Amigos do Blog

Pesquisar este blog

Carregando...

sábado, 23 de janeiro de 2016

A DENGUE E AS PRIMAS

O brasileiro certamente é bom em muitas coisas: criativo, piadista, tem o dom do futebol, as mulheres são bonitas, carrega dentro de si o otimismo – apesar das adversidades -, luta pela sobrevivência e via de regra pacífico e trabalhador.

Mas o brasileiro também é desleixado. Basta ver a disseminação do mosquito Aedes aegypti – aquele que transmite as doenças da dengue, chikungunya e zika vírus, que vêm causando tantos transtornos, microcefalia e até a morte. Apesar das campanhas, da enxurrada de informações, das visitas de agentes de saúde, das histórias dos vizinhos que contraíram a doença e de tanto massacre pela mídia, inacreditavelmente há gente que simplesmente ignora o assunto, mantendo focos para a proliferação do mosquito sem se dar conta do perigo. O famoso “não tô nem aí”.http://blogs.odiario.com/bahr-baridades/2015/11/30/dengue-chikungunya-e-zika-virus-doencas-do-terceiro-mundo/

A Dengue e as Primas



PREVENIR = CIDADÃOS = RESPONSABILIDADE DO ESTADO = RESPONSABILIDADE DO MUNICÍPIO = RESPONSABILIDADE DOS GOVERNO FEDERAL.


Hoje falamos de dengue. Muita gente tem nos perguntado sobre homeopatia x dengue e não só pra nós, muitos especialistas em homeopatia, sites especializados tem dado suas considerações e coisas do gênero.

Por exemplo:

Costumamos usar Carbo Vegetabilis na ch 5, nas plantas, nesse período de chuva. Tiramos a água parada é claro, mas esse é o nosso principal problema. Indicar homeopatia específica pra dengue e seus “primos”, foge a nossa linha e vamos dizer porquê.

Você está com dengue, então isso para nós, significa que você já tem o exame que confirma isso. Seu medicamento similimum pode te ajudar nisso.
Entretanto indicar um remédio só pra isso, dentro da homeopatia – para a pessoa, é tratar a consequência e não a causa. E é por esse caminho que pensamos.

Se estiver grávida, use os sais de Schussler, se for idoso, também. Reforce sua imunidade se for criança ou jovem ou adulto. O mosquito está aí, ele só vai acabar quando o nosso país for mais limpo e consciente:


A dengue no Brasil é caso de prisão, irresponsabilidade pura, coisa de doido. A sujeira mata e foi isso que aconteceu.
Um país pobre, sem condições sanitárias adequadas, sem educação popular de saúde, sem a mínima conservação de nossa matas e nosso povo vivendo e morrendo na sua própria sujeira.
Os médicos sanitaristas no nosso país, vem lutando ano após ano, contra tudo e contra todos, procurando evitar esse tipo de epidemia que hoje vemos, sem grandes sucessos.

Lucra o pessoal do fumaceiro, lucra o povo das vacinas e a ordem natural das coisas virou ter filho com o tamanho do cérebro reduzido.

A sujeira se acumula – falta de educação ambiental;

Os esgotos estão entupidos, os rios morrendo e a água boa indo embora. Todo mundo joga tudo em qualquer lugar. Os maiores focos no país são em terrenos abandonados, lixos públicos e espaços que beiram a miserabilidade.

Daí vem alguém e diz que cada um deve fazer a sua parte e que a população tem que ajudar, afinal é apenas um mosquito. E estão certos, não pela hora e nem no contexto do povo brasileiro que paga seus impostos para morar no meio do lixo.

A Dengue e suas primas são responsabilidade de uma política de estado pobre, desonesta e ineficiente. Não é a toa que ela veio acompanhada pela vergonha da saúde pública no Rio, em Brasília, São Paulo e Maranhão. Ví um médico e diretor de hospital citando corajosamente a questão da imagem, da fachada dos hospitais. Mas de deixarem a parte interna, aquela que é humana, jogada as traças.

De quem é a culpa? Da falta de EDUCAÇÃO SOCIAL – EDUCAÇÃO EM DIREITOS HUMANOS. A saúde é direito de todos. Você já deve ter visto isso em algum lugar, mas não é bem assim. A quantidade de desvio de verba e de materiais nos hospitais, não são responsabilidade apenas dos estados, mas dos profissionais que lá estão.
Cuidar da saúde coletiva, cuidar dos hospitais públicos, sem se aperceber que o esgoto continua a céu aberto, que comemos cada vez pior, que a educação foge das salas de aula e muitas tem suas merendas roubadas, que por vezes se forma não médicos, mas semi deuses e que essa categoria precisa sair do chavão de “me formei por vocação” e começar a ver como é a ação, pode ser que consigamos dar valor aos pequenos centros de atendimento espalhados nesse pais, que tem seus recursos desviados.
A dengue e suas primas, vieram coroar um país que tem colocado sua mágoa, sua raiva e seu racismo na pessoa da Presidente e foge o olho em ver que a autonomia dos estados para administrar e gerir gastos, depende das eleições para Governador e prefeito.
Não é falta de dinheiro; é falta de vergonha na cara, de escrúpulo e de educação. Não roubamos os outros, roubamos nossas futuras gerações e nossa própria velhice.
Os mais ricos, frequentam locais com atendimentos variados, são acolhidos nas suas doenças, fazem tratamento fora. Compram suas medicações e em muitas vezes pagam alguém pra entrar na fila dos remédios gratuitos. Mas vemos os planos de saúde cada vez mais recortados, por idade, por gênero, por perguntas e por valor. Ser idoso no Brasil, um idoso normal, custa caro. Se pegar dengue morre ou fica encostado, contando com a ajuda dos parentes (se tiver), pra recolher o lixo. Mas se chover, daí você verá um festival de sacos nas ruas, boiando. Os esgotos entupidos, as obras inacabadas se acabando e sendo levadas pela água, verá também a falta de limpeza e de consciência passando pela sua janela e pela sua calçada e provavelmente vai dizer: que horror, esse povo joga tudo na rua. Falta apontarmos o dedo pra nós mesmos também.

Quando você não encontra uma lixeira na rua, segura ou guarda o lixo pra jogar mais adiante? Isso também é dengue.

Pensa no lixão: chuva, agua parada e lixo. Tudo ao céu aberto. Agora imagina a quantidade de brasileiros que só conseguem se alimentar porque recolhem comida e sustento no lixão. Saneamento básico = dengue.

A vasilha do cachorro, aquela de tomar água. Gente que coloca comida e água para animais. Que adora ficar mostrando pra visitas aquele monte de samambaia e plantas em potinhos, mas não gasta 5’ pra limpar o básico.

O senhor que gosta de acumular pneu velho, só Deus sabe pra que! Não vende, não usa, não dá, não troca e ainda pega dengue.

As empresas e os senhores ricos e milionário que cercou o seu terreno, vizinho dos outros e continua deixando lá, o mato crescer, a água empossar, o pessoal passar e jogar resto de tudo e os seus vizinhos, aquele que o você não respeita, pega dengue.

Falta educação, falta saneamento, falta respeito e sobra dengue. Agora sobrou né?
Não tem saída milagrosa.

Denuncie terrenos vazios e se por acaso tiver dengue porque o foco está num terreno desse, vá ao MP e abra um inquérito de responsabilidade.  

Limpe sua casa e seu quintal, sua janela, seu trabalho e a escola do seu filho, ser chato (a) nessa hora, pode ser fundamental para a sobrevivência da espécie.

Cobre e denuncie a prefeitura, o estado e quem mais for, se os carros estão abandonados, se há entulho, se não coletam lixo.

Capine seu terreno. Isso não é favor, é higiene.


A saída pra dengue é coletiva sim, mas não por causa do surto, porque de certa forma contribuímos com isso, trouxemos a guerra silenciosa pro nosso quintal.
Fora isso; se proteja como puder, quem tem dinheiro compra repelente, quem não tem, usa blusa de manga cumprida. Exija seu exame, você tem direito a ele e a medicação própria, acertada e de graça.
Um dia a gente chega lá, mas não precisamos ir pelas asas da incompetência de estados e municípios em gerir e distribuir recursos e nem pelas asas dessa mosquitinho infame e pintadinho que resolveu pegar carona e deixar suas marcas para as futuras gerações.


 Homeopatas dos Pés Descalços
A medicina pode e deve receber ajuda. Com pequenas atitudes podemos salvar vidas, não como médicos, como pessoas simples, fazendo o simples.

imagens retiradas da net.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Pesquise por matéria específica