EDUCAÇÃO E SAÚDE = DIREITO E RESPEITO



23 de jan de 2019 03:38







       



CIGANOS/AS CURSARÃO  DIREITO, MEDICINA, FISIOTERAPIA, NUTRIÇÃO E CIÊNCIAS BIOLÓGICAS NA UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA.
Adelaide Lopes Fortuna – Bacharelado em Nutrição – Salvador
Emanuelle Mota da Costa – Fisioterapia –Salvador
Brenna Carolaine Lopes Vaz – Medicina – Salvador.
ALANE SILVA MAGALHÃES – DIREITO –JACOBINA
LUAN COSTA MOTA –DIREITO- JACOBINA.
Alexandre Ivanovitis Júnior – Ciências Biológicas – Senhor do Bomfim.

A RESOLUÇÃO Nº 1.339/2018, aprovada em 13 de julho de 2018 pelo Conselho Universitário da UNEB sob a presidência do Vossa Excelência Reitor José Bites de Carvalho e publicada no Diário Oficial do Estado da Bahia em 28 de julho de 2018, ao aprovar o SISTEMA DE RESERVAS DE VAGAS  PARA NEGROS E SOBREVAGAS PARA INDÍGENAS; QUILOMBOLAS;  CIGANOS;  PESSOAS  COM DEFICIÊNCIA, TRANSTORNO DO ESPECTRO AUTISTA E ALTAS HABILIDADES; TRANSEXUAIS, TRAVESTIS E  TRANSGÊNERO,  no  âmbito  da  UNEB,  NOS CURSOS DE GRADUAÇÃO E PÓS- GRADUAÇÃO, a Uneb através da Pró Reitoria de Ações Afirmativas –PROAF reconhece o direito dos referidos coletivos acima citados ocuparem outros espaços de poder, nesse caso o mundo acadêmico.  Trata-se de uma ação afirmativa de caráter inédito e histórico no Brasil, a qual passou a ser válida para o processo seletivo do vestibular/2019.
A luta não ficará apenas na esfera do acesso à universidade, mas no acompanhamento para que os estudantes dos diversos grupos contemplados possam ter condições em permanecer e concretizar seus estudos. O desafio está posto, mas sigamos acreditando que mesmo em tempos sombrios, outros sujeitos, outras histórias terão a oportunidade de romper as falsas estereotipias e lugares comuns normalmente a eles atribuídos e passem, portanto, a construir uma trajetória com base em seus sonhos e projetos.
Para além dos números abaixo expostos, os CIGANOS, QUILOMBOLAS, INDÍGENAS, PESSOAS COM DEFICIÊNCIA, TRANSTORNO DO ESPECTRO AUTISTA E ALTAS HABILIDADES; TRANSEXUAIS, TRAVESTIS E TRANSGÊNEROS que adentrarão a Uneb podem ser exemplos a serem seguidos por seus pares, bem como personificam a tão sonhada representatividade chegando à universidade. Outros desdobramentos, certamente surgirão e muitos enfrentamentos e mudanças serão necessários nesse processo tão rico, mas também recente. Porém, uma coisa de cada vez. Por ora, vamos celebrar essa grande conquista, afinal, também fazemos parte desse processo!!
DADOS GERAIS DA UNEB PARA ESTUDANTES APROVADOS OPTANTES PELAS SOBREVAGAS RESERVADAS AOS:
 Quilombolas: 86.
Indígenas: 40 
Ciganos: 06
Travestis/transexuais/transgêneros: 11
Deficientes/autistas/altas habilidades: 29.

DADOS DO DCH IV/JACOBINA PARA ESTUDANTES OPTANTES PELAS SOBREVAGAS RESERVADAS AOS:
QUILOMBOLAS: 8
Cristiane Pereira Campos – Lic. Inglês
Taís Soares Farias Pereira – História
Núbia Santana Lomes – Geografia
Tânia Marques Cerqueira – Geografia
Ana Cássia de Oliveira Martinho – Educação Física
Estefane Cambui Vargas – Educação Física.
Agnailton Silva dos Santos - Direito
Vanessa Gonçalves Dias – Direito.

INDÍGENAS: 
Christian de Souza Barros Silva – Direito
Edilene Pereira da Silva Gama - Direito

DEFICIENTES/AUTISTAS/ALTAS HABILIDADES: 
Gustavo Robert Rocha Silva – Direito.

CIGANOS: 
Alane Silva Magalhães – Direito
Luan Costa Mota – Direito.

De quantas gerações de ciganos precisamos ou ainda precisaremos para vê-los numa Universidade Pública? Muitas, daí a importância dessa ação afirmativa da Uneb. Se há uma grande complexidade étnica e cultural entre os Povos Ciganos, bem como da Educação Familiar Cigana (nesse caso do grupo Calon/Jacobina) com a Educação Escolar, creio que o diálogo e o trabalho colaborativo de ambas podem impulsionar, quiçá, o horizonte da Universidade a cada vez mais ciganos.



Agradecimentos:
Comunidade Cigana de Jacobina-BA (Calon, Rom e Sinti);  PROAF, Amélia Maurax, Dina e as demais parceiras dos coletivos Quilombola, Indígenas; Pessoas  com deficiência, transtorno do espectro autista e altas habilidades; Transexuais, travestis e  transgênero;  Prof. Dr. João Rocha UNEB/DCH IV, MPED/DCH IV, Vossa Excelência Reitor José Bites de Carvalho, Amsk/Brasil (Elisa Costa), Prof.Dr.Rodrigo Côrrea Teixeira, Prof.Dr. Jucelho Dantas, Igor Shimura (Antropólogo e pesquisador), Prof.Dr.Martin Fotta, Profa.Dra. Jamilly Cunha, CEEP Felicidade de Jesus Magalhães, Escola Municipal Agnaldo Marcelino Gomes, Escola Núbia Mangabeira, SEMEC/Jacobina. As professoras e pesquisadoras Miriam Guerra, Laudicéia Santos, Sabrina Lima, Geysa Santos e Aderino Dourado. 

Grupo de Estudos Cultura, Identidade e Ciganos – GECIC/UNEB/DCH IV.
Jacobina, 22 de janeiro de 2019.

O Inferno Existe - 1945 - 2020

O Nazismo não começou com mortes e prisões. Ele começou com ideias públicas de uma política que retirava direitos, inferiorizava pessoas...