Pular para o conteúdo principal

SAIS DE SCHUSSLER – A TEORIA E O CRIADOR.




Wilhelm nasceu na Alemanha em 1821, estudou língua estrangeira – latim, grego, francês, inglês, espanhol e italiano, mas, optou por medicina, na realidade por Homeopatia.

Estudou homeopatia e medicina em quatro universidades e chegando ao seu M.D, retorna a sua cidade natal para clinicar.

Em 1873 ele publica “RESUMO DE TERAPEUTICAS HOMEOPÁTICAS”e em 1874 publica seu primeiro livro, “RESUMO DE TERAPIAS BASEADO NA FISIOLOGIA E PATOLOGIA CELULAR”.
Agora já mundialmente conhecido como Dr. Schussler, ele acopla aos seus trabalhos a forte influencia de dois grandes da medicina e ciência; Rudolf Vichow e Moleschott, definindo por completo sua doutrina: “A restauração das células nas pessoas, resultando na restauração das deficiências dos sais inorgânicos”.

Assim ficou conhecido, como o Sistema de Schussler ou a chamada Teoria Bioquímica. Este por sua vez é um desdobramento da homeopatia e como foram usados 12 sais da medicina homeopática, sua concentração foi densa. Mesmo que saibamos que os sais bioquímicos supram as deficiências dos tecidos e células do corpo e restaurem sua vitalidade, feitos de forma homeopática, eles criam uma espécie de desordem no estímulo da força vital para a formação natural da doença.

Por essa razão a teoria de Schussler ou os Sais de Schussler são considerados como a desordem corporal e homeopaticamente falando, restauram a vida e solucionam a desordem emocional.

Em março de 1873 ele dizia:
Há cerca de um ano, ... se não seria possível curar desde que a afecção fosse curável, por meio das substancias que constituem os remédios das funções naturais, isto é, dos remédios fisiológicos.
Ainda segundo ele, todo distúrbio no movimento molecular desses sais celulares no seio dos tecidos vivos, em consequência de um déficit de sua proporção normal, constitui uma doença. Para combater essa doença e restabelecer o equilíbrio necessário é suficiente administrar esses sais minerais em quantidades mínimas. Assim sendo, “o método bioquímico substitui os esforços curativos da natureza pela substancia que faz falta nas partes afetadas, ou seja, pelos sais inorgânicos”.

BASES DE FREQUENCIA:

Casos agudos – uma dose a cada hora ou duas horas.
Casos crônicos – uma a quatro doses por dia.
Casos severos de dolorimento – uma dose a cada dez ou quinze minutos.

DEFINIÇÕES DE DINAMIZAÇÃO

D12 é para Ferr – p; Sil; Calc – f.
D6 para todos os outros.

TOMADAS SEPARADAS

Calc-f D12
Kali-m D6
Nat-m D6

Ferr-p D12
Calc-p D6
Kali-p D6
Nat-p D6
Mag-p D6

Calc-s D6
Kali-s D6
Nat-s D6

Silícia – D12

Schussler morre em 1898, mas sua obra permanece até hoje, como uma grande contribuição. Vários e vários homeopatas se debruçaram nos seus estudos e no seu sistema. Muitas foram às vitórias em situações difíceis e muitos outros casos e estudos vieram à tona.

O que sabemos é que no período da gestação, ou da gravidez, propriamente dita, o uso dos Sais de Schussler marcou presença e ainda hoje deve ser visto como uma ajuda possível.

Nessa série que encerramos aqui, podemos dar uma ideia mesmo que pequena de toda a abrangência e do papel importantíssimos que os sais bioquímicos têm na nossa vida e na nossa formação. 

A ele, o nosso respeito e o nosso muito obrigada, mesmo depois de mais de cem anos da sua obra. Sua obra faz parte do nosso dia a dia.

Para usa-los de forma correta, consulte um homeopata.

Homeopatas dos Pés Descalços.

Postagens mais visitadas deste blog

IGNATIA AMARA - A CHAVE DO EQUILÍBRIO

IGNATIA AMARA  E A SUA PERSONALIDADE HOMEOPÁTICA
O excesso de luz cega a vista.
O excesso de som ensurdece o ouvido.
Condimentos em demais estragam o gosto.
O ímpeto das paixões perturba o coração.
A cobiça do impossível destrói a ética.
Por isso, o sábio em sua alma
Determina a medida de cada coisa.
Todas as coisas visíveis lhe são apenas
Setas que apontam para o Invisível.

(Tao-Te King, Lao-Tsé) Lao Tsé não tinha conhecimento de homeopatia, mais permeou o mundo das observações de forma intensa e clara, ajudou a dar uma nova visão ao ser humano e até hoje seja no oriente quanto no ocidente, viaja nas mentes de muitos. Ao ler seu pequeno texto a uns bons anos atrás e já com alguma bagagem de filosofia homeopática, me deparei com este, acima citado. Para mim a tradução mais poética de uma personalidade Ignácia. Homeopatas dos Pés Descalços 

Citemos Allen - "As pessoas mentalmente e fisicamente esgotados por uma dor concentrada e prolongada" (Allen) ou ainda "A alteração das condições …

GELSEMIUM - O REMÉDIO DAS GRANDES SENSIBILIDADES

PERSONALIDADES HOMEOPÁTICAS MAT. CEDIDA POR ELISA MACIEL COSTA/ESP.EM HOM/ACUPUNTURA/FITOTERAPIA

Pessoas com grandes fraquezas, com intensa prostração física e mental, chegando ao embotamento cerebral. Medo de cair e de adoecer[*] Histeria e neuroses, comoções e maus efeitos do medo, o remédio das grandes sensibilidades. Sonolencia dos estudantes, as mulheres apresentam  rouquidão durante a menstruação. Sente-se incapaz de enfrentar a vida cotidiana, Incapacidade para assumir responsabilidades, nervosismo de "ator", medo de exames dos estudantes, de aceitar novas tarefas. Evita as aflições da vida. É muito utilizado nas febres agudas ou intermitentes em que há um desejo absoluto de repouso. Na sua grande maioria apresenta ausência de sede, sem calafrios ou suores, piorando à tarde. Seu uso facilita o parto em situações de rigidez do colo uterino e alivia as cólicas menstruais muito fortes.  Apresenta fisicamente uma enorme falta de tônus muscular, torpor, lassidão e tremores, Par…

LYCOPODIUM CLAVATUM

LYCOPODIUM – o medo do conflito
Lycopodium é sem sombra de dúvida, uma das matérias médicas mais extensas dentro da homeopatia e mais interressantes também. Esse indivíduo tem as fases da sua vida bem marcadas, pois apresenta um grande estado distinto entre a infância, a idade mediana e sua idade mais avançada.
Entretanto o Lycopodium se encontra envolto pela covardia, tanto social, moral e física, o que permite ao homeopata analisar de forma cuidadosa essa personalidade, tendo em vista sua enorme capacidade de ser extrovertido, amigável e corajoso, qualidades essas opostas da sua real condição.
Por medo do conflito, Lycopodium foge covardemente.
Seu maior amor será pelo poder e com certeza irá chorar quando for homenageado. A criança Lycopodium
Quando alguém vai a sua casa o seu filho refugia-se por trás dos cortinados ou recusa-se a cumprimentar as visitas? Num primeiro contato é envergonhado? Sempre que o repreende fica com as lágrimas ao canto dos olhos? Tem medo de fantasmas e de dormi…