Amigos do Blog

Pesquisar este blog

Carregando...

terça-feira, 28 de dezembro de 2010

DROSERA ROTUNDIFÓLIA - ENTRE A GULA E A MAGREZA.

A PERSONALIDADE DE DRÓSERA

Drosera é o seguinte: desconfia de todos os seus amigos, até da sombra deles, mas quando adoece sua tristeza piora muito se estiver sozinho.
Sua ansiedade é bastante grande e voltada para os alimentos – certeza de que vai faltar, de que a comida vai acabar, é o chamado guloso, aquele que poderia ter dado o fato ao nome ou vice versa. Não existe um Drosera Rotundifolia sem comer tudo o que acha pela frente e até acabar – crises de ansiedade.  “verificação clássica da pré crise – surto ou transtorno de ansiedade.”
Outra classificação clássica da Drosera é daquela pessoa que se chateia se alguém colocar as compras encima do fogão, se a roupa foi dependurada da esquerda para a direita e tudo é muito sério, a raiva se instala por qualquer motivo que seja por coisas do dia a dia. Aborrecimentos por trivialidades.
Disperso – esse é outro ponto clássico para essa medicação, Drosera é totalmente disperso, muda a sua atenção a toda a hora. Dificuldade de concentração.

Drosera não sente que está sendo perseguido, ele tem todo o quadro de ilusão da perseguição, ele tem certeza disso.

Sua maior tendência é a de se afogar, na maioria das vezes não é fã da água e sempre tem uma história de medo sobre o fato. Ama sorvete e é capaz de apontá-lo como seu alimento predileto. Odeia carne de porco e não suporta alimentos ácidos, pois esses provocam contração. Neste caso ocorrem náuseas e dores estomacais (observe nux vômica) que aqui é uma das suas medicações complementares, assim como Veratrum (ilusão real) e carb. Veg.

Tem tendência ao emagrecimento mesmo sendo uma draga na comida, o que leva muitas vezes a desconfiança da diabetes, sem tê-la. Conhece o magro que parece uma draga? Essa é a Drósera.
Essa personalidade tende a piorar muito no período da noite, até aí tudo bem, entretanto se fizer calor a noite, vai piorar muito. Uma das doenças comumente associadas e observadas a ela é a tuberculose – crianças que comem muito e são raquíticas - tendem a tossir demasiadamente quando colocam a cabeça no travesseiro, por conseguinte são um bom perfil para se desconfiar de Drosera.
A tosse de Drosera:
Constante, tosse em crianças, de “titillating” começa assim que cabeça toca travesseiro à noite (Bell, Hyos, rum).
Tosse noturna de pessoas jovens; expulso sangrento ou purulento. Tosse: pelo carinho, beber, cantar, RIR, choro, mentir, depois da meia-noite.
Durante a tosse; vômitos de água abundantes, muco e muitas vezes sangramento no nariz e boca (Taça.). 


Hahnemann diz (Mat. MED. Pura.): "uma dose única da atividade trigésima é suficiente para curar inteiramente epidemia de coqueluche. A cura ocorre seguramente entre sete e oito dias. Nunca dê uma segunda dose imediatamente após o primeiro; ele só não impediria o efeito positivo da antiga, mas seria prejudicial".

Fisicamente esse é seu maior paradoxo: “Esfriamento paroxístico da metade esquerda da face, como defesa dores e calor seco da metade direita”. Sua vertigem ocorre ao andar e sua tendência a queda, bem como a própria queda é para o lado esquerdo. 

Marcadamente afeta os órgãos respiratórios e foi apontado pelo Hahnemann como o principal remédio para tosse whooping. Drosera pode derrubar a resistência ao bacilo e, portanto, deve ser capaz de aumentar a ele (Dr. Tyler). Vômitos de alimentos da tosse com irritação gástrica e expectoração profusa. 

“A peste. Com o rosto quente, mãos frias, sem sede. Sempre é demasiado frio, mesmo na cama. Curiosamente, foi recomendado por médicos alemães do século XVIII como uma panacéia para afecções de peito. Serrand, de Paris (traduzido H. r, vi. 153) mantém que Drosera tem um papel importante na profilaxia de bacilo. As indicações pedindo na fase de pré - monitoramento são: Palidez, fraqueza, perda de apetite, tosse seca, emaciação”. 

Sabidamente a Drósera é muito usada em casos de asma quando ao falar existe uma contração na garganta, e isso ocorre a cada palavra que venha a pronunciar.

 NO MAPA A DEMARCAÇÃO EM CORES DOS PRINCIPAIS LOCAIS ONDE ESSA PLANTA HABITA.
Quando procuramos por essa medicação, é comum encontrarmos a seguinte descrição:


Drosera rotundifolia

Tosse espasmódica, com acessos prolongados, terminando em náusea e vômito prolongado. Mania de perseguição. Asma, Bronquite, Tuberculose persistente e Coqueluche que às vezes é acompanhada de perda de sangue pelo nariz.

Drósera quando mata suas presas, suga seus nutrientes e tão atraente, com seu brilho molhado, se fecha subitamente e mata o que estiver no seu interior, tamanho seu poder de contração e com ácidos e venenos. É também atribuída a ela as contrações dos escritores – “câimbra de escritor”. Não subestime sua tristeza, é profunda. Resiste e vive em locais frios e de pobreza de nutrientes, ela vai resistir e tirar o que precisa de qualquer inseto que nela pousar.

Frio, muito frio, tristeza e solidão, a humanidade já viu esse filme antes e Drósera conhece bem essa realidade.

Homeopatas dos Pés Descalços
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Pesquise por matéria específica