Amigos do Blog

Pesquisar este blog

Carregando...

terça-feira, 30 de agosto de 2011

MEDO


Quando um homeopata dirige a sua consulta para um maior esclarecimento do que está acontecendo e de como ajudar, proporcionando um tratamento mais inteiro, uma das principais perguntas é: DO QUE VOCÊ TEM MEDO?

A identificação do medo ocupa para a Homeopatia Clássica o carro chefe do descortinamento da deficiência. Sua identificação precisa é um divisor de águas para o homeopata e uma barreira a ser transposta pelo paciente.

E o assunto é vasto. Existem dentro da homeopatia, doze partes bem interessantes que norteiam as bases de uma investigação séria por parte do homeopata. No fundo existem bem mais que doze, mas ficaremos com elas, por terem maior aplicabilidade no dia a dia. 

Claro que este estudo faz parte de um pequeno esboço, no qual visa apena e tão somente algumas colocações básicas, para que essa definição seja feita com clareza, é necessário uma consulta aberta e franca, um profissional com capacidade de percepção e como todo na vida, boa vontade e tranqüilidade. Nem sempre desvendar o medo é fácil, por vezes não sabemos que ele existe ou o subjugamos.

Medo
Possibilidade de medicação/personalidade
Da morte
Acônitum, Phosphorus e Agnus castus, Carcinosinum, Platina, Arsenicum, Gelsemium, Calcária, Lac C.
De ser envenenado
Belladonna, Rhus tox, Lachesi, Hyosciamus e Kalí Brom.
De enlouquecer
Arsenicum, Calcária Carb., Cimicifuga, Iodum, Medorrhinum, Alumina, Pulsatilla
De uma forma geral
Digitalis, Aconitum, Calcarea, Stramonium, Scutellaria, Natrum Ph., Psorinum, Sépia, Ignatia, Zinco ph., Grafites.
De tempestades
Phosphorus, Natrum carb., Rhododendron, Sépia, Thuya..
De morrer sozinho
Arsenicum
De multidões
Aurum met. (antropofobia)
De cachorros
Belladonna, China, Tuberculinum.
Da chuva
Calcárea, Elaps e Rhododendron
De parecer ridículo
Arsenicum, Palladium, Natrum Muriaticum e Calcarea Carb.
De objetos pontegudos
Alumina, Nux Vômica, Silícea.
Do espaço
Arnica, Bryonia e Ignatia.
De modo geral a dinamização é feita na 30.ª. uma dose a cada dois dias. (sob orientação).


O medo é um sentimento que proporciona um sinal de alerta. Geralmente as pessoas se sentem ameaçadas de forma psicológica ou física.  Quando esse sentimento cresce costumamos nomear de pânico ou pavor. Sabemos da descarga de adrenalina devido a reações físicas, do coração que dispara com aceleração cardíaca e dor tremores involuntários.  Esse sentimento descontrolado pode fazer com que a pessoa fique ligada na tomada, atenta a tudo que aconteça a seu redor, pode cair em depressão ou pode simplesmente entrar em pânico. 

Medo é uma reação obtida a partir do contato com algum estímulo físico ou mental (interpretação, imaginação, crença) que gera uma resposta de alerta no organismo. Esta reação inicial dispara uma resposta fisiológica no organismo que libera hormônios do estresse (adrenalina, cortisol) preparando o indivíduo para lutar ou fugir.(*)

Antes do medo temos a ansiedade e depois dele temos a fobia (doença). No caso da ansiedade a antecipação dos fatos esclarece as reações, seja por objetos, pessoas, eventos, lugares, situações e etc... quando o medo atinge a vida social do indivíduo de forma restritiva ou quando esse limite é demarcado por sofrimento psicológico (depressão/pânico) está mais que ligado o sistema de alerta.

O psicólogo português Armindo Freitas-Magalhães cria, em 2009, Escala de Percepção do Medo (EPM). O método é considerado pioneiro. Aqui. (*)
Xenofobia, uma doença desconhecida

Podemos dizer que xenofobia é o medo excessivo e descontrolado do desconhecido. Assim sendo é uma doença, pois já se classifica nas fobias (as doenças do medo).  A xenofobia trás consigo a ansiedade clínica e bastante significativa, terror persistente, terror irracional e excessivo, evitam o contato e envolvimento com qualquer estranho, angústia extrema, aumento da tensão arterial, aumento da freqüência cardíaca, inclusive provocar um ataque de pânico.
Conhecemos o termo Xenofobia ligado a aversão a outras raças e culturas. É associado à fobia em relação a pessoas ou grupos diferentes, com os quais o indivíduo que apresenta a fobia habitualmente não entra em contato ou evita fazê-lo.

O que são atitudes xenofóbicas? Incluem desde o impedimento à imigração de estrangeiros ou de pessoas pertencentes a diferentes culturas e etnias, consideradas como ameaça, até a defesa do extermínio desses grupos. Por esta razão a xenofobia tende a ser normalmente associada a preconceitos étnicos ou ligadas a nacionalidade. Estereótipos pejorativos de grupos minoritários e conflitos de crenças que podem levar um indivíduo ao ódio.
Guido Bolaffi. Dictionary of race, ethnicity and culture. SAGE Publications Ltd., 2003. Pp. 331.
Guido Bolaffi. Dictionary of race, ethnicity and culture. SAGE Publications Ltd., 2003. Pp. 332.
Guido Bolaffi. Dictionary of race, ethnicity and culture. SAGE Publications Ltd., 2003. Pp. 332.



AS FOBIAS
(Por Patrícia Lopes - Equipe Brasil Escola)

Fobia (do Grego φόβος "medo"), em linguagem comum, é o temor ou aversão exagerada ante situações, objetos, animais ou lugares. Fobia origina-se do grego phobia, que significa medo intenso, ou irracional, aversão, hostilidade. 

Sob o ponto de vista clínico, no âmbito da psicopatologia, as fobias fazem parte do espectro dos transtornos de ansiedade com a característica especial de só se manifestarem em situações particulares.

São três os tipos básicos de fobias:
  1. Agorafobia - Medo de estar em lugares públicos concorridos, onde o indivíduo não possa retirar-se de uma forma fácil ou despercebida.
  2. Fobia Social - Medo perante situações em que a pessoa possa estar exposta a observação dos outros, ser vítima de comentários ou passar perante uma situação de humilhação em público.
  3. Fobia Simples - Medo circunscrito diante objetos ou situações concretas.

A fobia é um dos transtornos de ansiedade mais apresentados pelo ser humano e um dos distúrbios psicológicos mais estudados. Os sintomas são: transpiração excessiva, taquicardia, náusea, vertigem, calafrios, dor no peito, sensação de falta de ar e formigamento.
 
 Muitos Neurocientistas explicam que a causa da fobia pode estar relacionada com fatores biológicos, como um aumento do fluxo sanguíneo e maior metabolismo no lado direito do cérebro em pessoas fóbicas.

Uma lista prática e rápida da identificação das fobias você encontra aqui.

HOMEOPATAS DOS PÉS DESCALÇOS
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Pesquise por matéria específica