Amigos do Blog

Pesquisar este blog

terça-feira, 30 de agosto de 2011

MEDO


Quando um homeopata dirige a sua consulta para um maior esclarecimento do que está acontecendo e de como ajudar, proporcionando um tratamento mais inteiro, uma das principais perguntas é: DO QUE VOCÊ TEM MEDO?

A identificação do medo ocupa para a Homeopatia Clássica o carro chefe do descortinamento da deficiência. Sua identificação precisa é um divisor de águas para o homeopata e uma barreira a ser transposta pelo paciente.

E o assunto é vasto. Existem dentro da homeopatia, doze partes bem interessantes que norteiam as bases de uma investigação séria por parte do homeopata. No fundo existem bem mais que doze, mas ficaremos com elas, por terem maior aplicabilidade no dia a dia. 

Claro que este estudo faz parte de um pequeno esboço, no qual visa apena e tão somente algumas colocações básicas, para que essa definição seja feita com clareza, é necessário uma consulta aberta e franca, um profissional com capacidade de percepção e como todo na vida, boa vontade e tranqüilidade. Nem sempre desvendar o medo é fácil, por vezes não sabemos que ele existe ou o subjugamos.

Medo
Possibilidade de medicação/personalidade
Da morte
Acônitum, Phosphorus e Agnus castus, Carcinosinum, Platina, Arsenicum, Gelsemium, Calcária, Lac C.
De ser envenenado
Belladonna, Rhus tox, Lachesi, Hyosciamus e Kalí Brom.
De enlouquecer
Arsenicum, Calcária Carb., Cimicifuga, Iodum, Medorrhinum, Alumina, Pulsatilla
De uma forma geral
Digitalis, Aconitum, Calcarea, Stramonium, Scutellaria, Natrum Ph., Psorinum, Sépia, Ignatia, Zinco ph., Grafites.
De tempestades
Phosphorus, Natrum carb., Rhododendron, Sépia, Thuya..
De morrer sozinho
Arsenicum
De multidões
Aurum met. (antropofobia)
De cachorros
Belladonna, China, Tuberculinum.
Da chuva
Calcárea, Elaps e Rhododendron
De parecer ridículo
Arsenicum, Palladium, Natrum Muriaticum e Calcarea Carb.
De objetos pontegudos
Alumina, Nux Vômica, Silícea.
Do espaço
Arnica, Bryonia e Ignatia.
De modo geral a dinamização é feita na 30.ª. uma dose a cada dois dias. (sob orientação).


O medo é um sentimento que proporciona um sinal de alerta. Geralmente as pessoas se sentem ameaçadas de forma psicológica ou física.  Quando esse sentimento cresce costumamos nomear de pânico ou pavor. Sabemos da descarga de adrenalina devido a reações físicas, do coração que dispara com aceleração cardíaca e dor tremores involuntários.  Esse sentimento descontrolado pode fazer com que a pessoa fique ligada na tomada, atenta a tudo que aconteça a seu redor, pode cair em depressão ou pode simplesmente entrar em pânico. 

Medo é uma reação obtida a partir do contato com algum estímulo físico ou mental (interpretação, imaginação, crença) que gera uma resposta de alerta no organismo. Esta reação inicial dispara uma resposta fisiológica no organismo que libera hormônios do estresse (adrenalina, cortisol) preparando o indivíduo para lutar ou fugir.(*)

Antes do medo temos a ansiedade e depois dele temos a fobia (doença). No caso da ansiedade a antecipação dos fatos esclarece as reações, seja por objetos, pessoas, eventos, lugares, situações e etc... quando o medo atinge a vida social do indivíduo de forma restritiva ou quando esse limite é demarcado por sofrimento psicológico (depressão/pânico) está mais que ligado o sistema de alerta.

O psicólogo português Armindo Freitas-Magalhães cria, em 2009, Escala de Percepção do Medo (EPM). O método é considerado pioneiro. Aqui. (*)
Xenofobia, uma doença desconhecida

Podemos dizer que xenofobia é o medo excessivo e descontrolado do desconhecido. Assim sendo é uma doença, pois já se classifica nas fobias (as doenças do medo).  A xenofobia trás consigo a ansiedade clínica e bastante significativa, terror persistente, terror irracional e excessivo, evitam o contato e envolvimento com qualquer estranho, angústia extrema, aumento da tensão arterial, aumento da freqüência cardíaca, inclusive provocar um ataque de pânico.
Conhecemos o termo Xenofobia ligado a aversão a outras raças e culturas. É associado à fobia em relação a pessoas ou grupos diferentes, com os quais o indivíduo que apresenta a fobia habitualmente não entra em contato ou evita fazê-lo.

O que são atitudes xenofóbicas? Incluem desde o impedimento à imigração de estrangeiros ou de pessoas pertencentes a diferentes culturas e etnias, consideradas como ameaça, até a defesa do extermínio desses grupos. Por esta razão a xenofobia tende a ser normalmente associada a preconceitos étnicos ou ligadas a nacionalidade. Estereótipos pejorativos de grupos minoritários e conflitos de crenças que podem levar um indivíduo ao ódio.
Guido Bolaffi. Dictionary of race, ethnicity and culture. SAGE Publications Ltd., 2003. Pp. 331.
Guido Bolaffi. Dictionary of race, ethnicity and culture. SAGE Publications Ltd., 2003. Pp. 332.
Guido Bolaffi. Dictionary of race, ethnicity and culture. SAGE Publications Ltd., 2003. Pp. 332.



AS FOBIAS
(Por Patrícia Lopes - Equipe Brasil Escola)

Fobia (do Grego φόβος "medo"), em linguagem comum, é o temor ou aversão exagerada ante situações, objetos, animais ou lugares. Fobia origina-se do grego phobia, que significa medo intenso, ou irracional, aversão, hostilidade. 

Sob o ponto de vista clínico, no âmbito da psicopatologia, as fobias fazem parte do espectro dos transtornos de ansiedade com a característica especial de só se manifestarem em situações particulares.

São três os tipos básicos de fobias:
  1. Agorafobia - Medo de estar em lugares públicos concorridos, onde o indivíduo não possa retirar-se de uma forma fácil ou despercebida.
  2. Fobia Social - Medo perante situações em que a pessoa possa estar exposta a observação dos outros, ser vítima de comentários ou passar perante uma situação de humilhação em público.
  3. Fobia Simples - Medo circunscrito diante objetos ou situações concretas.

A fobia é um dos transtornos de ansiedade mais apresentados pelo ser humano e um dos distúrbios psicológicos mais estudados. Os sintomas são: transpiração excessiva, taquicardia, náusea, vertigem, calafrios, dor no peito, sensação de falta de ar e formigamento.
 
 Muitos Neurocientistas explicam que a causa da fobia pode estar relacionada com fatores biológicos, como um aumento do fluxo sanguíneo e maior metabolismo no lado direito do cérebro em pessoas fóbicas.

Uma lista prática e rápida da identificação das fobias você encontra aqui.

HOMEOPATAS DOS PÉS DESCALÇOS

sexta-feira, 26 de agosto de 2011

CALCÁREA FOSFÓRICA - A personalidade de uma constituição.


CALCÁREA FOSFÓRICA
(Calcárea phosphorica)

CRISTAIS DE FOSFATO
A personalidade de uma constituição.



Vários estudiosos e autores deixam isso bem claro, é certo que CALCÁREA PHOSPHÓRICA é uma medicação constitucional por excelência. O Dr. Boericke costumava afirmar que para além de um grande remédio constitucional da infância, poderia se notar a sua precisão durante todas as fases da vida. Tanto na constituição óssea, na alimentação, na formação dos tecidos ou promovendo a multiplicação celular, quanto no raquitismo. Essa calcárea tem o seu diferencial, mas fará parte da vida de todos nós, ou melhor, ela tem de fazer parte.


A sua aplicação física é vastamente conhecida e vamos aqui elucidar alguns fatos, entretanto é na sua estrutura mental que conseguimos unir a mente/físico de forma inteira. 

Calcium phosphoricum
Indicado para as pessoas de constituição fraca, em geral magras, de cor amarelada; para os casos de crianças que apresentam dores características do crescimento, ossos fracos com tendência à fratura e com extremidades frias. Muito útil na dentição tardia e para o tratamento das fontanelas (moleiras) que demoram a fechar.

A sua falta de vitalidade é mental, emocional e física. Pudera, ser insatisfeito interiormente, significa sofrer quando vê sua vida, quando pensa em si mesmo. Sabe que algo está errado, mas mesmo assim não consegue dizer o que é. Por isso essa personalidade é chamada de tônico real – especialmente na pré adolescência, onde a debilidade e fraqueza infantil se acentuam muito, aí essa medicação é quase um milagre, a atividade geral do organismo e o sistema glandular, ganham vida mais ordenada, saindo a irritabilidade, incompreensão, falta de concentração e do marasmo, da apatia que costuma ocorrer. 

Daí seguimos a linha e chegamos a falta de interesse nas coisas, nas rotina – se não há concentração, o pensar cansa e debilita muito, trazendo irritabilidade. Nos afetos também, não há firmeza, há indiferença. Mais tarde a demência senil entrou para alargar essa lista.
 Tirando seu efeito em relação ao raquitismo – específico de comunidades extremamente carentes (Chifre da África hoje) - FOME, as pessoas muito magras de pele morena são as mais específicas dentro da constituição dessa matéria, mas existe o oposto, gordinhas e amarelas, dentes amarelos.
 
Raquitismo é uma doença decorrente da mineralização inadequada do osso em crescimento, ou seja, da placa epifisária. Está entre as doenças mais freqüentes da infância em muitos países em desenvolvimento. A causa predominante é a deficiência de vitamina D, seja por exposição insuficiente à luz solar ou baixa ingestão através da dieta; mas a deficiência de cálcio na dieta também pode gerar um quadro de raquitismo.


Em criança tudo começa lento, fontanelas que não se fecham ou se abrem logo depois, retardo na fala, dificuldade de crescimento, o atraso a aprender a andar, magreza, anemia, coloração amarelada, sem vida. Difícil de falar e difícil de andar. Ainda existe o oposto, que são as crianças gordinhas, mas moles, sem resistência alguma, seus ossos são moles e instáveis, com muitas caries, com vontade de comer comidas defumadas e salgadas e que logo após comer, vomitam o que comeram e continuam com fome, a pedir comida. Dentição lenta e retardada. Imaginem essa importância para as mães futuras – eis os sais, nele se encontra a Calcárea phosphorica e não é atoa.

No caso do reumatismo em tempo úmido (não é preciso estar frio), das vertigens, das tuberculoses pulmonares, fraturas (em idosos), fistulas, dores no anús seguidas de hemorróidas e diarréia explosiva e esverdeada – fiquemos atentos a deficiência dessa medicação nos idosos. No caso das incontinências noturnas e no freqüente desejo de urinar ocorre em qualquer idade.

Na puberdade e em especial nas mulheres, muito se pode dizer: além de mais tarde estar presença na gestação de nossos futuros filhos, quando estamos menstruando a dor de cabeça se localiza exatamente no alto e no meio da cabeça. É comum acharmos que o osso está mole. Temos assaduras no meio das pernas, pelo calor intenso, temos diarréias quentes e fezes quentes também, antes do período começar. Se uma má notícias nos é dada de repente, isso cai como uma bomba. Suspirentas no período menstrual, não raciocina direito, quer ficar quieta, não quer ninguém perto, só quer viajar.

As crianças, os adolescentes, adultos e idosos gemem, murmura, falam a noite, se queixam e sempre pensamos em Chamomilla, pois observe também essa Calcárea.

Quando se quer viajar, caminhar, passear, sair, sempre quer ir a algum lugar. Então decide: “Quero ficar em casa”. Quando  estiver em casa, quer sair, indo de um lado para outro. Inquietação e insatisfação – deseja muito viajar (Tub).

O fato dessa personalidade ser compassiva demais e colocar sobre si a ansiedade pelos outros acaba por se mostrar mais claramente da puberdade em diante e é um forte sinal. A fraqueza, as desordem glandulares, hipertrofia das amídalas, as vegetações escrofulosas e as adenóides assim como o aparecimento de espinhas gigantes acompanham as duas identificações de criança dentro da adolescência. Magros e doentes de encurvar ou cheinhos e fracos/moles. A solidão nessa fase da vida é mais notada e a desculpa que damos pra ela também, entretanto crianças que ficam muito sozinhas com acentuado desprezo por companhias seguida de fragilidade é um ponto a se considerar. Na idade avançada o fosfato de cálcio é um alimento sem contestação, permanece firma na ajuda a convalescência de deficiências graves, no diabetes, na tuberculose e mesmo na pneumonia, afora na reconstituição mais rápida de ossos fraturados, um verdadeiro drama na velhice.

A mágoa dessa personalidade está relacionada a sobrecargas, ao estresse. Esse é um importante ponto que abre seus transtornos e pequenas deficiências. Essa é a porta de entrada.

O medo da Calcárea phosphorica? Tempestades.

INFORMAÇÃO COMPLEMENTAR

A ingestão de amaranto (excelente fonte de cálcio biodisponível) que pode ser consumido com frutas e iogurte, ou como ingrediente de pães, bolos, sopas entre outros também ajuda a deixar os ossos mais fortes. O amaranto quase não tem sabor e é uma excelente opção para os celíacos, pois não contém glúten.

Considerada uma doença incurável e silenciosa, o raquitismo, uma doença metabólica que atinge ossos quando eles estão em crescimento e causada pela diminuição da deposição de cálcio, compromete a qualidade de vida dos pacientes e causa cerca de 200 mil mortes por ano no Brasil hoje é considerada um problema de saúde pública pela incidência cada vez maior. Ele não tem sintomas, afeta principalmente as mulheres a partir da menopausa e pode ser adquirido ou hereditário.

A Calcárea phosphórica ou Fosfato de cálcio está presente na vida de todos  nós, a personalidade acompanha apenas alguns.

Homeopatas dos Pés Descalços.

quinta-feira, 25 de agosto de 2011

HARMONIA POSSÍVEL


As possibilidades existem, basta que o trabalho seja feito com responsabilidade tecnica e operacional. A coleta de resultados ainda é falha em muitos países, no entanto a tabulação e relatórios com marcação de níveis é indispensável.
Este trabalho que se segue é muito bem elaborado e de uma importancia significativa, tanto para a MTC como para a Homeopatia. Parabéns a equipe, a saúde agradece.

TRATAMENTO HOMEOPÁTICO DA MALÁRIA NUMA ZONA ENDÉMICA  

DO SUL DE MOÇAMBIQUE – RESULTADOS PRELIMINARES DE UM ESTUDO PILOTO

Pires Marques JC*, Rosa Vital OM**, Andrade e Tching RMA
* General Practitioners  ** Clinical Psychologist


Contexto: A homeosiniatria é uma forma de Medicina Complementar que relaciona as impedâncias dos pontos Ting de acupunctura com valências de medicamentos homeopáticos que são então utilizados para compensar os desequilíbrios esquerda/direita detectados. Ao longo de 12 anos de experiência clínica da homeosiniatria, verificámos que os portugueses de raça caucasiana tinham, de um modo geral, impedâncias elevadas nos pontos Ting correspondentes aos meridianos do rim, quer unilateralmente quer bilateralmente. Verificámos também que muitos doentes de raça negra, oriundos das ex-colónias portuguesas, padecendo de malária resistente às terapêuticas farmacológicas convencionais, tinham as mesmas impedâncias muito diminuídas.

Objectivos: Verificar a impedância dos pontos Ting referentes aos meridianos do rim numa amostra populacional de raça negra com sintomatologia de malária.
Efectuar terapêutica homeopática de compensação dos desequilíbrios detectados.

Material: Aparelho para medição das impedâncias cutâneas nos pontos Ting (mãos e pés), que utiliza um microamperímetro graduado de 0 a 100 µA, fabricado de acordo com o modelo utilizado pela escola de acupunctura de Shangai. 

Métodos: Foram determinadas as impedâncias dos pontos Ting em 168 indivíduos não seleccionados, de ambos os sexos, de raça negra e de diferentes grupos etários (residentes no distrito de Gaza no Sul de Moçambique) que apresentavam sinais e sintomas de malária. Estes foram sujeitos ao teste microscópico da malária,  que se revelou positivo e não estavam medicados com antipalúdicos convencionais.

De acordo com os valores de impedância cutânea obtidos, os doentes foram tratados com os seguintes medicamentos homeopáticos compensadores: Natrum muriaticum 200 CH, Lycopodium 200 CH, Eupatorium 5 CH, Natrum muriaticum 5 CH, Capsicum 5 CH, China 5 CH. 

Resultados: Confirmou-se o padrão de diminuição das impedâncias dos pontos Ting do meridiano do rim (unilateral ou bilateral) observado anteriormente (em Portugal) nos doentes de raça negra oriundos das ex-colónias portuguesas que padeciam de malária resistente às terapêuticas farmacológicas convencionais.
Registou-se remissão dos sinais e sintomas de malária em 161 dos doentes tratados. Estes resultados estão a ser alvo de tratamento estatístico. Num próximo estudo, a efectuar numa população africana com características semelhantes, será também verificada a existência ou não da ocorrência de negativação do teste hemático para a infestação malárica, após a mesma abordagem diagnóstica e terapêutica.
Salienta-se a rapidez no desaparecimento dos sintomas, sendo, na maioria dos casos, diminuta ao fim de poucas horas.


Para mais informações:
G.P.E.H. – Grupo Português de Estudos da Homeosiniartria
Praç. Francisco Holanda, 4ª
Quinta da Ferreira 2605-059 Belas
Portugal
Tel. 214325760 / 214324337

Transcrito na íntegra e com a devida data vénia.
Homeopatas dos Pés Descalços.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Pesquise por matéria específica