Pular para o conteúdo principal

OLIVEIRAS - QUANDO CORPO E ALMA SE CANSAM

OLIVEIRAS - Olea europea

 
A oliveira representou sempre importante papel nas crenças populares antigas. Símbolo da paz e da abundancia. Sinal de que as águas não inundam o solo. Foi um ramo de oliveira que a pomba trouxe para a arca, a Noé, em, e a paz estar feita entre Deus e os homens. Era com coroas feitas de ramos de oliveiras e de louro que se enfeitavam os vencedores dos jogos olímpicos e os guerreiros vitoriosos.

A azeitona pode ser chamada de oliva e é o fruto da oliveira. Sua resistência é impressionante e maravilhosa. Em Portugal existe uma com mais de 2000 anos. Suas raízes são profundas e resistentes.

A azeitona, também conhecida como oliva, é o fruto da oliveira (Olea europea), árvore predominantemente mediterrânica e que pode chegar até aos mil anos de longevidade.


Cada azeitona contém: água (50%), azeite (22%), açúcar (19%), celulose (5,8%) e proteínas (1,6%).



E cada 100 grs de azeitona verde em conserva possui aproximadamente: 140 kcal, 1,5g de proteínas, 10g de gordura, 10mcg de Tiamina, 15mcg de Riboflavina, 6mg de Ácido ascórbico, 1530mg de potássio, 15mg de fósforo, 6mg de silício, 100mg de cálcio, 130 mg de sódio, 4mg de cloro, 1 mg de ferro e 5 mg de magnésio. Viu, isso é um potinho de azeitonas para aperitivo.

Daqui se extrai o famoso azeite de oliva, um luxo no passado recente e matéria primordial desde tempos remotos, muito antes de Cristo, inclusive a força dele no horto das oliveiras, nunca mais deixou de ser estudada. Hoje esse óleo precioso já pode ser consumido por uma parte mais ampla da população mundial.

Como todos os óleos vegetais, ele não apresenta colesterol na sua formulação, sendo rico, entretanto em ácidos graxos insaturados, fazendo com que suba os níveis de HDL – o herói em termos de colesterol, o bonzinho.
VAN GOGH 1889
A oliveira como é comumente conhecida, é uma arvore de porte mediano, baixas e de troncos fortes, resistentes e retorcidos. Seu consumo e emprego se deram no chamado período neolítico e já naquela época se aprendeu a extrair e usar esse óleo na alimentação, como combustível e ungüentos. Esse foi e é o principal motivo de tanta veneração através dos tempos.


Ela é associada a força e a vida. Uma árvore da longevidade. Muitos acreditam que as oliveiras da Palestina de hoje devam ter em torno de 2.500 anos e em Santa Iria de Azóia – Portugal, existe uma oliveira de 2.850 anos.

Suas raízes são fortes e profundas, o que lhe dá a possibilidade de conseguir água para a sua manutenção. Essa extensão pode chegar  a 6 metros de profundidade, por isso são chamadas de subterrâneas.
Além disso, o consumo regular de óleo de oliva reduz a possibilidade de formação de placas de ateroma na parede dos vasos sanguíneos. Ajuda a diminuir o risco de enfarte do miocárdio e de derrames (ACV). Levam a fama de serem anti oxidantes, pois são ricos em polifenóis.

Assim sendo ajuda na luta contra o envelhecimento precoce, as doenças crônicas degenerativas, assim como o cancro.
É um rico lubrificante e antiinflamatório intestinal, fazendo com que melhore muito a pele de quem faz uso dele.  Ajuda na prevenção do reumatismo e da arteriosclerose.
Classicamente é conhecido por atuar positivamente no controle da hipertensão arterial.

UMA OLIVEIRA NOVA
Hoje em dia se encontra em casas de produtos naturais (não abra mão da qualidade e do registro), o chá das folhas de oliveira que são, antibacterianas, antioxidantes, combatem o colesterol LDL, e os radicais livres. Ajuda no controle da hipertensão e são antiinflamatórias.

Receita: coloque 1 litro de água pra ferver e depois acrescente 2 colheres (sopa), desligue o fogo e tampe. Espere 10 minutos, coe e pode tomar de 3 a 4 xícaras do chá por dia.
Mais do que isso é exagero, a melhor medida é a cautela e por tempo determinado. Não passe de 1 mês, depois tome 1 xícara ao dia.

Estudos e pesquisas:
http://bases.bireme.br/cgi-bin/wxislind.exe/iah/online/?IsisScript=iah/iah.xis&src=google&base=HomeoIndex&lang=p&nextAction=lnk&exprSearch=1123&indexSearch=ID
http://www.esalq.usp.br/siesalq/pm/Monografia_Vitis_vinifera.pdf


(Olivo Olive, Bach) 


É aí que encontramos seu uso mais sutil e grande valia. Nos florais de Bach – ele  restaura a paz para a mente cansada e fortalece o corpo exausto pelo sofrimento. É útil para pessoas que sofreram por muito tempo e em condições adversas, ou que tiveram uma longa e dolorosa doença que tem prejudicado a sua vitalidade. Quando não se suporta mais o cansaço. Para pessoas que têm pouco tempo para relaxar e descontrair, se cansa rapidamente, não têm reservas de força. Restabelece o vigor, vitalidade e interesse na própria vida. Mente fatigada e corpo exausto. O estado de Getsemani.

A oliveira era para os antigos a arvore da vida por isso que produzia o azeite, que arde nas lâmpadas, conservando a luz durante a noite, a luz a origem de toda a vida terrestre.

Homeopatas Dos Pés Descalços

Postagens mais visitadas deste blog

IGNATIA AMARA - A CHAVE DO EQUILÍBRIO

IGNATIA AMARA  E A SUA PERSONALIDADE HOMEOPÁTICA
O excesso de luz cega a vista.
O excesso de som ensurdece o ouvido.
Condimentos em demais estragam o gosto.
O ímpeto das paixões perturba o coração.
A cobiça do impossível destrói a ética.
Por isso, o sábio em sua alma
Determina a medida de cada coisa.
Todas as coisas visíveis lhe são apenas
Setas que apontam para o Invisível.

(Tao-Te King, Lao-Tsé) Lao Tsé não tinha conhecimento de homeopatia, mais permeou o mundo das observações de forma intensa e clara, ajudou a dar uma nova visão ao ser humano e até hoje seja no oriente quanto no ocidente, viaja nas mentes de muitos. Ao ler seu pequeno texto a uns bons anos atrás e já com alguma bagagem de filosofia homeopática, me deparei com este, acima citado. Para mim a tradução mais poética de uma personalidade Ignácia. Homeopatas dos Pés Descalços 

Citemos Allen - "As pessoas mentalmente e fisicamente esgotados por uma dor concentrada e prolongada" (Allen) ou ainda "A alteração das condições …

GELSEMIUM - O REMÉDIO DAS GRANDES SENSIBILIDADES

PERSONALIDADES HOMEOPÁTICAS MAT. CEDIDA POR ELISA MACIEL COSTA/ESP.EM HOM/ACUPUNTURA/FITOTERAPIA

Pessoas com grandes fraquezas, com intensa prostração física e mental, chegando ao embotamento cerebral. Medo de cair e de adoecer[*] Histeria e neuroses, comoções e maus efeitos do medo, o remédio das grandes sensibilidades. Sonolencia dos estudantes, as mulheres apresentam  rouquidão durante a menstruação. Sente-se incapaz de enfrentar a vida cotidiana, Incapacidade para assumir responsabilidades, nervosismo de "ator", medo de exames dos estudantes, de aceitar novas tarefas. Evita as aflições da vida. É muito utilizado nas febres agudas ou intermitentes em que há um desejo absoluto de repouso. Na sua grande maioria apresenta ausência de sede, sem calafrios ou suores, piorando à tarde. Seu uso facilita o parto em situações de rigidez do colo uterino e alivia as cólicas menstruais muito fortes.  Apresenta fisicamente uma enorme falta de tônus muscular, torpor, lassidão e tremores, Par…

LYCOPODIUM CLAVATUM

LYCOPODIUM – o medo do conflito
Lycopodium é sem sombra de dúvida, uma das matérias médicas mais extensas dentro da homeopatia e mais interressantes também. Esse indivíduo tem as fases da sua vida bem marcadas, pois apresenta um grande estado distinto entre a infância, a idade mediana e sua idade mais avançada.
Entretanto o Lycopodium se encontra envolto pela covardia, tanto social, moral e física, o que permite ao homeopata analisar de forma cuidadosa essa personalidade, tendo em vista sua enorme capacidade de ser extrovertido, amigável e corajoso, qualidades essas opostas da sua real condição.
Por medo do conflito, Lycopodium foge covardemente.
Seu maior amor será pelo poder e com certeza irá chorar quando for homenageado. A criança Lycopodium
Quando alguém vai a sua casa o seu filho refugia-se por trás dos cortinados ou recusa-se a cumprimentar as visitas? Num primeiro contato é envergonhado? Sempre que o repreende fica com as lágrimas ao canto dos olhos? Tem medo de fantasmas e de dormi…