Amigos do Blog

Pesquisar este blog

Carregando...

segunda-feira, 3 de janeiro de 2011

AS SETE EMOÇÕES NEGATIVAS DA MEDICINA CHINESA E A SAÚDE POSSÍVEL.

HOMEOPATIA, MEDICINA CHINESA, CARL JUNG, FITOTERAPIA E ALGUMAS COISINHA MAIS...



Cada vez que nos deparamos com situações como estas, abaixo descritas, fico me perguntando: porque é sempre tão difícil conseguirmos essa união? Quando se fala de sentimentos, emoções e afins podemos claramente nos lembrar de um remédio homeopático, um exercício de Yoga, uma sessão de acupuntura, massagem ou psicoterapia, um floral ou um chá. Alguns apelam por nadar um pouco, correr ou fazer uma longa caminhada. A isso chamamos dispositivos de sobrevivência e para isso precisamos reconhecê-los em nós e nos outros.


 “Um funcionamento inadequado da psique pode causar tremendos prejuízos ao corpo, da mesma forma que, inversamente, um sofrimento corporal pode afetar a psique; pois a psique e o corpo não estão separados, mas são animados por uma mesma vida. Assim sendo, é rara à doença corporal que não revele complicações psíquicas, mesmo quando não seja psiquicamente causada.” (Jung)


Podemos até dizer pra nós mesmos que isso é bobagem, mas acabamos reconhecendo que quando se trabalha um grupo maior de fatores, encontra-se mais facilmente o equilíbrio.
As sete emoções básicas relacionadas às funções orgânicas são a raiva, alegria, preocupação, pensamento obsessivo, tristeza, medo e choque (pavor). Apesar da conexão mente/corpo ter sido reconhecida relativamente há pouco tempo na medicina ocidental, a interação das emoções com o corpo físico é um aspecto essencial na Medicina Tradicional Chinesa. A Homeopatia através do seu criador explorou, analisou e respeitou essas emoções, traduzindo para o ocidente uma forma própria de análise. Não que ele tenha tido contato com os manuscritos da época, talvez sim, talvez não, mas com certeza o pensamento de ajuda clara e objetiva fez parte dos seus estudos e pesquisas. Podemos chamar de sintonia dos gênios ou dos grandes homens e nações que trouxeram mais luz e saúde aos nossos dias. Como há quem diga que o Criador da Homeopatia nunca leu Hipócrates ou Paracelso, deixemos pra lá.
 Ao discutirmos o aspecto emocional do processo da doença, é importante lembrar que é normal sentirmos a gama completa das emoções. Uma fonte de desequilíbrio surge somente quando uma emoção em particular é vivenciada por um período prolongado de tempo ou com uma intensidade específica.
Quando esses sentimentos ultrapassam uma certa barreira, devemos recorrer a profissionais capacitados – psicoterapeutas, psiquiatras, psicólogos e afins, entretanto sabemos que se houver um equilíbrio do corpo e/ou órgão, uma análise completa do indivíduo, poderemos ajudar mais e melhor. Tanto a Homeopatia quanto a Medicina Chinesa. A acupuntura é especialmente eficaz no tratamento de desordens emocionais, mesmo quando ela não é completamente eficaz no tratamento de distúrbios físicos, quase sempre ela proporciona um estado de paz emocional.
"Tenho visto as pessoas tornarem-se frequentemente neuróticas quando se contentam com respostas erradas ou inadequadas para as questões da vida. Elas buscam posição, casamento, reputação, sucesso externo ou dinheiro, e continuam infelizes e neuróticas mesmo depois de terem alcançado aquilo que tinham buscado. Essas pessoas encontram-se em geral confinadas a horizontes espirituais muito limitados. Sua vida não tem conteúdo ou significado suficientes. Se têm condições para ampliar e desenvolver personalidades mais abrangentes sua neurose costuma desaparecer."
Carl Jung

 Raiva
Está associada ao fígado. Por sua natureza, a raiva causa o aumento do Qi, o que provoca rosto e olhos avermelhados, dores de cabeça e vertigens. Isso coincide com o padrão de aumento do chamado fogo do fígado. A raiva também pode fazer o qi do fígado “atacar o baço”, produzindo falta de apetite, indigestão e diarréia, geralmente isso ocorre com pessoas que discutem na mesa de refeições ou comem enquanto dirigem. Belladonna e Arsênico podem ser pensados quando encontramos deficiências grandes nesses órgãos e que são movidos por raiva.
Numa visão mais a longo prazo, a raiva ou frustração reprimida normalmente causa a estagnação do Qi e isso pode resultar em depressão ou desordens menstruais, a violência e seu oposto, a estagnação causam sérios problemas a saúde. É interessante notar que as pessoas que ingerem ervas para liberar o Qi estagnado do fígado normalmente experimentam surtos de raiva quando a estagnação é liberada. Mais uma junção de que quando liberamos o que está parado, podemos esperar que venha uma crise dessa liberação. O chá de boldo é receitado de forma errada nesses casos e o de rosa branca também. Vale lembrar que esses dois tipos de chá servem para devolver a correta liberação de energia, retirando tampões, liberando fluxos. O chá de rosa branca é aconselhável que se tome 1 vez ao dia – 3 pétalas machucadas no fundo da xícara e água quente por cima. O chá de boldo vira água de boldo: 2 folhas rasgadas dentro de um copo e aí coloca-se água normal e tampa, deixe repousar a noite e toma-se o copo de água durante o dia em pequenos goles. O chá de prímula pode virar óleo de prímula nos dias atuais e aí facilita muito as dores e a irritação, Pulsatilla, Ignácia, Natrum Mur., Sépia – são homeopatias lembradas para análise.  A raiva passa quando o equilíbrio é restaurado. Da mesma forma, geralmente a raiva e a irritabilidade são os fatores determinantes no diagnóstico da estagnação do Qi do fígado.
Muitas pessoas ficam aliviadas ao saber que sua raiva tem um fundo fisiológico. É essencial evitar ingerir café durante o tratamento de desordens do fígado relacionadas à raiva, pois o café aquece o fígado e intensifica muita a condição desfavorável. Entretanto no período de depressão esse mesmo alimento, o café, pode ser recomendado e vale a pena ver Coffea Cruda.
Cada órgão corresponde a uma emoção e o desequilíbrio dessa emoção pode afetar a função do órgão. No caso da raiva prolongada, ela pode levar a um desequilíbrio no fígado, o gosto amargo na boca, o ácido (metal) produzido – pensamos em Arsênico por exemplo. Ao mesmo tempo, desequilíbrios no fígado podem produzir sintomas de raiva que geralmente levam a um ciclo auto-perpetuador. Raiva é um sentimento que há de se respeitar. Na Medicina natural recomenda-se o uso de chás e ou sucos que acalmam o corpo e que ajudem a evacuar melhor.
Alegria
A emoção da alegria está ligada ao coração. Não descartar o timo. Uma desordem relacionada à alegria pode parecer estranha, já que a maioria das pessoas deseja o máximo de alegria em suas vidas. As desordens dessa emoção não são causadas pela felicidade. O desequilíbrio surge quando entusiasmo ou estímulos excessivos ocorrem ou boas notícias súbitas chegam como um choque para o sistema. O mundo moderno pode chamá-la de doença Bipolar se quiser ou mesmo euforia nociva.
Ao avaliar os níveis de estresse, os psicólogos verificam todas as fontes de estresse: positivas e negativas. É claro que a morte de um cônjuge ou a perda de um emprego é uma fonte significante de estresse. Porém, um casamento ou promoção no emprego, ainda que seja uma ocasião feliz, também é uma fonte de estresse (pouca gente pensa nisso).
Uma pessoa que está constantemente saindo, freqüentando festas e vivendo uma vida de excessos, pode acabar desenvolvendo desequilíbrios do coração como palpitações, ansiedade e insônia. Uma pessoa com desequilíbrios no coração também pode demonstrar sintomas emocionais, já que o coração é o lar do espírito (Shen). Uma pessoa com sérios distúrbios no Shen do coração pode ser vista conversando alegremente consigo mesma e tendo surtos de gargalhadas.
Tal comportamento resulta da incapacidade do órgão do coração em proporcionar um local de descanso estável para o espírito. Esse tipo de desequilíbrio é tratado com acupuntura ao longo do meridiano do coração. Os tratamentos herbários consistem em fórmulas que nutrem o sangue do coração ou yin. Se o fogo do coração perturba o espírito, ervas que limpam o calor do coração são usadas. É aí que entram: a camomila, a erva cidreira e o famoso alecrim. Façamos uso também dos florais aqui.
Preocupação
A preocupação, uma emoção muito comum em nossa sociedade repleta de estresses, pode esgotar a energia do baço. Isso pode causar distúrbios digestivos e acabar levando à fadiga crônica: um baço enfraquecido não pode transformar o alimento em Qi de maneira eficaz e também os pulmões são incapazes de extrair o Qi do ar eficientemente.
Uma pessoa que se preocupa muito “transporta o peso do mundo sobre seus ombros”, e uma palavra que descreve muito bem como uma pessoa se sente quando o Qi de seu baço está fraco é depressão. O tratamento inclui moxa e ervas que fortificam o baço, o que proporciona à pessoa energia para lidar com os problemas da vida em vez de vivenciá-los. Recomenda-se neste caso que diminua ou retire qualquer forma de açúcar modificado, ele produz lentidão ao baço. O sistema de defesa do corpo também enfraquece, o que pode vir a ser um grande problema. Tuberculino, lembramos dele aqui. Veja a ligação entre Diabetes, por exemplo, e preocupação que gera ansiedade. Falo aqui de Diabetes adquirida.
Pensamento obsessivo
Pensar excessivamente ou obsessivamente sobre um assunto também pode esgotar o baço, o que causa a sua estagnação. Uma pessoa com essa condição pode exibir sintomas como falta de apetite, esquecimento de se alimentar e inchaço após comer. Com o tempo, a pessoa pode desenvolver uma complexão pálida devido à deficiência de Qi do baço. Eventualmente, isso pode afetar o coração, fazendo a pessoa sonhar com os mesmos assuntos à noite. Geralmente os estudantes são afetados por esse desequilíbrio. O tratamento padrão é usar ervas que tonifiquem o sangue do coração e o Qi do baço. Gelsemium deverá ser lembrado e todas as medicações que lembrem esgotamento/tensão/pressão. O uso das pimentas e mesmo do chá verde após as refeições é indicado. Reparem que o pensamento obsessivo muda a fisionomia do indivíduo, causando palidez. Note também que os sonhos serão recorrentes. Carcinosino deverá ser visto para um tratamento já avançado talvez. Conium também é um nome.
Tristeza
A tristeza ou pesar afetar os pulmões, produzindo fadiga, falta de ar, choro ou depressão. O tratamento dessa condição envolve acupuntura para os pontos ao longo dos meridianos do pulmão e rim. Normalmente, fórmulas herbárias são usadas para tonificar o Qi ou yin dos pulmões. Esse é claramente um processo que nos lembra o Tuberculino de uma forma geral. Tristeza enfraquece e traz medo muitas vezes. Melancolia lembra saudade que lembra tristeza, também precisa aquecer, limpar o corpo da estagnação. Os drenadores são uma ótima saída de ajuda. Existe muco com certeza e não se esqueça que ele pode ser visceral e vesical, não só dos pulmões ou dos brônquios. O mais conhecido aqui é a Raiz de lótus, em chá ou em xarope ele é o rei, a Hortelã, o Eucalipto e o nosso tão precioso SOL. Vitamina D de graça, espanta a tristeza. Comidas quentes e leves. Evite o leite.
Medo
A emoção do medo está relacionada com os rins. Essa ligação pode ser prontamente percebida quando o medo extremo faz uma pessoa urinar incontrolavelmente. Nas crianças isso também se manifesta quando elas urinam na cama, o que os psicólogos associaram com insegurança e ansiedade.
Uma das matérias mais vastas da homeopatia – O MEDO. Darei outro exemplo um pouco mais complexo. O pai de JJ morre. Sabemos que enterros são situações de extrema tristeza. Após 2 horas de velório, ele tem de se afastar por causa de uma crise renal, febre leve, frio intenso, choro copioso. Dois dias depois ele estava melhor. MEDO e TRISTEZA. Ele é um perfeito Ignácia. Assim como poderia ser Arsenicum ou Calcárea, ou Sulphor, ele é um Ignácia Amara. Sabendo disso, foi lhe receitado uma dose única de CH 200, recomendações alimentares – sopa de feijão com carne de porco, batatas, mandioca, grãos. Chá verde, chá de quebra pedra e café, uma vez ao dia, perto das 18:00h, longe dos remédios homeopáticos. Chorou muito e quando falou e distribuiu a culpa, o corpo foi voltando a temperatura normal. A deficiência de Yin, gela o corpo e para os rins. A pele tende a escurecer.
A ansiedade prolongada devido às preocupações com o futuro pode esgotar o yin, yang e qi dos rins, o que pode eventualmente levar à fraqueza crônica. O tratamento envolve tonificar os rins com tônicos yin ou yang, dependendo dos sintomas particulares. Podemos ver Berberis e Lycopodium também.

Choque (pavor)
O choque é especialmente debilitante para os rins e o coração. A reação “lutar ou fugir” causa uma liberação excessiva de adrenalina das glândulas adrenais ou supra-renais, que se localizam sobre os rins. Isso faz o coração responder com palpitações, ansiedade e insônia. Muitos usam arnica Montana e de certa forma funciona, principalmente se esse choque for acompanhado do choque físico. O Rescue puro e não dinamizado, costuma ser muito eficiente, Pulsatilla e Belladonna entre outros.
O estresse crônico oriundo do choque pode ser muito debilitante para o sistema inteiro, causando uma ampla gama de problemas. O choque severo pode ter um efeito duradouro sobre o shen do coração, como fica evidente em vítimas da síndrome do estresse pós-traumático. O tratamento envolve psicoterapia, ervas que acalmam o espírito e nutrem o coração e rins, e tratamentos regulares de acupuntura.
Fonte: How Stuff Works o texto original das “sete emoções negativas da Medicina Chinesa” você pode encontrar aqui - http://zephyrus.blog.br/2008/02/as-sete-emocoes-negativas-da-medicina-chinesa/.
"Uns sapatos que ficam bem numa pessoa são pequenos para uma outra; não existe uma receita para a vida que sirva para todos."
Carl Jung


Os mais inestimáveis tesouros são; a consciência irrepreensível e a
boa saúde.  O amor a Deus e o estudo de si mesmo oferecem uma;   
a homeopatia oferece a outra. -

Samuel Hahnemann


"A alma não tem segredo que o comportamento não revele".

Lao tsé

Homeopatas dos Pés Descalços.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Pesquise por matéria específica