Amigos do Blog

Pesquisar este blog

Carregando...

terça-feira, 7 de dezembro de 2010

CAMPHORA OFFICIALIS - Antídoto e veneno


A PERSONALIDADE HOMEOPÁTICA DE CAMPHORA é muito próxima de suas principais queixas físicas. É assim que iremos vê-la.


Camphora é uma das personalidades mais imprecionantes que já vi...deixo um pouco das minhas impressões com vocês.
Elisa Costa


Essa medicação ocupa a preocupação de alguns pesquisadores da Homeopatia pois acaba por eliminar o efeito homeopático, interferir na sua condução, seja pelo uso da pedra em álcool – excelente para dores nas pernas, seja com arnica em imersão ou outras formas. Sabemos que o uso da Camphora na forma externa deve ser feita pelo ao menos 2 horas pra mais ou pra menos de qualquer ingestão de medicação homeopática, evitando o risco da anulação do efeito da medicação.

Esse alívio também me impressiona, todas as virtudes de Camphora são o oposto dele. Melhor, todos os alívios que ele produz são no caso o oposto da sua personalidade quando adoecida.

O Dr. John Clarke costumava dizer que as insônias que são acompanhadas de pernas frias ou em todas as espécies de dores internas, súbitas, devidas a resfriamentos ou de outra forma, Camphora, em doses rapidamente repetidas é excelente.

Mais Camphora melhora da sua dor quando pensa nela, nesse caso e em várias complementações, Cantharis se aproxima de Camphora "no intuito de complementar essa medicação". 

Quando o Dr. Bayes falava dela, costumava afirmar: que nos ataques histéricos e violentos, a administração de uma gota de Camphora sobre torrões de açúcar de 5 a 10’ de espaçamento é extremamente eficiente.

Boenninghausen defendia a cura da Erisipela pelo uso de Camphora, feita em tempo curto e também aplicada sucessivamente. Uma dose de 15 em 15’.

Quando o sarampo não vai bem, é em Camphora que pensamos, pensamos nela também quando observamos um caso extremo de colapso com aversão ao calor, aí temos os sintomas físicos de Camphora em primeira mão, ou seja, em todas as moléstias sejam quais forem que apresentarem colapso violente – cólera infantil, cólera asiática, febre tifóide, febre perniciosa, choque traumático, broncopneumonia com colapso -  Camphora é o primeiro remédio que se deva pensar. Dr. Nash.

Fiquei pensando porque Apis seria uma medicação inimiga de Camphora, Apis sonha, Camphora é insensível, não se compadece. Se não sente, é insensível, compreende-se porque não suporta o calor, este é simplesmente insuportável para ele. Sua fisionomia acompanha a imagem que temos de filmes aonde monstros insensíveis e sem coração agem...gélidos, lábios azuis, face pálida, sem vida e todo o corpo é frio como o gelo. (veratrun tem partes geladas como o gelo) Camphora não, é todo gélido.

Nas crises, nos colapsos, existe angústia e ansiedade, não sentimentos, esses se esvaem. Seu único medo é de estar só a noite – não confunda com Stram – este tem vários medos e os nomeia. Camphora não.

Quanto a Catalepsia – É um distúrbio que impede o doente de se movimentar, apesar de continuarem funcionando os sentidos e as funções vitais. A pessoa fica parecendo uma estátua de cera. Se ela estiver sentada e alguém posicionar seu braço para cima, ela permanecerá assim enquanto durar o surto. Dr. Ivan Izquierdo/ Neurocientista, da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). 

O ataque cataléptico pode durar de minutos a alguns dias e o que mais aflige quem sofre da doença é ver e ouvir tudo o que acontece em volta, sem poder reagir fisicamente. As causas, porém, ainda são um mistério, apesar de não faltarem hipóteses e especulações. A origem do problema pode ser tanto externa como um traumatismo craniano, quanto congênita má formação em alguma região cerebral. Dr. Vanderlei Cerqueira Lima/Neurologista, do Hospital Albert Einstein, em São Paulo.

Trata-se de uma manifestação de esquizofrenia ou histeria, no segundo caso geralmente ligada a choques emocionais. Além disso, ocorre em pacientes com distúrbios do sono e pode, ainda, ser um tipo de manifestação de epilepsia, em que a pessoa fica imóvel em vez de ter convulsões. Marcio Versiani/Psiquiatra, da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). 

Camphora é a primeira indicação para Catalepsia, vejam que a descrição do que é, feita pelo Psiquiatra e sua visão de deficiências emocionais combina com a descrição primorosa de outros Homeopatas, fazendo a ponte entre o estado físico e o psíquico. É aí que encontramos uma personalidade Camphora – briguento, combativo, daqueles que tem mania de discutir por qualquer coisa. Seu estado de hipotermia é físico e mental, sua catalepsia idem, ambas combinam com sua insensibilidade.

Desejos sexuais são quentes por natureza, Camphora os reprime e os suprime, sua dermatite é após exposição solar e suas cistites que não são poucas, são queimantes, produzindo profunda irritação. Nessa hora poderá perceber seu corpo gélido. Ele (a) odeia o sol, roupas cobertas, gestos histéricos, suas nefrites são crônicas ou agudas, mais sempre dolorosas e quentes.

Por esses motivos essa personalidade acaba por se isolar em vários sentidos, costuma ser bastante inteligente, mais como não consegue conviver bem com as pessoas sem se irritar. E não se preocupe, ele não vai chorar, ter pena e muito menos você vai conseguir atingi-lo com palavras. Camphora tem uma pedra de gelo no coração.

Agora, não podemos deixar de observar o fator sugestionável dessa personalidade. Gelar sem ter medo, abaixar os próprios batimentos cardíacos por pressão ou outro fator qualquer nos leva a perceber que essa personalidade pode receber ajuda desde cedo, se percebermos isso a tempo. Personalidades Camphora, nascem muito perto de outras e se acostumam com insensibilidades ou reações bruscas. Observe não existe perversão, existe falta de sentimentos quentes, que arrebatam o coração, aceleram o sangue, alimentam e fazem o corpo se locomover. É o tipo de Personalidade que precisa de ajuda de algumas áreas em conjunto.
 
HOMEOPATAS DOS PÉS DESCALÇOS

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Pesquise por matéria específica