HOMEOPATIA E ALGUMAS VERDADES

Dr. Luc Montagnier

Prêmio Nobel de Medicina - 2008




Artigo escrito por Amarilys Cesar.
 
Artigo de Dana Ulmann e Tradução de Amarilys de Toledo Cesar

CLIQUE AQUI e veja a Loja de Livros Homeopáticos de Dana Ulmann!
Este texto foi publicado em inglês no The Huffington Post em 14 de maio de 2012. Para ver o artigo em Inglês CLIQUE AQUI!

Dr. Luc Montagnier, o virologista francês que ganhou o Prêmio Nobel em 2008 por descobrir o vírus da Aids, surpreendeu a comunidade científica com o seu forte apoio à medicina homeopática.

Em uma entrevista notável publicado na revista Science de 24 de dezembro de 2010 (1), Professor Luc Montagnier, manifestou o seu apoio para a especialidade médica da medicina homeopática, muitas vezes criticada e incompreendida. Embora a homeopatia tenha persistido por 200 anos em todo o mundo e tem sido o principal método de tratamento alternativo utilizado por médicos na Europa (2), a maioria dos médicos convencionais e cientistas expressaram ceticismo sobre sua eficácia devido às doses extremamente pequenas dos medicamentos utilizados.

A maioria das pesquisas clínicas realizadas sobre os medicamentos homeopáticos publicada em revistas científicas têm mostrado resultados clínicos positivos (3, 4), especialmente no tratamento de alergias respiratórias (5, 6), gripe (7), fibromialgia (8, 9), artrite reumatóide (10), diarreia infantil (11), de recuperação pós-cirúrgica de cirurgia abdominal (12), deficit de atenção (13) e redução dos efeitos secundários do tratamento do câncer convencionais (14). Além de ensaios clínicos, várias centenas de estudos de pesquisa básica confirmaram a atividade biológica de medicamentos homeopáticos. Um tipo de estudos chamados de estudos in vitro, encontraram 67 experimentos (1/3 deles repetições), sendo que quase 3/4 de todas as repetições tiveram resultados positivos (15, 16).

Além da grande variedade de evidências provenientes da ciência básica e da pesquisa clínica, mais uma evidência para a homeopatia reside no fato de que a homeopatia ganhou popularidade na Europa e os EUA durante o século 19 devido aos impressionantes resultados com experiências no tratamento de epidemias que se alastraram durante esse tempo, incluindo a cólera, febre tifóide, febre amarela, escarlatina e gripe.

Montagnier, que também é fundador e presidente da Fundação Mundial para Pesquisa e Prevenção da AIDS, afirmou: "Eu não posso dizer que a homeopatia está certa em tudo. O que posso dizer agora é que as altas diluições (usadas em homeopatia) estão certas. Altas diluições de algo são diferente de nada. Eles são estruturas de água que imitam as moléculas originais."

Aqui, Montagnier está fazendo referência à sua pesquisa experimental que confirma uma das características controversas da medicina homeopática que utiliza doses de substâncias que são submetidas a diluição sequencial com agitação vigorosa entre cada diluição. Embora seja comum para cientistas modernos assumir que nenhuma das moléculas originais permanecem na solução, a investigação Montagnier (com outros de muitos dos seus colegas) verificou que os sinais electromagnéticos do medicamento original permanecem na água e tem dramáticos efeitos biológicos.

Montagnier acaba de assumir uma nova posição na Universidade Jiaotong, em Xangai, China (esta universidade é muitas vezes referida como "MIT da China"), onde vai trabalhar em um novo instituto que leva seu nome. Este trabalho enfoca um novo movimento científico na encruzilhada da física, biologia e medicina: o fenômeno das ondas eletromagnéticas produzidas pelo DNA em água. Ele e sua equipe vão estudar tanto a base teórica e as possíveis aplicações na medicina.

A nova pesquisa de Montagnier está investigando as ondas eletromagnéticas que, segundo ele, emanam do DNA altamente diluído de vários patógenos. Montagnier afirma: "O que descobrimos é que o DNA produz mudanças estruturais na água, que persistem em diluições muito altas, e que levam a sinais eletromagnéticos ressonantes que podemos medir. Nem todo DNA produz sinais que podemos detectar com o nosso dispositivo. Os sinais de alta intensidade são provenientes de DNA bacteriano e viral."
Montagnier afirma que estas novas observações irão conduzir a novos tratamentos para muitas doenças crônicas comuns, que incluem autismo, doença de Alzheimer, doença de Parkinson e esclerose múltipla.
Montagnier escreveu sobre suas descobertas em 2009 (17). Em seguida, em meados de 2010, ele falou em um encontro de prestígio, para colegas ganhadores do Prêmio Nobel, onde ele manifestou interesse sobre a homeopatia e as implicações deste sistema de medicina (18).

Leis de aposentadoria francesas não permitem que Montagnier, com 78 anos de idade, trabalhe em um instituto público, limitando assim o acesso ao financiamento da pesquisa. Montagnier admite que a obtenção de fundos de agências financiadoras de pesquisa farmacêutica e convencionais é improvável, devido ao clima de antagonismo com a homeopatia e as opções de tratamento natural.

Apoio de outro ganhador do Prêmio Nobel
A nova pesquisa de Montagnier evoca memórias de uma das histórias mais sensacionais da ciência francesa, muitas vezes referida como o "caso Benveniste”. Um imunologista altamente respeitado Dr. Jacques Benveniste, que morreu em 2004, conduziu um estudo que foi replicado em três outros laboratórios universitários e publicado na revista Nature
(19). Benveniste e outros pesquisadores usaram doses extremamente diluídas de substâncias que criaram um efeito sobre um tipo de glóbulo branco chamado basófilos.

Embora o trabalho de Benveniste foi supostamente desmascarado
(20), Montagnier considera Benveniste um "Galileu moderno" que estava muito à frente de seu tempo e que foi atacado por investigar um assunto médico e científico que a ortodoxia tinha erroneamente ignorado e até demonizado.

Além de Benveniste e Montagnier, é também a opinião de peso do doutor Brian Josephson, que, como Montagnier, é um cientista ganhador do Prêmio Nobel.

Respondendo a um artigo sobre homeopatia na revista New Scientist, Josephson escreveu:
“Quanto às suas observações sobre as alegações feitas pela homeopatia: críticas centradas em torno do número muito pequeno de moléculas de soluto presentes em uma solução, após ela ter sido repetidamente diluída, são irrelevantes, uma vez que os defensores dos medicamentos homeopáticos atribuem os seus efeitos, não a moléculas presentes na água, mas a alterações da estrutura da água.”
Uma análise simplista pode sugerir que a água, sendo um líquido, não pode ter uma estrutura do tipo que esse quadro exigiria. Mas casos como o de cristais líquidos, que enquanto fluem como um líquido comum, podem manter uma estrutura ordenada ao longo de distâncias macroscópicas, mostram as limitações de tais formas de pensar. Não apresentam, com o melhor de meu conhecimento, quaisquer refutação contra a homeopatia, que permanece válida após ter em conta este ponto em particular.

Um tópico relacionado é o fenômeno, reivindicado por Jacques Benveniste, por sua colega Yolène Thomas e por outros, como experimentalmente bem estabelecido, é conhecido como "memória da água". Se válido, esse seria de maior importância do que a homeopatia em si, e que atesta a visão limitada da comunidade científica moderna que, longe de apressar-se em testar essas alegações, tem como única resposta seu repúdio
(21).

Após seus comentários, Josephson, que é professor emérito da Universidade de Cambridge, na Inglaterra, foi questionado pelos editores da New Scientist sobre os motivos por ter se tornado um defensor das idéias não convencionais. Ele respondeu:
“Eu fui a uma conferência onde o imunologista francês Jacques Benveniste estava falando pela primeira vez sobre sua descoberta de que a água tem uma "memória" de compostos que foram dissolvidos nela - o que poderia explicar como a homeopatia funciona. Suas descobertas provocaram forte reações irracionais de cientistas, e fiquei impressionado como ele foi tratado (22).
Josephson descreveu como muitos cientistas hoje sofrem de "descrença patológica", isto é, sobre eles é colocada uma atitude não científica, que é incorporada pela ideia de que "mesmo se fosse verdade, eu não acreditaria."

Ainda mais recentemente, Josephson ironicamente respondeu à ignorância crônica da homeopatia pelos céticos, dizendo:
"A idéia de que a água pode ter uma memória pode ser facilmente refutada por qualquer um, através de diversos argumentos facilmente compreensíveis e inválidos."

Na nova entrevista na revista Science, Montagnier também expressou preocupação real sobre a atmosfera não científica que atualmente existe em torno de certos assuntos não convencionais, como homeopatia.
"Disseram-me que algumas pessoas têm reproduzido os resultados de Benveniste, mas eles têm medo de publicá-los por causa do terror intelectual das pessoas que não os compreendem."

Montagnier concluiu a entrevista quando perguntado se ele está preocupado que ele está à deriva em pseudociência, ele respondeu sem hesitação: "Não, porque não é pseudociência. Não é charlatanismo. Estes são fenômenos reais que merecem um estudo mais aprofundado."


A desinformação que os céticos divulgam

É notável que muitos céticos da homeopatia dizem que não há "nenhuma pesquisa" que mostre que os medicamentos homeopáticos funcionem. Tais declarações são claramente falsas, e ainda, são comuns na Internet e mesmo em alguns artigos científicos. Basta um pouco de pesquisa para descobrir muitos estudos de alta qualidade que têm sido publicados em conceituadas revistas médicas e científicas, incluindo a Lancet, BMJ, Pediatrics, Pediatric Infectious Disease Journal, Chest e muitas outras. Embora algumas dessas mesmas revistas também publicaram pesquisas com resultados negativos para a homeopatia, há muito mais pesquisas que mostram um efeito positivo, ao invés de negativo.

Distorções e desinformação sobre a homeopatia são previsíveis porque este sistema de medicina proporciona uma ameaça viável e significativa para os interesses econômicos na medicina, e muito menos para a própria filosofia e visão de mundo da biomedicina. Portanto não surpreende que a British Medical Association, a Associação Médica Britânica teve a audácia para se referir à homeopatia como "bruxaria". É bastante previsível que quando se vai em caça às bruxas, inevitavelmente encontre-se "bruxas", especialmente quando existem certos benefícios para demonizar um concorrente potencial (a homeopatia desempenha um papel muito maior e mais competitivo na Europa do que nos EUA).

Os céticos da homeopatia também afirmam há muito tempo que os medicamentos homeopáticos têm "nada" neles porque eles são muito diluído. No entanto, nova pesquisa realizada no respeitado Indian Institute of Technology, o Instituto Indiano de Tecnologia, confirmou a presença de "nanopartículas" das matérias-primas, mesmo em diluições extremamente altas. Pesquisadores demonstraram pela Microscopia de Transmissão Eletrônica (TEM), difração de elétrons e análise química por Inductively Coupled Plasma-Atomic Emission Spectroscopy (ICP-AES) ou Espectroscopia de Emissão Atômica-Plasma Indutivamente Acoplado, a presença de entidades físicas nestas diluições extremas (24). À luz desta pesquisa pode-se agora afirmar que qualquer pessoa que diz ou sugere que há "nada" em medicamentos homeopáticos, ou é desinformado ou simplesmente não está sendo honesto.

Uma vez que os pesquisadores receberam a confirmação da existência de nanopartículas em dois diferentes homeopáticos altas potências (30C e 200C), testando quatro medicamentos diferentes (Zincum metallicum/Zinco, Aurum metallicum/Ouro; Stannum metallicum/estanho; e Cuprum metallicum/cobre), puderam concluir que este estudo forneceu "evidências concretas".

Embora os céticos da homeopatia podem supor que doses homeopáticas são ainda muito pequenas para apresentarem qualquer ação biológica, tais suposições têm sido provadas como erradas. O campo multi-disciplinar dos efeitos de pequenas doses é chamado de "hormese", e cerca de 1.000 estudos de uma ampla variedade de especialidades científicas confirmaram efeitos biológicos significativos e por vezes substanciais de doses extremamente pequenas de certas substâncias em certos sistemas biológicos.


Uma edição especial da revista científica Human and Experimental Toxicology (Julho 2010), foi dedicado à interface entre hormese e homeopatia (25). Os artigos desta edição verificaram o poder de doses homeopáticas de várias substâncias.


Em conclusão, deve notar-se que o ceticismo sobre qualquer assunto é importante para a evolução da ciência e na medicina. No entanto, como mencionado acima pelo Prêmio Nobel Brian Josephson, muitos cientistas têm uma "descrença patológica" em determinados assuntos e, finalmente, criam uma atitude não saudável e não científica que bloqueiam a verdade e a ciência reais. 

O ceticismo está no seu melhor papel quando seus defensores não tentam cortar pesquisas ou acabar com a conversa, mas sim explorar possíveis novas (ou velhas) formas de entender e verificar fenômenos estranhos, mas convincentes. Nós todos temos esse desafio quando exploramos e avaliamos os efeitos biológicos e clínicos dos medicamentos homeopáticos.


REFERÊNCIAS:
(1) Enserink M, Newsmaker Interview: Luc Montagnier, French Nobelist Escapes "Intellectual Terror" to Pursue Radical Ideas in China. Science 24 December 2010: Vol. 330 no. 6012 p. 1732. DOI: 10.1126/science.330.6012.1732
(2) Ullman D. Homeopathic Medicine: Europe's #1 Alternative for Doctors. http://www.huffingtonpost.com/dana-ullman/homeopathic-medicine-euro_b_402490.html
(3) Linde L, Clausius N, Ramirez G, et al., "Are the Clinical Effects of Homoeopathy Placebo Effects? A Meta-analysis of Placebo-Controlled Trials," Lancet, September 20, 1997, 350:834-843.
(4) Lüdtke R, Rutten ALB. The conclusions on the effectiveness of homeopathy highly depend on the set of analyzed trials. Journal of Clinical Epidemiology. October 2008. doi: 10.1016/j.jclinepi.2008.06/015.
(5) Taylor, MA, Reilly, D, Llewellyn-Jones, RH, et al., Randomised controlled trial of homoeopathy versus placebo in perennial allergic rhinitis with overview of four trial Series, BMJ, August 19, 2000, 321:471-476.
(6) Ullman, D, Frass, M. A Review of Homeopathic Research in the Treatment of Respiratory Allergies. Alternative Medicine Review. 2010:15,1:48-58. http://www.thorne.com/altmedrev/.fulltext/15/1/48.pdf
(7) Vickers AJ. Homoeopathic Oscillococcinum for preventing and treating influenza and influenza-like syndromes. Cochrane Reviews. 2009.
(8) Bell IR, Lewis II DA, Brooks AJ, et al. Improved clinical status in fibromyalgia patients treated with individualized homeopathic remedies versus placebo, Rheumatology. 2004:1111-5.
(9) Fisher P, Greenwood A, Huskisson EC, et al., "Effect of Homoeopathic Treatment on Fibrositis (Primary Fibromyalgia)," BMJ, 299(August 5, 1989):365-6.
(10) Jonas, WB, Linde, Klaus, and Ramirez, Gilbert, "Homeopathy and Rheumatic Disease," Rheumatic Disease Clinics of North America, February 2000,1:117-123.
(11) Jacobs J, Jonas WB, Jimenez-Perez M, Crothers D, Homeopathy for Childhood Diarrhea: Combined Results and Metaanalysis from Three Randomized, Controlled Clinical Trials, Pediatr Infect Dis J, 2003;22:229-34.
(12) Barnes, J, Resch, KL, Ernst, E, "Homeopathy for Post-Operative Ileus: A Meta-Analysis," Journal of Clinical Gastroenterology, 1997, 25: 628-633.
(13) M, Thurneysen A. Homeopathic treatment of children with attention deficit hyperactivity disorder: a randomised, double blind, placebo controlled crossover trial. Eur J Pediatr. 2005 Dec;164(12):758-67. Epub 2005 Jul 27.
(14) Kassab S, Cummings M, Berkovitz S, van Haselen R, Fisher P. Homeopathic medicines for adverse effects of cancer treatments. Cochrane Database of Systematic Reviews 2009, Issue 2.
(15) Witt CM, Bluth M, Albrecht H, Weisshuhn TE, Baumgartner S, Willich SN. The in vitro evidence for an effect of high homeopathic potencies--a systematic review of the literature. Complement Ther Med. 2007 Jun;15(2):128-38. Epub 2007 Mar 28.
(16) Endler PC, Thieves K, Reich C, Matthiessen P, Bonamin L, Scherr C, Baumgartner S. Repetitions of fundamental research models for homeopathically prepared dilutions beyond 10-23: a bibliometric study. Homeopathy, 2010; 99: 25-36.
(17) Luc Montagnier, Jamal Aissa, Stéphane Ferris, Jean-Luc Montagnier, Claude Lavallee, Electromagnetic Signals Are Produced by Aqueous Nanostructures Derived from Bacterial DNA Sequences. Interdiscip Sci Comput Life Sci (2009) 1: 81-90.
http://www.springerlink.com/content/0557v31188m3766x/fulltext.pdf
(18) Nobel laureate gives homeopathy a boost. The Australian. July 5, 2010. http://www.theaustralian.com.au/news/health-science/nobel-laureate-gives-homeopathy-a-boost/story-e6frg8y6-1225887772305
(19) Davenas E, Beauvais F, Amara J, et al. (June 1988). "Human basophil degranulation triggered by very dilute antiserum against IgE". Nature 333 (6176): 816-8.
(20) Maddox J (June 1988). "Can a Greek tragedy be avoided?". Nature 333 (6176): 795-7.
(21) Josephson, B. D., Letter, New Scientist, November 1, 1997.
(22) George A. Lone Voices special: Take nobody's word for it. New Scientist. December 9, 2006.
(23) Personal communication. Brian Josephson to Dana Ullman. January 5, 2011.
(24) Chikramane PS, Suresh AK, Bellare JR, and Govind S. Extreme homeopathic dilutions retain starting materials: A nanoparticulate perspective. Homeopathy. Volume 99, Issue 4, October 2010, 231-242.
(25) Human and Experimental Toxicology, July 2010: http://het.sagepub.com/content/vol29/issue7/
To access free copies of these articles, see: http://www.siomi.it/siomifile/siomi_pdf/BELLE_newsletter.pdf


Homeopatas dos Pés Descalços
Feliz em transcrever

Comentários

  1. Senhoras, congratulações pelo site! Gostaria de saber se há homeopatia para falta de apetite infantil? Qual? Muito Obrigada, Fabiana

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Fabiana, existe sim ...

      Existe um anjo chamado Angélica (Archangelica officinalis): Dizem que, um dia, o anjo Gabriel, compadecido dos males que afetam os homens, decidiu oferecer-lhes um presente. Escolheu um arbusto alto, que chegava a dois metros e meio de altura, e entregou a eles. O mundo, então melhorou. A saúde e a harmonia reviveram entre os povos. Em homenagem ao anjo, os homens resolveram chamar a planta de Angélica. E desde então a utilizam como medicamento, aromatizante e na composição de um licor famoso, o strega. Ajuda a tratar de: Acidez estomacal, falta de apetite, problemas digestivos.

      Aqui ele pode ser usado no meio de xaropes com mel, em extrato fluido ou em globulos.

      um abraço,

      a equipe.

      Excluir
    2. Como consigo? Como uso? Muito Obrigada, Fabiana

      Excluir
    3. Fabiana,

      Consegue em farmácias homeopáticas e de manipulação.
      Caso seja xarope com base mel - de 200 a 300 ml - nesse período é bom, ajuda a prevenir as gripes, por causa do mel, não serve se tiver problemas com taxas de açuçar.

      Em glóbulos - são 15 gramas - na d6 - salivar 2 gbls/3x ao dia - normalmente se faz assim.

      Verifique sempre a taxa de anemia dela e não coloque muita comida, talvez esse empedimento seja seu e não dela. Existem crianças que precisam de menas alimentação e ficam bem, outras é uma fase apenas. Mantenha os exames caso seja preciso a interferencia de um pediatra e ou de uma nutricionista.

      um abraço,

      a equipe.

      Excluir
  2. Minha família reclama muito do me modo de vestir e mesmo sem falar nada concordo com eles. Sou desarrumada, me visto com roupas largas, não gosto de nada justo (tb sou gordinha com barriga), não faço, nem pinto as unhas, não me produzo ndm um pouco. Por favor, tem alguma homeopatia e floral que me ajude? Obrigada, Regina

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Regina, tem como começar sim, mas vai depender de vc também, o mais difícil já conseguiu. Admitiu que isso também te incomoda.

      Leia Sépia e Thuya pra começar,

      Floral: Vervain, Walnut, Olive e Oak - tudo junto, 10 gtas - 4x ao dia.

      O que aconteceu? nos conte.

      um abraço,

      a equipe.

      Excluir
  3. Oi. Tenho 23 anos e fico muito no computador, em vez de fazer as outras coisas que preciso, perco muito tempo, sabe? Tem como vcs me ajudarem? Obrigada, Luana

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Luana,

      Isso é um vício, as vezes não admitimos o nom, mas é isso aí, então mãos a obra.
      Precisa viver a vida real, assim a vida virtual pode ajudar e ser benéfica, o contrário é desastrozo.

      Avena Sativa tem muito a ver com isso, dê uma lida nela e depois nos diga o que achou.

      De flora, tente Rock rose - 20 ml/10 gtas a noite e rescue remedy - 20 ml/10 gts, 2 x ao dia.

      um abraço,

      a equipe.

      Excluir
    2. Legal, vou usar o floral, obrigada. Li e achei q Avena Sativa tem tudo a ver. Como devo usar? Obrigada d novo! Abraços, Luana

      Excluir
    3. Luana,
      Avena sativa na ch 5 é mais para estruturas física, então o que a gente acredita é que se deve usar no seu caso, estruturas mais emocionais. Assim uma dose única de 15ml na ch 30 agora e outra dose de ch 200 (15ml) daí a uns 30 dias seria bom.

      Essa é nossa dica, mas não se esqueça que deve usar de bom senso tá? comece a se colocar regras.

      um abraço,

      a equipe.

      Excluir
  4. Preciso muito da ajuda da homeopatia? Sabe o burro empacado, sou eu! Tento, tento, mas não vou para frente, não avanço. Posso até dar um passo, que logo após recuo dois, sei lá por que? Agradeço sua ajuda, Eduarda

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eduarda,

      leia Lycopodium e Pulsatilla pra começar...Graphites deve ser visto também.

      Quanto aos florais, esses são Mineiros:

      Emilia: dúvidas; falta de autoconfiança em si mesma e indecisão nas coisas mais banais da vida.
      Eucalyptus: oscilação entre viver e querer morrer; constantes distúrbios respiratórios. Sofre em silêncio.
      Ficus: indecisão e irritabilidade durante o período menstrual, lhe falta clareza mental.

      Qual se parece mais com vc?

      um abraço,

      a equipe

      Excluir
    2. Pulsatilla e emília. Agradeço sua ajuda, Eduarda

      Excluir
    3. Essa é a nossa sugestão Eduarda, que bom que se identificou com Emília - 60ml ___ 4 gtas ____ 4x ao dia e 20 gts ao deitar. Se for pior pela manhã, inverta.

      Pulsatila - 15 ml de dose única na ch 30, depois de 30 dias tome uma dose na ch 200.

      um abraço,

      a equipe.

      Excluir
  5. Olá, tenho um tipo de TOC leve, tenho mania de limpeza (lavo várias vezes a mão). Tem homeopatia, floral, etc para isso? Ágata

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ágata, primeiro leia thuya e Natrum Sulphuricum, vja se há semelhança. Mas bryonia é mais para manias.

      O floral de chamonilla é o mais indicado/ 10 gts - de 3 a 5 x ao dia, em água.

      um abraço,

      a equipe.

      Excluir
  6. Muito boa as matérias e a ajuda ofertada pelo site. Sabe eu me posiciono no dia a dia de maneira pouco política e polida, sou muito agressiva socialmente (sem traquejo, sem modos), mas não sinto raiva não, é mais postural mesmo (meio masculina). Obrigada pela ajuda, Clara

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Clara,

      leia Ignatia Amara, a matéria I e a II, depois diga o que achou.

      um abraço,

      a equipe.

      Excluir
  7. Por favor, vcs poderiam me indicar uma formula floral para dormir melhor? Grata, Gabi

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Gabi,

      Insônia, preocupação, medo, choro, cansaço físico, stress ou balada???

      nossa sugestão é:

      60 ml de vervain, walnut, olive e oak - 20 gts as 18:00 hs e 40 gts na hora de deitar. Depois que normaliza, se retira as 20 gts e fica só com as 40. Entretanto precisa atacar o problema diretamente tá? Insônia merece cuidados.

      um abraço,

      a equipe.

      Excluir
    2. Insonia, preocupação (não relaxo), medo e hábitos notívagos. Tudo isso me causa insonia. Grata, Gabi

      Excluir
    3. Gabí,

      Dê uma lhada nessa matéria e depois diga o que mais se pareceu com vc.
      http://homeopatiaparamulheres.blogspot.com.br/2011/12/insonia.html

      um abraço,

      a equipe.

      Excluir
  8. Tenho 18 anos e tou no vestibular. Dá uma preguiça grande estudar tanto (eu gosto d praia e surf). Além disso não sei o quero: fazer medicina ou direito. Vcs podem me indicar uma homeopatia e floral q me ajude na dúvida e no estudo? Obrigado, Pedro

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ei Pedro, que legal. No fundo acreditamos que as duas áreas são dinâmicas, mas possuem uma diferença básica: sangue ou papel? jaleco branco ou terno e gravata? hospital ou forum?
      As duas salvam vidas e são de grande valia, precisa de gente e muito.

      Não deixe de ir a praia e não deixe de surfar, mas aprenda que nessa nova fase da sua vida, precisa fazer as duas coisas juntas. Essa sensibilidade é própria de Gelsemium, com grandes sensilidade, o mar dá isso aos seus amantes.

      Eis a nossa sugestão:
      Seria uma dose de ch 200 - dose única de 15ml.
      O floral é que pode ser a "fórmula de exame" - floral de minas, 5 gts direto na boa, umas 4 a 6 vezes ao dia.

      Pedro, essa é uma fase difícil pra todos e tem que estudar mesmo, então, põe pé firme e trabalha pra surfar no havaí, na califórnia e daí por diante.

      um abraço e boasorte,

      a equipe

      Excluir
  9. Uso lycopodium 6ch, 3 globulos, 3 x ao dia para erros de linguagem (por conta própria) a 16 dias e ainda não notei diferença alguma. Será o homeopatico certo? Eu troco palavras, em vez de uma coisa digo outra. Agradeço a ajuda, Laura

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Laura, porque troca as palavras, por pressa, nervoso, medo de nunca falar nada certo, ansiedade???

      Muitas vezes o cérebro pensa mais rápido que a condução verbal se faz assim, atabalhoada.

      aguardamos resposta,

      um abraço,

      a equipe.

      Excluir
    2. É verdade, meu cérebro pensa mais rápido que a eu falo. Acho que sou meio sem atenção (distraída. Tb sou nervosa, medo de não fazer nada certo e ansiedade. Obrigada, Laura

      Excluir
    3. Laura, leia:

      http://homeopatiaparamulheres.blogspot.com.br/2011/08/medo.html e veja o que acha de Magnésia Carb. e Calcárea Carbônica.

      um abraço,

      a equipe.

      Excluir
  10. Olá, quando cismo com alguma coisa fico obsecada, (não descanso, nao relaxo) até resolver. É muito cansativo, perco a dimensão do que tem importancia e não vejo mais nada em volta. Tem florais e homeopatia q possa me ajudar? Obrigada, Míriam

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mirian,

      leia Lachesis, Staphiságria, Belladonna e veja se alguma delas se encaixa com vc.

      Tem floral sim:
      60 ml de vine, vervain e chicory - 4 gts ___ 6x ao dia, é floral de levar na bolsa tá?

      um abraço,

      a equipe.

      Excluir
  11. Nao sei se o fato de ter perdido um ente querido qubndo era criança contribuiu para isso, mas eu tenho um medo enorme (pavoroso) de perder meus entes queridos. Depois sinto medo de morrer. E mais depois ainda de ser ridicularizada. Pode me ajudar com a homeopatia? Obrigada, Ana

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ana,

      Arsenicum, Palladium, Natrum Muriaticum e Calcarea Carb. Leia e diga o que achou.

      outro texto bom é esse: http://homeopatiaparamulheres.blogspot.com.br/2011/08/medo.html

      um abraço,

      a equipe.

      Excluir
  12. Oi, sou a Joana. Sou distraída, tenho uma péssima memória e troco as palavras do quero dizer muitas vezes, pareço maluca. Por favor tem florais para isso? E homeopatia tem? Muito Grata

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Joana,

      leia Baryta carb e Lycopodium e depois diga o mais se parece com vc emocionalmente.

      Floral: 30 ml de clematis _____ 7 gts ___ 2 x ao dia.
      Se não tiver problemas com a glicose, costuma-se tomar um cálice de cajuína ou de suco de uva concentrado no meio das refeições, faça isso por 60 dias.

      um abraço,

      a equipe.

      Excluir
    2. Obrigada vou fazer o floral e procurar a cajuína. Me achei em lycopodium, como uso? Muito grata, Joana

      Excluir
    3. Joana

      Nossa sugestão é:

      30ml na ch 12 - 10 gts ___3 x ao dia/bata 50x antes de cada tomada. Assim a potencia vai mudando.

      Tivemos uma outra idéia:

      Para ajudar procure tomar suco de morango, é anti anêmico, coloque mais torrada que pão e verifique a sua alimentação. Na dúvida, procure ajuda de um nutricionista.

      um abraço,

      a equipe.

      Excluir
  13. Bom dia. Tenho muitas manias, podem me ajudar? Muito obrigada, Tati

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tati, leia: thuya e Natrum Sulphuricum, vja se há semelhança. Mas bryonia é mais para manias, mas procure mais que as suas manias...veja no que se parece com vc.

      um abraço,

      a equipe.

      Excluir
  14. Tenho um padrão de comportamento muito desregrado e gostaria de mudar. Mas como? A homeopatia tem como auxiliar? Agradeço muito, Leila

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Leila,

      Primeiro de tudo é muito legal ter se dado conta disso, agora é achar o meio termo.

      Primeiro anote seus principais focos a consertar e depois, leia: AVENA SATIVA E NUX VOMICA.

      Floral: IPOMEA: vida desregrada, vícios em drogas e bebidas; embotamento cerebral e alcoolismo.

      um abraço,

      a equipe.

      Excluir
    2. Avena Sativa, obrigada, como uso? Leila

      Excluir
    3. Leila, nossa sugestão é de que para se mudar comportamentos, devemos avaliar cotidiano, hábito e aí a ajuda.

      1. quanto mais urinar, melhor, limpa o corpo - beba água e sucos de polpa.
      2. tome um floral - IPOMEA pela manhã - 10 gts e depois repita a dose a tarde.
      3. Avena sativa em dose única - ch 30, depois de 15 dias, na ch 200. reveja seus hábitos depois e tudo o que anotou, talvez precise alterar.

      Pense em procurar ajuda especializada, caso o proplema seja mais conflituoso.

      um abraço,

      a equipe.

      Excluir
  15. Acho tenho uma depressão + leve. Sei lá, um tipo de distimia, pois tenho vários sintomas. Sou tb uma pessoa sempre do contra. Como a homeopatia poderia me auxiliar? Obrigada, Sandra

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sandra, esse do contra é mal humor?

      leia: leia lachesis e lycopodium

      veja o que acha.

      um abraço,

      a equipe.

      Excluir
    2. Li, mas não sou lachesis.Tenho mais a ver com lycopodium.
      Esse mal humor faz parte dos meus sintomas, mas eu acho que é uma estado depressivo leve, prolongado e crônico (distimia). É uma tristeza, uma incapacidade, uma sufocação no peito, uma estagnação. Sou sonolenta, preguiçosa, como muito, não me arrumo, não saio, não trabalho, não me divirto... Obrigada, Sandra

      Excluir
    3. Sandra, só por desencargo de consciencia, leia Ignatia Amara, não pelo humor em sí, mas pela pressão no peito ... pereceu a Ignatia em desequilíbrio. Leia e nos diga o que achou?

      um abraço,

      a equipe.

      Excluir
    4. Ih! Confudi tudo, sou Ignatia e Lycopodium. Obrigada, Sandra

      Excluir
    5. Sandra ... devagar, leia Ignatia I e II,

      Separe num papel pontinhos que se pareçam mais com vc, de um e de outro, dê preferencia a estruturas emocionais e depois veja quem ganhou...combinado?

      um abraço,

      a equipe.

      Excluir
    6. Li e reli, muito dífil decidir, mas apesar de não ter totalmente certeza fico com Ignatia. Como usar? Agradeço muito, Sandra

      Excluir
    7. Sandra, á diferença é:

      ignáia tem esse lado feminino vivo, se adoecer é que pode perder isso...então em algum momento da sua vida vc já deve ter se emplogado em se pintar, se arrumar, ficar poderosa.
      Lycopodium não tem isso.

      nossa sugestão é: como ignátia ajuda nesse equilíbrio, tome uma dose única de ch 30 ... pode ser que chore um pouquinho, mas tudo bem. Depois vemos como fica.

      A dose única é de 15ml.

      um abraço,

      a equipe.

      Excluir
    8. É verdade na infancia e parte da adolescencia eu adorava me arrumar (anéis, esmaltes, etc). Obrigada por tudo, Sandra

      Excluir
    9. Ignatia amara pode ser sim sua personalidade. Quando adoecemos por dentro, mudamos os nossos sonhos e isso segue e cresce, mudando tudo o mais.

      Não deixe de ler Ignatia I e II de vez em quando, sempre achamos algo mais.

      um abraço e votos de que tudo se resolva bem.

      a equipe.

      Excluir
  16. Sou uma pessoa desesperançosa, sem perspectivas no futuro, q nã faço nada para melhorar. Mas ao mesmo tempo sou grata, pois tenho uma filha linda, saudável, maravilhosa. Angela

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Angela, leia calcárea carb e thuya, comecemos por aí.
      thuya é a minusvalia e calcarea tem esse sentimento todo, mas carrega a falta de animo e o sentimento a flor da pele.

      Tem um floral chamado olive que é muito bom, pode tomar 5 gts ___ 6 x ao dia. Pode ajudar.

      um abraço,

      a equipe

      Excluir
  17. Li varias matéria do site e gostaria duas consultas:
    Tenho um desanimo crônico, não acredito que seja depressão, ta ,mais para cansaça e preguiça crônica mesmo. Minha amiga, terapeuta floral me recomendou gentian e equinácea e estou usando. Mas estava pensando na homeopatia Phosphoricum acidum (é uma tristeza que não vai embora, uma nostalgia que se prolonga. A grande diferença dessa medicação é que o físico se recente claramente e em conjunto apresenta esgotamento físico, cansaço e esgotamento nervoso) (ou Zincum (detesta esforço, não gosta de exercícios de caminhar, correr e de nada que lhe de trabalho e lhe exija esforço). Por favor, o q vcs acham?

    Outra ajuda é para minha filha de 08 anos, nem na adolescência está mais é muito agressiva verbalmente. Estou dando Calêndula, Vervain, impatiens e Walnut. Vcs podem sugerir algum homeopático q ajude na questão?

    Muito obrigada, Wanda

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi anda,

      Na nossa opinião, separe zinco e Phosphoricum ac., veja emocionalmente qual tem mais a ver com vc, leia também gelsemium, o remédio das grandes sensibilidades. Só depois vá para o físico.

      Um deles deve apresentar mais coisas em comum com vc.
      Não sabemos a sua idade, mas deve manter seus exames de hormônio e outros em dia, deve ver também se tem alguma mudança brusca de comportamento ou se vc sempre foi assim.

      De floral preferimos:

      Vervain, olive e oak - 10 gts ___ 4 x ao dia.

      A agresividade seja verbal ou não, tende pro lado de chamar a atenção ... e pelo visto não é desanimada. pense nas ações dela por outros angulos.
      leia staphisagria e lachesis, sabemos que ela ainda é criança, então leia com as devdas proporções tá?

      um abraço,

      a equipe.

      Excluir
    2. Quanto a mim: zinco (tb tenho d gelsemium). Quanto a minha filha: staphisagria; ela é refinada, artística, boa corporalmente, preocupada com os outros, preocupada que gostem dela. Agradeço a ajuda, Wanda

      Excluir
    3. Wanda, nossa sugestão é que comece vc por gelsemium, as vezes e nesses casos, onde existe essa visão de parecer e dessa sensibilidade é legal que se comece com uma dose única, para dar força e segurança. Na ch 200 e depois vemos o que se segue e de que jeito, vc verá as diferenças emocionais.

      Não se esqueça dos exames.

      Para a pequena nossa sugestão é: na ch 5 staphiságria/1x ao dia---20 gts, mas bata o frasco 50x antes de nova dose.

      um abraço,

      a equipe.

      Excluir
  18. Olá , tenho filho de 3 anos e 6 meses que é muito agitado, não aceita nada da nossa maneira quer que seje tudo da sua,em casa fala muito na escola não mas não para quieto um só minuto lá .
    Fui ao neurologista disse que era hiperativo e quis passar ritalina , não aceiteio e tento procurar outra alternativa por isso peço ajuda e outra coisa tem mania por carrinho não larga por nada ..me ajudem
    Sheila .. sheila -silva 1@live.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Sheila,

      Argentrum Nitr seria o que mais chega perto dessa agitação, da pressa de não perder um minuto seguer, mas com essa idade, nossa sugestão é que veja os florais para a noite e Argentum Nitricum - na ch 5 - 2 gts em água ou suco, dia sim/dia não.

      Rescue remedy em gbls - 20 grs - salivar dois gbls no início da tarde e depois mais dois no final.

      Dá um equilíbrio, quanto ao carrinho, pode ser apego, medo de perder o que ama ou pode ser fixação emsmo, porque gosta muito.

      Veja e nos diga mais.

      um abraço,

      a equipe.

      Excluir
  19. Olá.
    Teria como vocês me mandarem um link com testes duplo-cego que mostrem a eficácia da homeopatia?

    Obrigada,
    Gertrud.

    E-mail: razzzzx@yahoo.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Gertrud,

      algumas coisinhas,

      http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0034-72992003000300008

      http://bases.bireme.br/cgi-bin/wxislind.exe/iah/online/?IsisScript=iah/iah.xis&src=google&base=LILACS&lang=p&nextAction=lnk&exprSearch=410557&indexSearch=ID

      Da USP:

      Homeopathic Individualized Q-potencies versus Fluoxetine for Moderate to Severe Depression: Double-blind, Randomized Non-inferiority Trial.
      Adler UC, Paiva NM, Cesar AT, Adler MS, Molina A, Padula AE, Calil HM.

      Department of Psychobiology, Universidade Federal de São Paulo, R. Napoleão de Barros, 925 São Paulo, SP 04024-002, Brazil. hmcalil@psicobio.epm.br.

      Homeopathy is a complementary and integrative medicine used in depression, The aim of this study is to investigate the non-inferiority and tolerability of individualized homeopathic medicines [Quinquagintamillesmial (Q-potencies)] in acute depression, using fluoxetine as active control. Ninety-one outpatients with moderate to severe depression were assigned to receive an individualized homeopathic medicine or fluoxetine 20 mg day(-1) (up to 40 mg day(-1)) in a prospective, randomized, double-blind double-dummy 8-week, single-center trial. Primary efficacy measure was the analysis of the mean change in the Montgomery & Asberg Depression Rating Scale (MADRS) depression scores, using a non-inferiority test with margin of 1.45. Secondary efficacy outcomes were response and remission rates. Tolerability was assessed with the side effect rating scale of the Scandinavian Society of Psychopharmacology. Mean MADRS scores differences were not significant at the 4th (P = 0.654) and 8th weeks (P = 0.965) of treatment. Non-inferiority of homeopathy was indicated because the upper limit of the confidence interval (CI) for mean difference in MADRS change was less than the non-inferiority margin: mean differences (homeopathy-fluoxetine) were -3.04 (95% CI -6.95, 0.86) and -2.4 (95% CI -6.05, 0.77) at 4th and 8th week, respectively. There were no significant differences between the percentages of response or remission rates in both groups. Tolerability: there were no significant differences between the side effects rates, although a higher percentage of patients treated with fluoxetine reported troublesome side effects and there was a trend toward greater treatment interruption for adverse effects in the fluoxetine group. This study illustrates the feasibility of randomized controlled double-blind trials of homeopathy in depression and indicates the non-inferiority of individualized homeopathic Q-potencies as compared to fluoxetine in acute treatment of outpatients with moderate to severe depression.

      Esperamos ter ajudado,

      boa leitura e um abraço,

      a equipe.

      Excluir
  20. Gostei muito deste blog e acho que ele pode me ajudar.
    Tenho um filho , hoje com 16 anos , e desde os cinco anos fiz acompanhamento homeopatico com ele para crises de bronquite.
    Quando entrou na adolescencia, ele começou apresentar dispersão, apatia , só queria ficar deitado o sofá vendo tv.Nesta época, a homeopata receitou um medicamento dose única, não me lembro o nome. Aos quinze anos fizemos uma consulta com um homeopata que receitou lycopodium ch 30 por 3 semanas.
    Pesquisando o lycopodium, se encaixa perfeitamente no perfil do meu filho, inclusive o balançar da cabeça, o medo das pessoas, o medo de não conseguir.
    Posso repetir o tratamento com o lycopodium agora? Já tem seis meses que ele usou.
    Gostaria de saber também dos efeitos colaterais do lycopodium.
    Aguardo resposta.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Anônimo,

      não existem efeitos colaterais, pode existir alguma reação no conjunto todo, mas é sempre para mover o estado parado e apático.

      O ideal mesmo, seria nudar pra ch 100 - por 1 semana, esperar 45 dias e mudar ára ch 200 - 1 semana. Na dúvida, volte ao homeopata que o atendeu, pode confiar, as coisas mudam. A também esse período crítico da idade e de cobranças.

      um abraço,

      a equipe.

      Excluir
  21. Boa noite,adoro este site, estou fazendo homeopatia há 1 ano e estou tentando ajudar a mim e familia. Fui hoje ao neuro com meu fiho de 15 anos, que reclama não consegue estudar muito concentrado. Fez exames não deu nada mas foi receitado ritalina. Não aprovo, ja que ele não tem nada. Queria um remedio: ele ja teve sindrome do panico, transtorno pos traumatico depois que o mesmo queimou a perna com fogo.Ele é nervoso, ciumento com a irma, cultua muito luxo (mesmo não tendo),sonha muito alto (que me preocupa) Adora doces, é meio medroso, não anda de elevadores, dorme bem, muito mau humorado. Me ajudem qual remedio posso passar.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada pelo carinho e pela atenção.

      Leia gelsemium, que muito se assemelha a essa fase da vida.
      Leia drósera também. Vamos devagar e quem sabe poderemos achar uma ajuda possível.

      Os florais são sempre uma boa opção, leia-os e diga quias se assemelham a ele.

      um abraço,

      a equipe.

      Excluir

Postar um comentário

A ÚNICA CONDUTA ACEITA PARA COMENTAR É A GENTILEZA.

Postagens mais visitadas deste blog

LYCOPODIUM CLAVATUM

GELSEMIUM - O REMÉDIO DAS GRANDES SENSIBILIDADES

IGNATIA AMARA - A CHAVE DO EQUILÍBRIO