Amigos do Blog

Pesquisar este blog

Carregando...

quinta-feira, 9 de junho de 2011

ALECRIM – Rosmarinus officinalis L.


ALECRIM – Rosmarinus officinalis L.
UM AMIGO, UMA LENDA



Entre todas as propriedades que já falamos aqui, podemos comentar agora sobre suas propriedades farmacológicas, podemos citar, por exemplo, que o Alecrim é um tônico geral da circulação sanguínea e do sistema nervoso, sendo indicado em casos de esgotamento físico e mental. Isso acontece no mundo todo, alecrim quase como mato e ninguém se apercebe da sua valiosa ajuda. É ligeiramente diurético, estimulando as funções renais, isso significa que pode ajudar e muito, quando feito em forma de chá ou de água a manter limpos os rins, o alecrim é uma prevenção e tanto nesses casos. Atua sobre a secreção biliar. É digestivo, atuando contra a formação excessiva de gases e também auxiliando na digestão de gorduras, isso acontece a médio prazo e o mais indicado é a água de alecrim:

 
. Coloca-se 1 litro de água pra ferver e quando ela alcança a fervura, desligue e ponha uma colher (sopa) de alecrim seco ou natural. Tampe deixe esfriar por 30’. Coe e vá colocando 3 dedos de chá de alecrim e o restante de água até encher o copo. Dão uns 8 copos. Se quiser faça a metade. Com a urina saem às impurezas da digestão e é claro que ajuda a limpar todo o canal urinário. 

Com isso é um excelente ajudante para os que têm a pressão alta.


Possui ainda um efeito hepatoprotetor e uma atividade antiinflamatória, indicado contra afecções reumáticas e articulares. Como sua bebida é refrescante mais ajuda a abaixar a pressão arterial, existem óleos feitos de alecrim que podem ser aplicados na pele, em compressas, no caso dos reumatismos, ajudam muito. Externamente, estimula a circulação local e alivia as dores.

O alecrim tem fama nas seguintes áreas: 

No couro cabeludo, em forma de xampu ele estimula a circulação e o crescimento capilar.
Ação anticaspa e previne a queda de cabelo.

É bom que se diga aqui que tudo em excesso faz mal e apesar das pessoas acharem que fitoterapia é bobagem, melhor ficar atento as altas doses, grávidas deve tomar o chá na quantidade de 1 xícara ao dia e fraco. Em excesso ele é abortivo.

Nos moldes científicos é assim que se apresenta o Alecrim:


Nome Científico: Rosmarinus officinalis L.

Indicações Terapêuticas: Estimulante estomacal, combate os gases intestinais e as cólicas (carminativa), é anti-séptica e aumenta a transpiração. Usada em casos de falta de apetite, nervosismo, problemas digestivos e bronquites. Externamente é usada para combater reumatismo.

Composição química: Óleo essencial contendo principalmente pinene, canfero, borneol, acetato de bornila e cânfora. Das folhas foi isolado o diterpeno rosmaricina.

Parte usada: folhas e inflorescências.

Toxicologia: Doses altas ou uso prolongado pode causar gastrenterites e/ou nefrites.



Normalmente feito acima da DH2, para evitar toxidade, ao utilizarmos essa planta dentro da homeopatia, percebemos mentalmente essa personalidade é ansiosa e sua memória insuficiente.

Existem 3 situações que nos chamam a atenção:

1. Os espasmos no peito com sensação e sentimento de opressão;
2. Sonolência exagerada, bocejando o tempo todo;
3. Calafrios por todo o corpo e com muita freqüência, pés congelados e logo em seguida apresenta um quadro de febre constante e baixa.

As três situações acima citadas não são difíceis de serem encontradas por mulheres em período menstrual conturbado, em situações de depressão ou tristeza profunda. Rosmarinus é um amigo e tanto, de Ignatia, Pulsatilla, Belladonna, Arsenicum e por aí a fora.

Suas vertigens são com peso e dormência o que resulta em tensão na cabeça. A dormência específica na cabeça é um fator indicativo para Rosmarinus.
A digestão lenta provoca dores de estômago, ansiedade e angústia que vão desembocar em uma cefaléia.
Auxilia na menstruação dolorosa, precoce e pesada, seguida de pés frios.

Assim é o alecrim, presta socorro aquele que precisa, de forma doce e meiga, abranda as tensões e se volta para o alto, como se rezando e pedindo ajuda. Um grande amigo de muitas homeopatias. Nasce sem que peça ajuda, nasce nas vias, perto da mar, nos desertos, típica do mediterrâneo e muito encontrada em todo o mundo. Emprestou seu nome e sua história a todos que dele precisaram e espero que continue nos dando saúde, aroma e aconchego.


Retirado do livro “A dieta de Jesus – Os segredos da Bíblia para uma alimentação saudável” de Heloísa Bernardes.(ABAIXO)


O alecrim é usado por cozinheiros e boticários desde os tempos mais remotos. Com fama de reforçar a memória, logo se tornou o emblema da fidelidade dos amantes. Costumava-se queimar alecrim resinoso no quarto dos doentes para purificar o ar, e espalhar os ramos nos tribunais, a fim de afastar a “febre das cadeias” (tifo).
Durante a peste, era transportado em bolsinhas em volta do pescoço, que se cheiravam quando se viajava por zonas suspeitas. Em algumas aldeias, põe-se a roupa branca a secar em cima do alecrim para que o sol liberte o seu aroma, que repele as traças. Também é uma boa planta para vedação de jardim.

Além do alecrim comum, existem muitas variedades, incluindo uma nova e vigorosa, chamada Swyer´s Selections, com grandes flores malva-azuladas, que pode atingir 2,5 metros em três anos. Há também uma variedade com as extremidades douradas e os textos antigos mencionam outra prateada. Atribuem-se poderes místicos ao alecrim, “Planta que só nasce no jardim dos justos”.

Algumas dicas:

• Chá: juntar água fervendo sobre as folhas e extremidades floridas na proporção de uma xícara de chá para 8 a 10 gramas de erva fresca, ou 4 a 5 gramas de erva seca. Cubra e deixe repousar até chegar à temperatura adequada para ser ingerida.
• Infusão: Colocar de 100 a 500 gramas de folhas e/ou extremidades floridas num balde de água. Cozinhar de 20 a 40 minutos. Coar e despejar na água do banho. Fortifica as crianças fracas e auxilia nos casos citados acima.
• Sumo: o sumo seco e o pó das folhas servem para cicatrizar feridas.
• Vinho: 1 litro de vinho, 25 gramas de folhas de alecrim, 20 gramas de sálvia e 15 gramas de mel. Aquecer em banho-maria por 20 minutos. Repousar até esfriar. Tomar um cálice antes das refeições.
• Maceração: para cada copo de água, unir 10 gramas de folhas de alecrim, raízes de urtiga e bardana. Deixar em contato por no mínimo uma noite, no sereno e, no máximo, 15 dias. Fazer fricções no couro cabeludo. Faz o cabelo crescer e escurecer.
•  Essência: usada para afastar traças.
• Culinária: Condimento em patês, molhos, saladas e temperos.

 Um carinho com cheiro de Alecrim.

HOMEOPATAS DOS PÉS DESCALÇOS

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Pesquise por matéria específica