresden bei Arnold (segunda edição, com uma quinta parte, Dusseldorf bei Schaub, 1835, 1839).
Vi, além disso, que as lesões mórbidos que os autores anteriores tinham observado para resultar a partir de substâncias medicinais, quando introduzido no estômago de indivíduos saudáveis, quer em grandes doses administradas, por erro ou a fim de produzir a morte em si ou a outros, ou sob outras circunstâncias , concedido muito com minhas próprias observações ao experimentar com as mesmas substâncias em mim e outros indivíduos saudáveis. Estes autores dar detalhes do que ocorreu em histórias de envenenamento e como provas dos efeitos perniciosos dessas substâncias poderosas, principalmente, a fim de avisar os outros de seu uso, em parte também por uma questão de exaltar a sua própria habilidade, quando, sob o uso de os remédios que trabalham para combater esses acidentes perigosos, a saúde retornou gradualmente, mas em parte também, quando as pessoas assim afetadas morreu sob o seu tratamento, a fim de buscar a sua própria justificação no carácter perigoso destas substâncias, que, em seguida denominado venenos. Nenhum desses observadores sempre sonhou que os sintomas eles gravaram apenas como provas do caráter nocivo e venenoso dessas substâncias tinham certeza revelações do poder dessas drogas para extinguir os sintomas curatively semelhantes que ocorrem na doença natural, que estes seus fenômenos patogênicos eram insinuações de sua ação curativa homeopática, e que a única maneira possível determinar os seus poderes medicinais é observar essas mudanças de medicamentos de saúde são capazes de produzir no organismo saudável, para os puros, os poderes peculiares de medicamentos disponíveis para a cura da doença estão a ser aprendido nem por qualquer engenhosas especulações a priori um, nem pelo cheiro, gosto ou aparência das drogas, nem por sua análise química, nem ainda pelo emprego de várias delas ao mesmo tempo, em uma mistura (prescrição) em doenças, foi nunca suspeitou que essas histórias de doenças medicinais que um dia fornecer os primeiros rudimentos da verdade, matéria médica pura, que desde os primeiros tempos até agora consistiu apenas de falsas conjecturas e ficções da imaginação - isto é, não existia em tudo. uma
1 Veja o que eu disse sobre este assunto no exame das fontes de Matéria Médica Ordinária, prefixados para a terceira parte da minha Arzneimittellebre Reine (traduzido na Materia Medica Pura, vol. Ii).
O acordo das minhas observações sobre os efeitos puros dos medicamentos com estes mais velhos - apesar de terem sido gravadas sem referência a qualquer objeto terapêutico, - ea própria concordância dessas contas com os outros da mesma espécie por diferentes autores devem facilmente nos convencer de que medicinal substâncias agem nas alterações mórbidas que produzem no corpo humano saudável de acordo com leis fixas, eternas da natureza, e em virtude de estes estão habilitados a produzir certos sintomas e confiáveis ​​doença a cada de acordo com seu próprio caráter peculiar.
Naqueles receitas mais antigas dos efeitos muitas vezes perigosas de medicamentos ingeridos em doses excessivamente grandes, notamos certos estados que foram produzidos, e não no início, mas para a rescisão destes tristes acontecimentos, e que foram de uma natureza exatamente oposta àqueles que primeiro apareceu. Estes sintomas, o inverso da ação principal (§ 63) ou a ação adequada dos medicamentos sobre a força vital é a reação da força vital do organismo, sua ação secundária (§ § 62-67), dos quais, no entanto , há raramente ou quase nunca o menor traço a partir de experimentos com doses moderadas de corpos saudáveis ​​e, a partir de pequenas doses nenhum. Na operação de cura homeopática organismo vivo reage destes somente tanto como é necessário para aumentar a saúde de novo para o estado normal, saudável (§ 67).
As únicas exceções são os medicamentos narcóticos. Como eles, em sua ação primária, tirar às vezes a sensibilidade e sensação, por vezes, a irritabilidade, freqüentemente acontece que, em sua ação secundária, mesmo a partir de doses moderadas experimentais em corpos saudáveis, um aumento de sensibilidade (e uma maior irritabilidade) é observável.
Com exceção dessas substâncias entorpecentes, em experimentos com doses moderadas de medicina em corpos saudáveis, observa-se apenas a sua ação primária, ou seja, esses sintomas por meio do qual o medicamento perturba a saúde do ser humano e desenvolve nele um estado mórbido de mais ou menor duração.
Entre estes sintomas, ocorrem no caso de alguns medicamentos não poucas que são parcialmente ou, em determinadas condições, em frente aos outros sintomas que apareceram anteriormente ou posteriormente, mas que não são, por conseguinte, deve ser considerada como acção secundária real ou o mera reação da força vital, mas que só representam o estado alternância dos vários paroxismos da ação principal, eles são chamados alternando ações.
Alguns sintomas são produzidos pelos medicamentos com maior freqüência - isto é, em muitos indivíduos, outros, mais raramente, ou em poucas pessoas, alguns só em muito poucos corpos saudáveis.
Para esta última categoria pertencem os assim chamados idiossincrasias, através da qual são feitos as constituições corporais peculiares que, embora de outro modo saudável, possuem uma disposição para ser trazido para um estado mais ou menos mórbida por certas coisas que parecem produzir qualquer impressão, e sem alteração em muitas outras pessoas. 1, mas a incapacidade de fazer uma impressão em cada um é apenas aparente. Porque, como são necessárias duas coisas para a produção de estes, bem como todas as outras alterações mórbidas na saúde do homem - a saber, a energia intrínseca da substância influenciando, e a capacidade da força vital que anima o organismo a ser influenciado. pelo que - os desarranjos óbvias de saúde nos chamados idiossincrasias não pode ser previsto para a conta dessas constituições peculiares sozinho, mas também deve ser atribuído a estas coisas que eles produzem, no qual deve encontrar-se o poder de fazer as mesmas impressões em todos os organismos humanos, mas de tal maneira que apenas um pequeno número de constituições saudáveis ​​têm uma tendência para se permitir ser colocado em tal condição mórbida óbvio por eles. Que esses agentes não realmente fazer essa impressão em todo o corpo saudável é mostrado por isso, que, quando empregados como remédios que prestam serviço homeopático eficaz 2 a todas as pessoas doentes para os sintomas mórbidos semelhantes àquelas que parecem ser apenas capaz de produzir nos chamados indivíduos idiossincráticos.
1 Algumas poucas pessoas estão aptas a desmaiar com o cheiro de rosas e cair em muitos outros mórbida, e os estados, por vezes perigosas de participando de mexilhões, caranguejos ou as ovas do barbo, de tocar as folhas de alguns tipos de sumach, etc
2 Assim, a princesa Maria Porphyroghnita restaurado seu irmão, o Imperador Alexius, que sofria de desmaios, aspergindo-o com água de rosas na presença de sua tia Eudóxia (hist. byz. Alexias, lib. Xv, p. 503, ed. Posser ) e Horstius (Oper., iii, p.59) viu grande benefício de rosa vinagre em casos de síncope.
Toda a medicina apresenta ações peculiares sobre o corpo humano, que não são produzidos no exatamente da mesma maneira por qualquer outra substância medicinal de um tipo diferente 1.
1 Este fato também foi percebido pelo estimável A. v Haller, que diz (Prefácio à sua Hist stirp helv...): Latet immensa virium DIVERSITAS no iis IPSIs plantis, quarum facies externas Dudum novimus, animas quasi et quodcunque caelestius habent , nondum perspeximus.
Tão certo como cada espécie de planta é diferente na sua forma externa, o modo de vida e crescimento, em seu sabor e cheiro de todas as outras espécies e gêneros de plantas, tão certo como cada mineral e sal difere de todos os outros, em seu exterior, bem como as suas propriedades físicas e químicas internas (o que por si só deve ter suficiente para evitar qualquer confusão de um com o outro), de modo que, certamente, eles são distintos e divergem entre si na sua patogenética - por conseguinte, também na sua terapêutica -. efeitos Cada uma destas substâncias produz alterações na saúde dos seres humanos de uma maneira peculiar diferente, mas determinado, de modo a excluir a possibilidade de uma confusão com o outro. 2
1 Qualquer um que tenha um conhecimento profundo de, e pode apreciar a diferença notável, os efeitos sobre a saúde do homem de cada substância daquelas de todos os outros, será prontamente percebem que entre eles não pode ser, de um ponto de vista médico, há medidas equivalentes qualquer que seja, não substitutos. Somente aqueles que não conhecem os puros, efeitos positivos das diferentes medicamentos pode ser tão tolo a ponto de tentar nos convencer de que se pode servir no lugar do outro, e pode na mesma doença provar tão útil quanto o outro. Assim que as crianças ignorantes confundir as coisas mais essenciais diferentes, porque eles dificilmente sabe suas aparências externas, muito menos o seu valor real, sua verdadeira importância e suas propriedades inerentes muito diferentes.
2 Se isto é a pura verdade, pois, sem dúvida, é, então não há médico que não seria considerado como desprovido de razão, e que não iria agir de forma contrária aos ditames de sua consciência, o único árbitro do valor real, pode empregar no tratamento de doenças qualquer substância medicinal mas com cujo significado real é completamente e perfeitamente familiarizados, ou seja, cuja ação positiva sobre a saúde dos indivíduos saudáveis ​​ele testou com tanta precisão que ele sabe com certeza que ele é capaz de produzir um estado mórbido muito semelhante , mais semelhantes do que qualquer outro medicamento com o qual ele está perfeitamente familiarizado, a que apresentou o caso de doença que pretende curar por meio dela, pois, como foi mostrado acima, nem o homem, nem poderoso própria natureza, pode efetuar uma cura perfeita, rápida e permanente de outra forma do que com um remédio homeopático. A partir de agora nenhum verdadeiro médico pode abster-se de fazer tal experimento, a fim de obter esse conhecimento mais necessário e apenas dos medicamentos que são essenciais para a cura, esse conhecimento que até agora tem sido negligenciado pelos médicos em todas as idades. Em todos os séculos anteriores - posteridade dificilmente acreditar - os médicos têm até hoje se contentaram com cegamente prescrever medicamentos para doenças cujo valor era desconhecida, e que nunca havia sido testada em relação à sua grande importância muito diversos ação dinâmica, puro sobre a saúde do homem e, além disso, se misturaram vários destes medicamentos desconhecidos que diferiam tão vastamente entre si em uma fórmula, e à esquerda ao acaso para determinar quais os efeitos que devem assim ser produzida no paciente. Isto é como se um louco deve forçar seu caminho para a oficina de um artesão, apoderar-se punhados de ferramentas muito diferentes, com os usos de tudo o que ele é muito ignorante, em ordem, como ele imagina, para trabalhar os objetos de arte que ele vê ao seu redor. Não preciso comentar que estes seriam destruídos, posso dizer totalmente arruinado, por suas operações sem sentido.
 § 120
Portanto, medicamentos, das quais depende a vida do homem e da morte, a doença ea saúde, devem ser cuidadosamente e mais cuidadosamente distinguidos uns dos outros, e para esse fim testado pelo cuidado, experimentos puros sobre o corpo saudável com a finalidade de apurar os seus poderes e efeitos reais , a fim de obter um conhecimento exato deles, e que nos permita evitar qualquer erro em seu emprego em doenças, pois é só através da seleção correta dos que a maior de todas as bênçãos terrenas, a saúde do corpo e da mente, pode ser rápida e permanentemente restaurada.
Em provando medicamentos para determinar seus efeitos sobre o corpo saudável, deve-se ter em mente que os heróicos, substâncias fortes, como são chamados, são responsáveis, mesmo em pequenas doses para produzir mudanças na saúde, mesmo de pessoas robustas. Aqueles de potência mais suave deve ser dada para estes experimentos em quantidades mais significativas, a fim de observar a ação do muito mais fraco, no entanto, os sujeitos de ensaio, devem ser pessoas livres da doença, e que são delicadas, irritável e sensível.
Nestas experiências, -, da qual depende a exactidão de toda a arte médica, e o bem-estar de todas as gerações futuras da humanidade - não há outros medicamentos devem ser empregadas, excepto tal como são perfeitamente conhecidos, e de cuja pureza, autenticidade e energia que são absolutamente assegurada.
Cada um destes medicamentos devem ser tomadas de uma forma muito simples, puro, as plantas indígenas na forma de suco recentemente expressa, misturado com um pouco de álcool para evitar a deterioração; substâncias exóticas vegetais, no entanto, na forma de pó ou tintura preparado com álcool quando estavam no estado fresco e depois misturado com uma certa proporção de água, sais e gengivas, no entanto, deve ser dissolvido em água antes de serem presos. Se a instalação só pode ser obtido em estado seco, e, se as suas competências são naturalmente fraco, nesse caso, pode ser utilizado para a experiência de uma infusão do mesmo, feita por corte da erva em pedaços pequenos e despejando água fervente sobre ele, , de modo a extrair as suas partes medicinais; imediatamente após a sua preparação deve ser ingerido, enquanto ainda quente, como todos os sucos vegetais espremidos e todas as perfusões aquosas de ervas, sem a adição de álcool, passar rapidamente para a fermentação e decomposição, em que todas as suas propriedades medicinais são perdidas.
Para estas experiências cada substância medicamentosa deve ser empregues a sós e perfeitamente puro, sem a mistura de qualquer substância estranha, e sem levar qualquer coisa de natureza medicinal no mesmo dia, ou ainda nos dias subsequentes, nem durante todo o tempo que deseja para observar os efeitos do medicamento.
Durante todo o tempo a experiência dura a dieta deve ser estritamente regulamentado, que deve ser, tanto quanto possível destituídos de especiarias, de caráter puramente nutritiva e simples, verduras, raízes e uma todas as saladas e sopas de ervas (que, mesmo quando a maioria cuidadosamente preparada, possuem algumas qualidades medicinais perturbadoras) devem ser evitados. As bebidas estão a ser aqueles geralmente comido, tão pouco estimulante quanto possível. 2
1 Jovens ervilhas, feijão verde verdes (batatas cozidas 'na sexta edição) e em todos os casos, a cenoura é permitido, como os legumes menos medicinais.
2 O objecto da experiência deve ser ou não o hábito de tomar vinho puro, aguardente, café ou chá, ou ele deve ter totalmente abstiveram-se durante um tempo considerável antes da utilização de tais bebidas prejudiciais, alguns dos quais são estimulantes, outros medicamentos .
§ 126 Fifth Edition
A pessoa que está provando o remédio deve durante todo o tempo do experimento evitar todo excesso de esforço da mente e do corpo, todos os tipos de dissipação e paixões perturbadoras, ele não deve ter nenhum negócio urgente para distrair sua atenção, ele deve se dedicar ao cuidado auto-observação e não ser incomodado enquanto tão envolvido, seu corpo deve estar no que é para ele um bom estado de saúde, e ele deve possuir uma quantidade suficiente de inteligência para ser capaz de expressar e descrever suas sensações em termos precisos.
§ 126 Sexta Edição
A pessoa que está provando o remédio deve ser eminentemente de confiança e consciente e durante todo o tempo do experimento evitar todo excesso de esforço da mente e do corpo, todos os tipos de dissipação e paixões perturbadoras, ele não deve ter nenhum negócio urgente para distrair sua atenção, ele deve se dedicar ao cuidado da auto-observação e não ser incomodado enquanto tão envolvido, seu corpo deve estar no que é para ele um bom estado de saúde, e ele deve possuir uma quantidade suficiente de inteligência para ser capaz de expressar e descrever suas sensações em termos precisos.
Os medicamentos devem ser testados em ambos os machos e fêmeas, a fim também de revelar as alterações da saúde que produzem na esfera sexual.
§ 128 Fifth Edition
As observações mais recentes têm demonstrado que as substâncias medicinais, quando tomada em seu estado bruto pelo experimentador com a finalidade de testar os seus efeitos peculiares, não apresentam quase a totalidade dos poderes que se escondem neles o que eles fazem quando são tomadas para o mesmo objeto em altas diluições potencializada por trituração e sucussão adequada, pelo que as operações simples os poderes que em seu estado bruto estava escondido, e, por assim dizer, dormente, são desenvolvidos e despertou para a atividade de uma incrível extensão. Desta forma, agora que é melhor para investigar os poderes medicinais mesmo de tais substâncias que sejam considerados fracos, eo plano que adotamos é dar ao experimentador, com o estômago vazio, diariamente de quatro a seis pequenas glóbulos do trigésimo diluição potencializada dessa substância, umedecido com um pouco de água, e deixá-lo continuar isso por vários dias.
§ 128 Sexta Edição
As observações mais recentes têm demonstrado que as substâncias medicinais, quando tomada em seu estado bruto pelo experimentador com a finalidade de testar os seus efeitos peculiares, não apresentam quase a totalidade dos poderes que se escondem neles o que eles fazem quando são tomadas para o mesmo objeto em altas diluições potencializada por trituração e sucussão adequada, pelo que as operações simples os poderes que em seu estado bruto estava escondido, e, por assim dizer, dormente, são desenvolvidos e despertou para a atividade de uma incrível extensão. Desta forma, agora que é melhor para investigar os poderes medicinais mesmo de tais substâncias que sejam considerados fracos, eo plano que adotamos é dar ao experimentador, com o estômago vazio, diariamente de quatro a seis pequenas glóbulos do trigésimo potência de uma substância, umedecido com um pouco de água ou dissolvido em mais ou menos água e bem misturado, e deixá-lo continuar isso por vários dias.
Se os efeitos que resultam de uma tal dose de são mas leve, mais alguns glóbulos podem ser tomados diariamente, até que se tornem mais distinta e mais forte e as alterações da saúde mais evidente, pois todas as pessoas que não são afetados por um medicamento em uma mesma grande medida, pelo contrário, existe uma vasta variedade, a este respeito, de modo que, por vezes, um indivíduo aparentemente fraco pode, por mal de todo afectado por doses moderadas de um medicamento conhecido por ser de natureza potente, enquanto que ele é fortemente suficiente agiu por outros de um tipo muito mais fraco. E, por outro lado, existem pessoas muito robustas que apresentam sintomas mórbidos consideráveis ​​de um medicamento aparentemente leve, e sintomas apenas ligeiramente de drogas mais fortes. Agora, o que não pode ser conhecida com antecedência, é aconselhável começar em cada exemplo, com uma pequena dose do fármaco e, sempre que adequado e necessária, para aumentar a dose mais e mais a partir de dia para dia.
Se, no início, a primeira dose administrada deve ter sido suficientemente forte, esta vantagem é adquirida, o experimentador que aprende a ordem de sucessão dos sintomas, e pode observar-se com precisão o período em que cada ocorre, o que é muito útil na que conduz a um conhecimento do génio da medicina, para, em seguida, a ordem das acções primárias, como também que as acções alternadas, é observada de maneira mais inequívoca. Uma dose muito moderada, até mesmo, muitas vezes, suficiente para o experimento, desde apenas o experimentador é dotado de sensibilidade suficientemente delicada, e é muito atento às suas sensações. A duração da acção de um medicamento só pode ser determinada através de uma comparação de várias experiências.
Se, no entanto, a fim de determinar alguma coisa em tudo, o mesmo medicamento deve ser administrado da mesma pessoa a testar durante vários dias sucessivos, em doses cada vez maiores, assim que saiba, sem dúvida, os vários estados mórbidos o medicamento é capaz de produzir de uma maneira geral, mas não determinar a sua ordem de sucessão, e a dose subsequente remove frequentemente, curativa, uma ou outra dos sintomas causados ​​pela dose anterior, ou desenvolve-se em seu lugar um estado oposto; estes sintomas devem ser entre colchetes, para marcar a sua ambigüidade, até experiências mais puras subseqüentes mostrar se eles são a reação do organismo e ação secundária ou uma ação alternada deste medicamento.
Mas, quando o objecto é, sem referência à ordem sequencial dos fenómenos e a duração da acção do fármaco, apenas para determinar os próprios sintomas, especialmente aqueles de uma substância medicinal fraco, neste caso, o curso preferível seguir é dão durante vários dias sucessivos, aumentando a dose de cada dia. Desta forma, a ação de um medicamento desconhecido, até mesmo da natureza mais branda, será revelado, especialmente se testado em pessoas sensíveis.
Ao experimentar qualquer sensação especial da medicina, é útil, de fato necessário, a fim de determinar o caráter exato do sintoma, para assumir vários cargos enquanto durar, e observar se, movendo-se a parte afetada, caminhando na sala ou ao ar livre, por de pé, sentado ou deitado o sintoma é aumentada, diminuída ou eliminada, e se retorna novamente assumindo a posição em que foi observada pela primeira vez, - quer seja alterada pela comer ou beber, ou por qualquer outra condição, ou falando, tossir, espirrar ou qualquer outra acção do corpo, e, ao mesmo tempo, para observar em que altura do dia ou da noite em que ocorre geralmente de maneira mais acentuada, pelo que é peculiar e característico de cada sintoma se tornará aparente.
Todas as influências externas, e mais especialmente medicamentos, possuem a propriedade de produzir na saúde do organismo vivo, um determinado tipo de alteração peculiar para si, mas todos os sintomas peculiares a um medicamento que não apareça numa pessoa, ou todos de uma vez, nem na mesma experiência, mas em alguns ocorrem principalmente uma pessoa de cada vez, outras vezes durante um segundo ou terceiro; fuga em outra pessoa alguns outros sintomas aparecem, mas de tal maneira que provavelmente alguns dos fenómenos são observados na quarta , pessoa oitavo ou décimo, que já havia aparecido na segunda sexto ou nono pessoa, e assim por diante, além disso, eles não podem se repetir na mesma hora.
O conjunto dos elementos da doença de um medicamento é capaz de produzir apenas pode ser levado a qualquer coisa como integralidade por numerosas observações relativas a pessoas adequadas de ambos os sexos e de várias constituições. Só podemos ter certeza de que a medicina tem sido exaustivamente comprovada em conta a estados mórbidos que pode produzir - isto é, no que diz respeito aos seus poderes puros de alterar a saúde do homem - quando experimentadores subseqüentes podem notar algo de caráter novela a partir da sua acção, e quase sempre, apenas os mesmos sintomas que já tinha sido observado por outros.
Embora, como já foi dito, a medicina, a ser provado em indivíduos saudáveis, não pode desenvolver-se em uma pessoa todas as alterações de saúde que é capaz de causar, mas só pode fazer isso quando dado a muitas pessoas diferentes, variando em seu corporal e constituição mental, no entanto, a tendência para excitar todos estes sintomas em cada ser humano existe nele (§ 117), de acordo com uma lei eterna e imutável da natureza, em virtude da qual todos os seus efeitos, mesmo aqueles que são, mas raramente desenvolvido no pessoa saudável, são postos em funcionamento no caso de cada indivíduo, se administrado com ele quando ele está em um estado mórbido de apresentar sintomas semelhantes, mas então, mesmo na menor dose, sendo homeopaticamente escolhido, em silêncio, produz no paciente um estado artificial de perto assemelhando-se a doença natural, que de forma rápida e permanentemente (homeopaticamente) liberta e cura-lo de sua doença de origem.
O mais moderado, dentro de certos limites, as doses do medicamento utilizado para tais experimentos são - desde que nós nos esforçamos para facilitar a observação pela seleção de uma pessoa que é um amante da verdade, temperado em todos os aspectos, de sentimentos delicados, e que pode direcionar a atenção mais minutos para sua sensação - tanto mais distintamente os efeitos primários desenvolvidos, e apenas estes, que são mais vale a pena conhecer, ocorrem sem qualquer mistura de efeitos secundários ou reações da força vital. Quando, no entanto, demasiado grandes doses são usadas ocorrem ao mesmo tempo, não só um número de efeitos secundários, entre os sintomas, mas os efeitos primários desenvolvidos, e apenas estas, as quais são mais vale saber, ocorrem sem qualquer mistura de efeitos secundários, ou reações da força vital. Quando, no entanto, são usados ​​excessivamente grandes doses ocorrem ao mesmo tempo não é apenas uma série de efeitos secundários, entre os sintomas, mas os efeitos primários também venha em tal confusão apressada e com tal impetuosidade que nada pode ser observado com precisão, quanto mais o perigo de participar delas, que ninguém que tenha qualquer consideração por seus semelhantes, e que olha para o pior da humanidade, como seu irmão, considerará de forma indiferente.
Todos os sofrimentos, os acidentes e as mudanças da saúde do experimentador durante a ação de um medicamento (desde que a condição acima [§ § 124-127] essencial para uma experiência boa e pura são cumpridas) são exclusivamente derivado dessa medicina, e deve ser considerada e registados como pertencentes a este medicamento, particularmente, como sintomas de este medicamento, embora o experimentador tinha observado, um tempo considerável antes, a ocorrência espontânea de fenómenos semelhantes em si mesmo. O reaparecimento destes durante o julgamento do medicamento só mostra que este indivíduo é, em virtude de sua constituição peculiar, particularmente disposto a ter esses sintomas animado nele. Neste caso, eles são o efeito do medicamento, os sintomas não surgem espontaneamente quando o medicamento que tenha sido feita é exercer uma influência sobre a saúde de todo o sistema, mas são produzidos pela medicina.
Quando o médico não fazer o teste do remédio em si mesmo, mas dá-la a outra pessoa, esta última deve anotar distintamente as sensações, os sofrimentos, os acidentes e as alterações de saúde que ele experimenta no momento de sua ocorrência, mencionando o tempo após a ingestão da droga, quando cada sintoma levantou-se e, se ele dura muito tempo, o período de sua duração. O médico olha para o relatório na presença do experimentador imediatamente após o experimento for concluído, ou se o julgamento dure vários dias ele faz isso todos os dias, em ordem, enquanto tudo ainda está fresco em sua memória, para questioná-lo sobre a exata natureza de cada uma dessas circunstâncias, e anotar os detalhes mais precisos para que provocou, ou para fazer as alterações que o experimentador pode sugerir. 1
1 Aquele que dá a conhecer ao mundo médico os resultados desses experimentos torna-se, assim, responsável pela confiabilidade da pessoa e experimentado em suas declarações, e justamente por isso, como o bem-estar da humanidade sofredora está aqui em jogo.
 § 140
Se a pessoa não pode escrever, o médico deve ser informado por ele todos os dias o que aconteceu com ele, e como ele ocorreu. O que está anotado como autêntico informações sobre este ponto, no entanto, deve ser principalmente a narração voluntária da pessoa que faz a experiência, nada conjectural e tão pouco quanto possível derivado de respostas a perguntas importantes devem ser admitidos, tudo deve ser apurado com a mesmo cuidado como eu aconselhei acima (§ § 84-99) para a investigação dos fenômenos e para traçar o retrato de doenças naturais.
Mas as melhores provings dos efeitos puros dos medicamentos simples em alterar a saúde humana e das doenças artificiais e sintomas que são capazes de desenvolver no indivíduo saudável, são aqueles que o, institutos médico sem preconceitos e sensíveis saudável em si mesmo, com toda a cautela e cuidado aqui intimados. Ele sabe que, com a maior certeza das coisas que ele experimentou em sua própria pessoa. 1
1 Os estudos feitos pelo médico em si mesmo tem para ele outro e vantagens inestimáveis. Em primeiro lugar, a grande verdade que a virtude medicinal de todas as drogas, sobre o qual depende do seu poder curativo, reside nas alterações de saúde que ele próprio submetidos a dos medicamentos que ele provou, e estados mórbidos que ele tem se experimentado a partir deles, torna-se para ele um fato incontestável. Novamente por tais observações notáveis ​​sobre si mesmo, ele será levado a compreender suas próprias sensações, seu modo de pensar e sua disposição (o fundamento de toda a verdadeira sabedoria), e ele também será treinado para ser, o que todo médico deveria ser, um bom observador. Todas as nossas observações sobre os outros não são tão interessantes quanto os fabricados em nós mesmos. O observador dos outros deve sempre temer a fim de que o pesquisador não se sentia exatamente o que ele disse, ou para que ele não descreveu suas sensações com as expressões mais adequadas. Ele deve permanecer sempre em dúvida se ele não foi enganado, pelo menos até certo ponto. Estes obstáculos ao pleno conhecimento da verdade, que nunca pode ser completamente superada em nossas investigações dos sintomas mórbidos artificiais que ocorrem em outros da ingestão de medicamentos, cessar completamente quando fazemos os testes em nós mesmos. Aquele que faz com que estes julgamentos sobre si mesmo sabe ao certo o que ele sentia, e cada tentativa é um novo incentivo para ele para investigar os poderes de outros medicamentos. Assim, ele se torna mais e mais praticada na arte de observar, de tamanha importância para o médico, continuando a observar-se, a um de quem pode mais confiar e que nunca irá enganá-lo, e isso ele vai fazer tudo o mais zelosamente como essas experiências em si mesmo a promessa de dar-lhe um conhecimento confiável do valor verdadeiro ea importância dos instrumentos de cura que ainda estão em grande parte desconhecida para a nossa arte. Que não se imaginava que essas pequenas indisposições causadas por tomar medicamentos com a finalidade de provar a eles pode ser na principal prejudicial à saúde. A experiência mostra, ao contrário, que o organismo do provador torna-se, por estes ataques freqüentes sobre sua saúde, tudo o mais expert em repelir todas as influências externas contrárias ao seu quadro e todos os agentes nocivos morbífico artificiais e naturais, e se torna mais endurecido para resistir tudo de uma personagem prejudicial, por meio destas experiências moderadas no sua própria pessoa com medicamentos. Sua saúde se torna mais inalterável, ele se torna mais robusto, como toda a experiência mostra.
Mas como alguns sintomas de um medicamento a simples empregue para uma finalidade curativa podem ser distinguidos entre os sintomas da doença original, mesmo em doenças, em especial naqueles de um carácter crónico, que normalmente permanecem inalterados, é um objecto pertencente ao maior arte julgamento, e deve ser deixada exclusivamente ao mestrado em observação.
1 Os sintomas que, durante todo o decurso da doença, podem ter sido observados apenas um longo tempo antes, ou nunca, consequentemente, novos, pertencente ao medicamento.
Se temos, portanto, testado no indivíduo saudável, um número considerável de medicamentos simples e cuidadosa e fielmente registrados todos os elementos de doenças e sintomas que são capazes de desenvolver doenças como artificiais produtores, então só temos a verdadeira matéria médica - uma coleção de bens , puros, confiáveis ​​um modos de ação de substâncias medicinais simples, um volume do livro da natureza, onde é registrado um conjunto considerável de mudanças peculiares da saúde e sintomas apurados pertencer a cada um dos medicamentos poderosos, como eles foram revelados à atenção do observador, em que a semelhança dos elementos de muitas doenças naturais a serem futuramente curados por eles da doença (homeopático) estão presentes, o que, em uma palavra, contêm estados mórbidos artificial, que fornecem para o semelhante estados naturais mórbida o único verdadeiro, homeopática, isto é, instrumentos de terapêuticas específicas, para efectuar a sua cura determinado e permanente.
1 Ultimamente tem sido o hábito de confiar a prova de medicamentos para pessoas desconhecidas à distância, que foram pagos pelo seu trabalho, ea formação assim obtidos foi impresso. Mas ao fazê-lo, o trabalho que é de todos os outros, o mais importante, que é para formar a base da única e verdadeira arte de cura, e que exige a maior certeza moral e confiança parece-me, lamento dizê-lo, para tornar-se duvidoso e incerta em seus resultados e perder todo o valor.
De tal materia medica tudo o que é conjectural, tudo o que é mera afirmação ou imaginário devem ser rigorosamente excluídos, tudo deve ser a linguagem pura da natureza com cuidado e honestidade interrogados.
§ 145 Fifth Edition
Em verdade, é apenas por uma loja muito considerável de medicamentos conhecidos com precisão em relação a estes seus modos puros de ação em alterar a saúde do homem, que pode ser colocado em posição de descobrir um remédio homeopático, um artificial adequada ( analógico curativos) morbífico para cada uma das infinitamente numerosas estados mórbidos na natureza, para cada doença no mundo um Entretanto, até agora -. graças ao caráter verdadeiro dos sintomas, e à abundância de elementos de doenças que cada um de as substâncias medicinais poderosas já mostrou em sua ação sobre o corpo saudável - mas poucos doença permanecem, para que um remédio homeopático razoavelmente adequada não pode ser satisfeita com entre aqueles que agora provado quanto à sua ação pura, 2, que, sem muita perturbação, restaura saúde de uma forma suave, segura e permanente - infinitamente mais segura e segura do que pode ser efectuada por todos os terapêuticas gerais e especiais da arte médica alopática velho com seus remédios compostos desconhecidos, o que fazer, mas alteram e agravam, mas não podem curar doenças crônicas, e, em vez de promover, retardar a recuperação de doenças agudas.
1 No início, eu era a única pessoa que fez as experimentações dos pós puros dos medicamentos mais importantes de suas ocupações. Desde então, tenho sido coadjuvado por alguns jovens, que instituíram as experiências em si mesmos, e cujas observações que reviram criticamente. Após estes alguns verdadeira obra desse tipo foi feito por alguns outros. Mas o que não vamos ser capazes de efetuar no caminho da cura em toda a extensão do infinitamente grande domínio da doença, quando o número de observadores precisos e confiáveis ​​deve ter prestado os seus serviços em enriquecer este, o único verdadeiro Materia Medica, pelo cuidado experimentos em si! A arte de cura, então, aproximar-se das ciências matemáticas em certeza.
2 Veja a segunda nota ao § 109.
§ 145 Sexta Edição
Em verdade, é apenas por uma loja muito considerável de medicamentos conhecidos com precisão em relação a estes seus modos puros de ação em alterar a saúde do homem, que pode ser colocado em posição de descobrir um remédio homeopático, um artificial adequada ( analógico curativos) morbífico para cada uma das infinitamente numerosas estados mórbidos na natureza, para cada doença no mundo um Entretanto, até agora -. graças ao caráter verdadeiro dos sintomas, e à abundância de elementos de doenças que cada um de as substâncias medicinais poderosas já mostrou em sua ação sobre o corpo saudável - mas poucos doença permanecem, para que um remédio homeopático razoavelmente adequada não pode ser satisfeita com entre aqueles que agora provado quanto à sua ação pura, 2, que, sem muita perturbação, restaura saúde de uma forma suave, segura e permanente - infinitamente mais segura e segura do que pode ser efectuada por todos os terapêuticas gerais e especiais da arte médica alopática velho com seus remédios compostos desconhecidos, o que fazer, mas alteram e agravam, mas não podem curar doenças crônicas, e, em vez de promover a retardar a recuperação de doenças agudas e freqüentemente em perigo a vida.
1 Em primeiro lugar, cerca de quarenta anos atrás, eu era a única pessoa que fez as experimentações dos pós puros dos medicamentos mais importantes de suas ocupações. Desde então, tenho sido coadjuvado por alguns jovens, que instituíram as experiências em si mesmos, e cujas observações que reviram criticamente. Após estes alguns verdadeira obra desse tipo foi feito por alguns outros. Mas o que não vamos ser capazes de efetuar no caminho da cura em toda a extensão do infinitamente grande domínio da doença, quando o número de observadores precisos e confiáveis ​​deve ter prestado os seus serviços em enriquecer este, o único verdadeiro Materia Medica, pelo cuidado experimentos em si! A arte de cura, então, aproximar-se das ciências matemáticas em certeza.
2 Veja a segunda nota ao § 109.
O terceiro ponto do negócio de um verdadeiro médico se relaciona com o emprego criterioso dos agentes morbífico artificiais (medicamentos) que foram comprovadas em indivíduos saudáveis ​​para determinar a sua ação pura, a fim de efetuar a cura homeopático de doenças naturais.
Qualquer destes medicamentos que foram investigados quanto à sua potência de alterar a saúde do homem encontramos a conter nos sintomas observados a partir da sua utilização a maior semelhança com a totalidade dos sintomas de uma determinada doença natural, este medicamento vai e deve ser o mais adequado, o mais certo remédio homeopático para a doença, em que se encontra a solução deste caso específico da doença.
§ 148 Fifth Edition
Um medicamento seleccionado desta forma, o qual tem o poder e a tendência para produzir a maior quantidade possível de sintomas semelhantes aos da doença a ser curada, em consequência de uma doença artificial semelhante, administrada numa dose adequada, afecta, na sua acção dinâmica sobre a mórbida demente força vital do indivíduo, as partes próprias e pontos no organismo já sofre da doença singular, e produz em si própria doença artificial, que, em virtude da sua grande semelhança e força prepondering, ocupa o assento, precisamente até agora ocupado pela desarranjo mórbido natural, portanto, que a força vital instintiva, automática é a partir desse momento em diante não mais afetados pela doença natural, mas unicamente pela doença medicinal mais forte, similar, o que, por sua vez, por conta da pequena dose do remédio, sendo , como qualquer doença moderada medicamento, superada pelo aumento da energia da força vital, assim desaparece espontaneamente, deixando o corpo livre de toda a doença, isto é, saudáveis ​​e permanentemente curado.
§ 148 Sexta Edição
A doença natural nunca é para ser considerado como um material nocivo situado algures no interior ou exterior do homem (§ 11-13), mas como um produzido por um organismo prejudicial espírito semelhante (conceptual) que, como um tipo de infecção (nota ao § 11) perturba em sua existência instintiva do princípio espírito-like (conceitual) da vida dentro do organismo torturando-o como um espírito maligno e obrigá-lo a produzir determinadas doenças e distúrbios no curso normal de sua vida. Estes são conhecidos como sintomas (da doença). Se, agora, a influência deste organismo que não só prejudicial causado mas se esforça para continuar esta desordem, ser tirado como é feito quando o médico administra uma potência artificial, capaz de alterar o princípio da vida da forma mais semelhante (um medicamento homeopático ) que excede em energia, mesmo na dose mais pequena da doença natural semelhante (§ § 33, 279), então a influência do agente nocivo mórbida original no princípio da vida é perdida durante a acção desta doença artificial semelhante forte. Daí o mal não existe mais o princípio da vida - ele é destruído. Se, como já foi dito, o remédio homeopático seleccionada é administrada adequadamente, em seguida, a doença natural aguda que é para ser rejeitado se recentemente desenvolvido, desaparecerá imperceptivelmente em poucas horas.
Uma doença mais velhos, mais crónica produzirá um pouco mais tarde em conjunto com todos os vestígios de desconforto, com a utilização de várias doses do mesmo remédio mais altamente potenciada ou depois de uma cuidadosa selecção de um ou outro medicamento homeopático mais semelhante. Saúde, recuperação, siga em transições imperceptíveis, muitas vezes rápidos. O princípio de vida é libertado novamente e capaz de retomar a vida do organismo em saúde como antes e força retornos.
1 Mas isso trabalhoso, às vezes, muito trabalhoso, busca e seleção do remédio homeopático mais adequado em todos os aspectos de cada estado mórbido, é uma operação que, apesar de todos os livros admiráveis ​​para facilitá-la, ainda exige o estudo das fontes originais-se , e ao mesmo tempo uma grande quantidade de prudência e ponderação séria, que tem seus melhores recompensas na consciência de ter fielmente descarregada nosso dever. Como poderia sua trabalhoso, tarefa cuidados exigente, pelo qual somente a melhor maneira de curar doenças é processado possível, os senhores da nova seita vira-lata, que assume o nome honrado de homeopatas, e até parece empregar em forma e aparência medicamentos homeopático, mas está determinada sobre por eles de qualquer maneira (quidquid em buccam venit), e que, quando o remédio inadequado não dá alívio imediato, no lugar de colocar a culpa em sua ignorância imperdoável e frouxidão na execução da maioria e importante e sério de todos assuntos humanos, atribuem isso a homeopatia, que eles acusam de grande imperfeição (se a verdade seja dita, sua imperfeição consiste no fato de que o remédio homeopático mais adequado para cada condição mórbida não espontaneamente voar em suas bocas como pombos assados, sem qualquer problemas da sua parte). Eles sabem, no entanto, com a prática freqüente, como para compensar a ineficiência do remédio homeopático meio mal pelo emprego de meios alopáticos, que vêm muito mais útil para eles, entre os quais uma ou mais dezenas de sanguessugas aplicadas à parte afetada ou pequenos flebotomias inofensivos, na medida em oito onças, e assim por diante, desempenham um papel importante, e se o paciente, apesar de tudo isso, recuperar, eles exaltam suas flebotomias, sanguessugas, etc, alegando que, se não tivesse sido para estes, o paciente não teria sido puxado através, e eles dão-nos a entender, em nenhuma língua duvidosa, que estas operações, derivados sem muito exercício de gênio da rotina perniciosa da velha escola, na realidade contribuiu com a melhor parte para a cura. Mas, se o paciente morrer sob o tratamento, como não raro acontece, eles procuram consolar os amigos dizendo que eles mesmos eram testemunhas de que tudo concebível tinha sido feito para o falecido, lamentou. Quem faria isso frívolo e perniciosa tribo a honra de chamá-los, após o nome da arte muito trabalhoso, mas salutar, os médicos homeopáticos? Que a justa recompensa esperam eles, que, quando adoeceu, eles podem ser tratados da mesma maneira!
§ 149 Fifth Edition
Quando o remédio homeopático adequado tem sido, portanto, selecionadas e com razão empregada, a doença aguda queremos curar, apesar de ser de caráter grave e com a presença de muitos sofrimentos desaparece insensivelmente, em poucas horas, se é de data recente, em um alguns dias, se é de um pouco mais de pé, junto com todos os traços de indisposição, e nada ou quase nada mais da doença medicinal artificial é percebido, não ocorre, por transições rápidas e imperceptíveis, observando, mas restaurada a saúde, a recuperação. Doença de longa data (e especialmente os que são de natureza complicada) exigem para a sua cura se proporcionalmente mais tempo. Mais especialmente fazer o discrasia medicinal crônica tantas vezes produzido por bungling alopática, juntamente com a doença natural deixou sem cura por isso, necessitam de muito mais tempo para a sua recuperação, muitas vezes, de fato, eles são incuráveis, em conseqüência do roubo vergonhoso do paciente força e sucos, a principal façanha realizada pela alopatia em seus chamados métodos de tratamento.
§ 149 Sexta Edição
Doenças de longa data (e especialmente os que são de natureza complicada), exigem para a sua cura se proporcionalmente mais tempo. Mais especialmente fazer o discrasia medicinal crônica tantas vezes produzido por bungling alopática, juntamente com a doença natural deixou sem cura por isso, necessitam de muito mais tempo para a sua recuperação, muitas vezes, de fato, eles são incuráveis, em conseqüência do roubo vergonhoso de força do paciente e sucos (flebotomias, purgativos, etc), por conta do longo uso contínuo de grandes doses de violência atuando remédios dadas com base vazias, falsas teorias por alegada utilidade em casos de doenças que aparecem similar, também na prescrição de banhos minerais inadequados, etc, a principal façanha realizada pela alopatia em seus chamados métodos de tratamento.
Se um paciente se queixar de um ou mais sintomas triviais, que apenas foram observados um curto período de tempo antes, o médico não deve considerar isto como uma doença completamente desenvolvido, mas requer ajuda médica séria. Uma ligeira alteração na dieta e regime será normalmente suficiente para dissipar tal uma indisposição.
Mas, se o paciente se queixar de algumas dores violentas, o médico normalmente irá encontrar, na investigação, vários outros sintomas além, embora de caráter mais leve, que fornecem um quadro completo da doença.
O pior da doença aguda é, tanto mais numerosos e marcante sintomas é geralmente composto, mas com muito mais certamente pode um remédio adequado para ele ser encontrado, se houver um número suficiente de medicamentos conhecidos, com respeito a sua acção positiva, para escolher. Entre as listas dos sintomas de muitos medicamentos que não será difícil encontrar um de cujos elementos de doença separado um protótipo de doença artificial curativa, muito parecido com a totalidade dos sintomas da doença natural, pode ser construído, e um tal medicamento é remédio desejado.
§ 153 Fifth Edition
Na busca de um remédio homeopático específico, isto é, nessa comparação dos sintomas colectivos da doença natural com a lista de sintomas de medicamentos conhecidos, a fim de encontrar entre eles um agente morbífico artificial correspondente por semelhança com a doença para ser curado, o, singular, sinais mais marcantes incomuns e peculiares (característicos) e sintomas de um caso da doença são principalmente e mais apenas para ser mantida, tendo em conta, pois é mais particularmente estes que os muito semelhantes na lista de sintomas do medicamento seleccionado deve corresponder a, a fim de constituir o que mais adequado para efectuar a cura. Os sintomas mais gerais e indefinidos: perda de apetite, dor de cabeça, debilidade, sono inquieto, desconforto, e assim por diante, a demanda, mas pouca atenção quando de que o caráter vago e indefinido, se não pode ser descrito com mais precisão, como sintomas de tal geral natureza são observados em quase todas as doenças e de quase todas as drogas.
1 Dr. von Bönninghausen, que já tem se destacado por seu trabalho em conexão com o novo sistema de medicina, aumentou recentemente a nossa obrigação de lhe pela publicação de seu importante livro pequeno, estabelecendo os sintomas característicos, mais particularmente dos medicamentos antipsóricos, intitulado Uebersicht der Hauptwirkungs-Sphure der antips. ARZ., Munster, bei Coppenrath de 1883, e respectivo anexo (que contém o antisyphilitic e os medicamentos antisycotic), no final da segunda edição de seu Systematisch-alphabetisches Repertorium der antipsorischen Arzneien, bei Coppenrath em Munster.
§ 153 Sexta Edição
Na busca de um remédio homeopático específico, isto é, nessa comparação dos sintomas colectivos da doença natural com a lista de sintomas de medicamentos conhecidos, a fim de encontrar entre eles um agente morbífico artificial correspondente por semelhança com a doença para ser curado, o, singular, sinais mais marcantes incomuns e peculiares (característicos) e sintomas de um caso da doença são principalmente e mais apenas para ser mantida, tendo em conta, pois é mais particularmente estes que os muito semelhantes na lista de sintomas do medicamento seleccionado deve corresponder a, a fim de constituir o que mais adequado para efectuar a cura. Os sintomas mais gerais e indefinidos: perda de apetite, dor de cabeça, debilidade, sono inquieto, desconforto, e assim por diante, a demanda, mas pouca atenção quando de que o caráter vago e indefinido, se não pode ser descrito com mais precisão, como sintomas de tal geral natureza são observados em quase todas as doenças e de quase todas as drogas.
1 Dr. von Bönninghausen, pela publicação dos sintomas característicos de medicamentos homeopáticos e seu repertório tem prestado um grande serviço à Homeopatia, bem como Dr. JHG Jahr em seu manual de sintomas principais.
Se o protótipo construído a partir de uma lista de sintomas de o medicamento conter os mais adequados, peculiares, os sintomas singulares e pouco frequentes (característica de distinção), que devem ser satisfeitas com a doença a ser curada em maior número e na maior similaridade este medicamento é o remédio homeopático específico mais apropriado para este estado mórbido; da doença, se não for um dos muito longa data, serão geralmente retiradas e extinta pela primeira dose da mesma, sem qualquer perturbação considerável.
§ 155 Fifth Edition
Eu digo, sem qualquer perturbação considerável. Pois no emprego deste remédio homeopático mais adequado é apenas os sintomas do medicamento que correspondem aos sintomas da doença que são chamados em jogo, o ex-ocupando o lugar do último (mais fraco) no organismo, e aniquilando, assim, eles, dominando-os, mas os outros sintomas da medicina homeopática, que muitas vezes são muito numerosas, sendo de modo nenhum aplicável ao caso da doença em questão, não são postos em jogo em tudo. O paciente, crescendo horária melhor, parece quase nada deles em tudo, porque a dose excessivamente minutos requisito para utilização homeopática é demasiado fraca para produzir os outros sintomas do medicamento que não são homeopática para o caso, as partes do corpo que estão livres de doença e, consequentemente, pode permitir que apenas os sintomas homeopáticas de agir sobre as partes do organismo que já são mais irritada e animado pelos sintomas semelhantes aos da doença, assim mudando o carinho mórbido da força vital para um semelhante, mas doença medicamento mais forte, em que a doença original seja extinto.
§ 155 Sexta Edição
Eu digo, sem qualquer perturbação considerável. Para o emprego nos deste remédio homeopático mais adequado é apenas os sintomas da medicina que correspondem aos sintomas da doença, que são postas em jogo, a primeira ocupando o lugar do último (fraca) no organismo, isto é, em a sensação do princípio da vida, e destruí-las, assim, dominando-os, mas os outros sintomas da medicina homeopática, que muitas vezes são muito numerosas, sendo de modo nenhum aplicável ao caso da doença em questão, não são postos em jogo em tudo . O paciente, crescendo horária melhor, parece quase nada deles em tudo, porque a dose excessivamente minutos requisito para utilização homeopática é demasiado fraca para produzir os outros sintomas do medicamento que não são homeopática para o caso, as partes do corpo que estão livres de doença e, consequentemente, pode permitir que apenas os sintomas homeopáticas de agir sobre as partes do organismo que já são mais irritada e animado pelos sintomas semelhantes aos da doença, de modo que o princípio de vida doente pode reagir apenas a um semelhante mas a doença medicamento mais forte, em que a doença original será extinta.
Existe, no entanto, quase nenhum medicamento homeopático, por menor que seja adequadamente escolhido, que, especialmente se ele deve ser administrado em uma dose suficientemente minutos, não irá produzir, em pacientes muito sensíveis irritável e, pelo menos, uma insignificante, distúrbio raro, algum sintoma novo ligeiro, enquanto sua ação dura, pois é quase impossível que a medicina ea doença deve cobrir um ao outro sintomaticamente como exatamente como dois triângulos com lados iguais e ângulos iguais. Mas isso (em circunstâncias normais) diferença insignificante será facilmente feito com a distância pela atividade potencial (energia) do organismo vivo, e não é perceptível pelos pacientes não excessivamente delicados, a restauração vai para a frente, não obstante, com o objetivo de recuperação perfeita , se não for impedido pela ação de influências medicinais heterogêneas sobre o paciente, por erros de regime ou pela excitação das paixões.
§ 157 Fifth Edition
Mas, embora seja certo que um remédio homeopaticamente selecionado faz, em razão da sua pertinência e da pequenez da dose, retire com cuidado e aniquilar a doença aguda semelhante a ele, sem manifestar seus outros sintomas unhomoeopathic, isto é, sem a produção de novo, distúrbios graves, contudo, geralmente, imediatamente após a ingestão - durante a primeira hora, ou durante algumas horas - provoca uma espécie de um ligeiro agravamento (em que a dose tenha sido algo muito grande, no entanto, para um número considerável de horas) , o qual tem tanto semelhança com a doença original que parece que o paciente seja um agravamento da sua própria doença. Mas é, na verdade, nada mais do que uma doença medicinal extremamente similar, um pouco superior na força do afeto originais.
§ 157 Sexta Edição
Mas, embora seja certo que um remédio homeopaticamente selecionado faz, em razão da sua pertinência e da pequenez da dose, retire com cuidado e aniquilar a doença aguda semelhante a ele, sem manifestar seus outros sintomas unhomoeopathic, isto é, sem a produção de novo, distúrbios graves, contudo, geralmente, imediatamente após a ingestão - durante a primeira hora, ou durante algumas horas - provoca uma espécie de um ligeiro agravamento quando a dose não tenha sido suficientemente pequeno e (em que a dose tenha sido algo muito grande, no entanto, para um número considerável de horas), a qual tem muito semelhança com a doença original que parece que o paciente seja um agravamento da sua doença. Mas é, na verdade, nada mais do que uma doença medicinal extremamente similar, um pouco superior na força do afeto originais.
Este ligeiro agravamento homeopático durante as primeiras horas - um bom prognóstico de que a doença aguda provavelmente vai ceder à primeira dose - é bastante como deveria ser, como a doença medicinal deve, naturalmente, ser um pouco mais forte do que o mal a ser curado se é para dominar e extinguir o último, assim como uma doença natural pode remover e aniquilar um outro semelhante a ele somente quando ela é mais forte do que o último (§ § 43-48).
§ 159 Fifth Edition
Quanto menor for a dose do remédio homeopático é, portanto, muito mais leve e o mais curto é o aumento aparente da doença durante as primeiras horas.
§ 159 Sexta Edição
Quanto menor for a dose do remédio homeopático é no tratamento de doenças agudas tanto quanto menor e mais curto é o aumento aparente da doença durante as primeiras horas.
 § 160
Mas à medida que a dose de um remédio homeopático pode raramente ser feito tão pequeno que não será capaz de aliviar, dominar, de fato curar completamente e aniquilar a doença natural simples de longa data que não é análogo a ele (§ 249, nota) , podemos entender por que um faz de um medicamento homeopático adequado, não o muito menor possível, nem sempre, durante a primeira hora após a sua ingestão, produzir um agravamento homeopático perceptível deste tipo. 1
1 Essa exaltação dos sintomas medicinais durante os sintomas da doença análogas a eles, que se parece com um agravamento, tem sido observado por outros médicos também, quando por acaso eles empregaram um remédio homeopático. Quando um paciente que sofre de coceira se queixa de um aumento da erupção depois de enxofre, o médico que não sabe a causa desta, consola-o com a garantia de que a coceira deve primeiro sair corretamente antes de ele pode ser curado, ele não sabe, contudo , que se trata de uma erupção de enxofre, que assume o aspecto de um aumento da coceira.
A erupção facial que a viola tricolor curado foi agravada por ela no início de sua ação, Leroy diz-nos (Heilk, pele Mutter, p.406), mas ele não sabia que o agravamento aparente era devido ao pouco demasiado grande dose de o remédio, que neste caso foi de certa forma homeopática. Lysons diz (Transact Med.., Vol II, Londres, 1772), A casca das curas elm certamente essas doenças de pele que aumenta no início de sua ação. Se não tivesse dado a casca nas doses habituais monstruosas no sistema alopática, mas nos bastante pequenas doses necessárias quando o medicamento apresenta semelhança dos sintomas, isto é, quando é utilizado homeopaticamente, teria efectuada uma cura sem, ou quase sem, vendo este aparente aumento da doença (agravação homeopática).
§ 161 Fifth Edition
Quando aqui limitar o chamado agravamento homeopático, ou antes a acção principal da medicina homeopática que parece aumentar tanto os sintomas da doença original, para a primeira ou algumas horas, este é certamente verdade em relação a doenças de um mais caráter agudo e de origem recente, mas onde os medicamentos de ação prolongada têm de combater uma doença de, considerável ou de muito longa data, onde uma dose, portanto, deve continuar a atuar por muitos dias, então ocasionalmente ver, durante os seis primeiros , oito ou dez dias, a ocorrência de algumas destas acções primárias, da medicina, algum tal aparente aumento dos sintomas da doença original (com duração de uma ou de várias horas), enquanto que o interveniente horas melhoramento de toda a doença é perceptível . Decorrido o prazo de estes dias a melhoria resultante de tal ação primária da medicina avança quase ininterruptamente durante vários dias mais.
§ 161 Sexta Edição
Quando aqui limitar o chamado agravamento homeopático, ou antes a acção principal da medicina homeopática que parece aumentar tanto os sintomas da doença original, para a primeira ou algumas horas, este é certamente verdade em relação a doenças de um mais caráter agudo e de origem recente, mas onde os medicamentos de ação prolongada têm de combater uma doença de, considerável ou de muito longa data, onde nenhum aumento aparente da doença original deve aparecer durante o tratamento e não para aparecer se a precisão medicina escolhido foi dada em pequenas doses progressivamente mais altas próprios, cada um pouco modificado com dinamização renovada (§ 247). Tal aumento dos sintomas iniciais de uma doença crónica podem aparecer apenas no final do tratamento quando a cura é quase ou completamente terminado.
Às vezes, acontece, devido ao número moderado de medicamentos conhecidos Ainda com respeito à sua verdadeira acção, puro, que apenas uma porção dos sintomas da doença em tratamento estão a ser satisfeitas com na lista de sintomas do medicamento mais adequado, consequentemente este agente morbífico medicinal imperfeito deve ser empregado por falta de uma mais perfeita.
Neste caso, não podemos realmente esperar deste medicina uma solução completa, cura despreocupado, pois durante o seu uso alguns sintomas parecem que não foram previamente observáveis ​​na doença, sintomas acessórios do remédio não é perfeitamente adequado. Isto não significa evitar que uma parte considerável da doença (os sintomas da doença que se assemelham aos do medicamento) de ter sido erradicada por este medicamento, estabelecendo assim um início justa da cura, mas este ainda não ter lugar sem aqueles sintomas acessórios, os quais são, no entanto, sempre moderada quando a dose do medicamento é suficientemente minutos.
O pequeno número de sintomas homeopáticos presentes na melhor remédio seleccionado não é obstáculo para a cura nos casos em que estes poucos sintomas medicinais são principalmente de um tipo raro e como são peculiarmente distinta (característica) da doença, a cura ocorre sob tais circunstâncias, sem qualquer perturbação particular.
Se, no entanto, entre os sintomas do remédio escolhido haver nenhum que se assemelham com precisão as distintas (característica), peculiares, sintomas menos comuns do caso de doença, e, se o medicamento corresponde à doença apenas no geral, descrito vagamente, estados indefinidos (náusea, fraqueza, dor de cabeça, e assim por diante), e se há entre os medicamentos conhecidos nenhum mais homeopaticamente adequado, nesse caso, o médico não pode prometer a si mesmo qualquer resultado favorável imediato do emprego deste medicamento unhomoeopathic.
Um tal processo é, contudo, muito raro, devido ao aumento do número de medicamentos cujos efeitos puro são agora conhecidos, e os maus efeitos daí resultantes, quando ocorrem, diminuem sempre que um medicamento subsequente, da semelhança mais preciso, pode ser seleccionado.
Assim, se não ocorrer, durante a utilização desta forma imperfeita remédio homeopático utilizado pela primeira vez, os sintomas acessório de algum momento e, em seguida, no caso de doenças agudas, que não permitem esta primeira dose de esgotar a sua acção, ou deixar o paciente para o pleno duração da acção do remédio, mas investigar novamente o estado mórbido em sua condição agora alterada, e adicione o restante dos sintomas originais para os recém-desenvolvido em traçar um novo quadro da doença.
Vamos, então, ser capaz muito mais facilmente para descobrir, entre os medicamentos conhecidos, um análogo ao estado mórbido diante de nós, uma dose única de que, se não destruir completamente a doença, vai avançar consideravelmente no caminho para ser curado . E, assim, seguir em frente, mesmo se este medicamento não ser mais do que suficiente para efetuar a restauração da saúde, examinar novamente e novamente o estado mórbido que ainda permanece, e selecionando um medicamento homeopático como adequado possível para ele, até que o nosso objeto, ou seja, colocar o paciente na posse de saúde perfeita, é realizado.
§ 169 quinta edição
Se, no primeiro exame de uma doença e a primeira selecção de um medicamento, que deve achar que a totalidade dos sintomas da doença não ser eficazmente cobertos pelos elementos de doença de um único medicamento - devido ao número insuficiente de conhecida medicamentos, - dois medicamentos, mas que disputam a preferência no ponto de conveniência, um dos quais é mais homeopaticamente adequado para um lado, o outro para a outra parte dos sintomas da doença, não é aconselhável, após o emprego do mais apropriado dos dois medicamentos, para administrar o outro sem um novo exame, para o medicamento, que parecia ser a próxima melhor não, sob a alteração das circunstâncias que tem no entretanto sido efectuada, ser adequado para os restantes sintomas que então permanecem, caso em que, por consequência, um remédio homeopático mais adequado deve ser seleccionado em vez do segundo medicamento para o conjunto de sintomas que aparecem sobre um novo controlo.
§ 169 Sexta Edição
Se, no primeiro exame de uma doença e a primeira selecção de um medicamento, que deve achar que a totalidade dos sintomas da doença não ser eficazmente cobertos pelos elementos de doença de um único medicamento - devido ao número insuficiente de conhecida medicamentos, - dois medicamentos, mas que disputam a preferência no ponto de conveniência, um dos quais é mais homeopaticamente adequado para um lado, o outro para a outra parte dos sintomas da doença, não é aconselhável, após o emprego do mais apropriada dos dois medicamentos, para administrar o outro, sem novo exame, e muito menos para dar os dois juntos (§ 272, nota) para o medicamento que parecia ser a próxima melhor não, sob a mudança de circunstâncias que tem nesse meio tempo tido lugar, ser adequado para os restantes sintomas que permanecem então, caso em que, por consequência, um remédio homeopático mais adequado deve ser seleccionado em vez do segundo medicamento para o conjunto de sintomas que aparecem sobre um novo controlo.
Assim, neste como em todos os casos onde uma mudança de estado mórbido ocorreu, o conjunto restante de sintomas apresentam agora deve ser investigadas, e (sem prestar atenção ao medicamento que a princípio parecia ser o próximo ponto de idoneidade ) outro medicamento homeopático, conforme apropriado possível para o novo estado agora diante de nós, deve ser selecionado. Se isso deverá acontecer, pois muitas vezes não é o caso, de que o medicamento que a princípio parecia ser a próxima melhor ainda parece estar bem adaptado para o estado mórbido que permanece, tanto mais será que vai merecer a nossa confiança, e merecem a ser empregue de preferência a outra.
§ 171 Fifth Edition
Em doenças crónicas não-venérea, aqueles, por isso, que surgem a partir de psora, que muitas vezes requerem, de modo a efectuar uma cura, para dar vários remédios antipsóricos em sucessão, cada uma sendo sucessiva homeopaticamente escolhido em consonância com o conjunto de sintomas remanescentes depois o termo da acção do remédio anterior (que pode ter sido empregado em uma dose única ou em várias doses sucessivas).
§ 171 Sexta Edição
Em doenças crónicas não-venérea, aqueles, por isso, que surgem a partir de psora, que muitas vezes requerem, de modo a efectuar uma cura, para dar vários remédios antipsóricos em sucessão, cada uma sendo sucessiva homeopaticamente escolhido em consonância com o conjunto de sintomas remanescentes depois conclusão da ação do remédio anterior.
Uma dificuldade semelhante no caminho da cura ocorre com os sintomas da doença que são muito poucos - uma situação que merece a nossa atenção, pois por sua remoção quase todas as dificuldades que podem estar na forma da mais perfeita de todos os modos possíveis de tratamento (excepto que o seu aparelho de medicamentos homeopáticos conhecidos ainda está incompleta) são removidos.
As únicas doenças que parecem ter mas poucos sintomas, e em que a conta-se menos passíveis de cura, são aqueles que podem ser chamadas de um lado, porque apresentam apenas um ou dois sintomas principais que obscurecem quase todos os outros. Eles pertencem principalmente à classe de doenças crónicas.
Seu principal sintoma pode ser tanto uma queixa interna (por exemplo, uma dor de cabeça com duração de muitos anos, a diarréia de longa data, um antigo cardialgia, etc), ou pode ser uma afeição mais de um tipo externo. Doenças do último carácter são geralmente distinguidos pelo nome de doenças locais.
Em doenças unilaterais do primeiro tipo é muitas vezes a ser atribuído ao médico observador da falta de discernimento que ele não descubra totalmente os sintomas realmente presentes que lhe permitiria completar o esboço do retrato da doença.
Há, no entanto, ainda algumas doenças, que, após o exame inicial mais cuidadosa (§ § 84-98), presente, mas um ou dois sintomas graves, violentos, enquanto todos os outros, mas são perceptíveis indistintamente.
Para atender com mais sucesso um caso como este, que é de ocorrência muito rara, estamos em primeiro lugar para selecionar, guiados por esses poucos sintomas, o medicamento que no nosso julgamento é o mais indicado homeopaticamente.
Será, sem dúvida, às vezes acontece que este medicamento, selecionados em estrita observância da lei homeopática, fornece a doença artificial semelhante adequado para a aniquilação do mal presente, e isso é muito mais provável de acontecer quando estes sintomas mórbidos alguns são muito impressionante, decidiu, raro e peculiar distintivo (característica).
Mais frequentemente, no entanto, o primeiro medicamento escolhido, neste caso, será apenas parcialmente, isto é, não é exactamente apropriada, como não havia um número considerável de sintomas para orientar para uma selecção rigorosa.

http://www.homeoint.org/books/hahorgan/organ140.htm

Homeopatas dos Pés descalços 
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Pesquise por matéria específica