Pular para o conteúdo principal

HOMEOPATIA E AS MOLÉSTIAS PRÓPRIAS DOS OLHOS

 
Leônia Maria Inácio – Brasília / DF
PEQUENO ESTUDO
 
NOSSOS OLHOS

Os globos oculares estão alojados dentro de cavidades ósseas denominadas órbitas, compostas de partes dos ossos frontal, maxilar, zigomático, esfenóide, etmóide, lacrimal e palatino. Ao globo ocular encontram-se associadas estruturas acessórias: pálpebras, supercílios (sobrancelhas), conjuntiva,músculos e aparelho lacrimal.
Cada globo ocular compõe-se de três túnicas e de quatro meios transparentes:
Túnicas:
1- Túnica fibrosa externa: esclerótica (branco do olho). Túnica resistente de tecido fibroso e elástico que envolve externamente o olho (globo ocular) A maior parte da esclerótica é opaca e chama-se esclera, onde estão inseridos os músculos extra-oculares que movem os globos oculares, dirigindo-os a seu objetivo visual. A parte anterior da esclerótica chama-se córnea. É transparente e atua como uma lente convergente.

2- Túnica intermédia vascular pigmentada: úvea. Compreende a coróide, o corpo ciliar e a íris. A coróide está situada abaixo da esclerótica e é intensamente pigmentada. Esses pigmentos absorvem a luz que chega à retina, evitando sua reflexão. Acha-se intensamente vascularizada e tem a função de nutrir a retina.
Possui uma estrutura muscular de cor variável – a íris, a qual é dotada de um orifício central cujo diâmetro varia, de acordo com a iluminação do ambiente – a pupila.
A coróide une-se na parte anterior do olho ao corpo ciliar, estrutura formada por musculatura lisa e que envolve o cristalino, modificando sua forma. 

Na penumbra (acima) a pupila se dilata; na claridade (abaixo), ela se contrai.
3- Túnica interna nervosa: retina. É a membrana mais interna e está debaixo da coróide. É composta por várias camadas celulares, designadas de acordo com sua relação ao centro do globo ocular. A camada mais interna, denominada camada de células ganglionares, contém os corpos celulares das células ganglionares, única fonte de sinais de saída da retina, que projeta axônios através do nervo óptico. Na retina encontram-se dois tipos de células fotossensíveis: os cones e os bastonetes. Quando excitados pela energia luminosa, estimulam as células nervosas adjacentes, gerando um impulso nervoso que se propaga pelo nervo óptico.
A imagem fornecida pelos cones é mais nítida e mais rica em detalhes. Há três tipos de cones: um que se excita com luz vermelha, outro com luz verde e o terceiro, com luz azul. São os cones as células capazes de distinguir cores.
Os bastonetes não têm poder de resolução visual tão bom, mas são mais sensíveis à luz que os cones. Em situações de pouca luminosidade, a visão passa a depender exclusivamente dos bastonetes. É a chamada visão noturna ou visão de penumbra. Nos bastonetes existe uma substância sensível à luz – a rodopsina – produzida a partir da vitamina A. A deficiência alimentar dessa vitamina leva à cegueira noturna e à xeroftalmia (provoca ressecamento da córnea, que fica opaca e espessa, podendo levar à cegueira irreversível).
Há duas regiões especiais na retina: a fovea centralis (ou fóvea ou mancha amarela) e o ponto cego. A fóvea está no eixo óptico do olho, em que se projeta a imagem do objeto focalizado, e a imagem que nela se forma tem grande nitidez. É a região da retina mais altamente especializada para a visão de alta resolução. A fóvea contém apenas cones e permite que a luz atinja os fotorreceptores sem passar pelas demais camadas da retina, maximizando a acuidade visual.
     A saúde de nossos olhos possibilita uma vida em equilíbrio orgânico em harmonia com as demais funções dos órgãos do corpo.
      Quando a força vital do organismo enfraquece e este entra em desequilíbrio, aparecem as moléstias, que geram um grande desconforto ao ser humano.
Estudando o grande homeopata: “DR NILO CAIRO”, em seu livro “GUIA DE MEDICINA HOMEOPÁTICA” podemos constatar o seu criterioso estudo feito e detalhado dos sintomas e medicamentos mais indicados no trato de diferentes doenças dos olhos.
       No sentido de facilitar a consulta à matéria médica indicada em seu livro, elaborei uma relação, que tem por objetivo o ordenamento dos medicamentos homeopáticos mais próprios para o tratamento de moléstias gerais e especificas que afetam o Sistema Visual dos seres vivos. Trata-se de uma relação que mostra os medicamentos mais indicados para cada tipo de doença, facilitando a visualização, para posteriores consultas.

ORDEM DA MATÉRIA MÉDICA MAIS INDICADA PARA O TRATAMENTO
DE MOLÉSTIAS DOS OLHOS – DE ACORDO COM O DR. NILO CAIRO.
ORDEM DE INDICAÇÕES – MATÉRIA MÉDICA E  DOENÇAS
CALC – C                   Entropion, Terçol, Dacrioadenite, Dacriocistite, Estreitamento  lacrimal, Conjuntivite Flictenular, Queratite, Opacidade da córnea;
RHUS TOX                Ptose, Terçol, Celulite Orbitária, Conjuntivite Flictenular, Quemose, Coroidite, Irite, Catarata, Cicloplegia, Diplogia;
GRAPHITES            Blefarospasmo, Entropion, Quisto, Triquíase, Dacriocistite, Conjuntivite Flictenular, Queratite;
HEPAR SULPHUR  Blefarospasmo, Terçol, Celulite Orbitária, Conjuntivite Flictenular, Conjuntivite Purulenta, Tracoma, Queratite, Hipopion, Coroidite, Irite;
MERCURIUS            Blefarospasmo, Dacrioadenite, Celulite Orbitária, Conjuntivite Catarral, Conjuntivite Purulenta, Quemose, Queratite, Opacidade da córnea, Coroidite, Retinite, Irite;
GELSEMIUM          Astenopia, Lagoftalmo, Coroidite, Deslocamento de Retina, Irite, Glaucoma, Cicloplegia, Diplogia, Estrabismo;
KALI CARB             Ambliopia, Astenopia, Ptose, Quisto, Dacrioadenite, Conjuntivite Flictenular, Conjuntivite Purulenta, Tracoma, Queratite, Coroidite, Retinite, Diplogia;
PULSATILLA          Terçol, Dacriocistite, Estreitamento lacrimal, Tracoma, Retinite, Irite;
ACONITUM             Dacrioadenite, Conjuntivite Catarral, Conjuntivite Purulenta, Tracoma, Diplogia;
BELLADONA          Hemeralopia, Entropion, Dacrioadenite, Conjuntivite Catarral, Tracoma, Retinite, Irite, Estrabismo;
PHISOSTIGMA      Astigmatismo, Blefarospasmo, Entropion, Lagoftalmo, Glaucoma, Espasmo de Acomodação, Miopia;
APIS MELL             Entropion, Quisto, Queratite, Estafiloma, Deslocamento de Retina;
ARSENICUM          Conjuntivite Catarral, Quemose, Queratite;
NATRUM MUR      Astenopia, Estreitamento lacrimal, Diplogia, Miopia;
SÉPIA                       Blefarospasmo, Astenopia, Conjuntivite Catarral, Conjuntivite Purulenta, Tracoma, Catarata;
SILICEA                   Dacrioadenite, Dacriocistite, Queratite, Opacidade da córnea, Hipopion, Coroidite, Irite, Catarata, Celulite Orbitária;
ARNICA MONT      Hemianopsia, Irite, Catarata, Cicloplegia, Diplogia;
SULPHUR                 Blefarospasmo, Conjuntivite Catarral, Conjuntivite Flictenular, Pterígio, Queratite;

AGARICUS MUSC   Atrofia Óptica, Blefarospasmo, Entropion, Retinite, Nistagmo;
BARYTA CARB        Dacrioadenite;
CAUSTICUM        Lagoftalmo, Ptose, Opacidade da córnea, Catarata, Cicloplegia, Diplogia;
AURUM                      Hemianopsia, Tracoma, Queratite, Deslocamento da Retina, Retinite, Irite, Cicloplegia, Diplogia;
BRYONI ALBA         Coroidite, Irite, Glaucoma;
NUX VOMICA          Ambliopia, Atrofia Óptica, Hemeralopia, Retinite, Diplogia;
LYCOPODIUM         Hemeralopia, Terçol;
NITRIC ACID           Conjuntivite Purulenta, Opacidade da córnea;
PETROLEUM            Dacriocistite, Estreitamento lacrimal;
PHOSPHORUS          Ambliopia, Atrofia Óptica, Hemeralopia, Coroidite, Retinite, Glaucoma, Diplogia;
PHYTOLACCA          Dacrioadenite, Celulite Orbitária;
EUPHRASIA               Conjuntivite Catarral, Conjuntivite Filctenular,Tracoma, Opacidade da córnea, Estafiloma, Irite, Catarata;
ALUMINA                   Conjuntivite Catarral, Estrabismo;
CHINA OFF                Catarata;
ARGENTUM NIT       Conjuntivite Purulenta, Tracoma, Diplogia;
HYOSCYAMUS          Blefarospasmo, Estrabismo, Nistagmo;
FERRUM                     Conjuntivite Catarral;
LILIUM TIGRI            Astigmatismo, Presbiopia;
IGNATIA AMARA      Blefarospasmo, Nistagmo;
THUYA OCCID           Tracoma;
CUPRUM                       Blefarospasmo, Astenopia, Diplogia;
CONIUM                        Presbiopia, Diplogia, Queratite, Catarata.

                                 COMPILAÇÃO DOS ESTUDOS DO DR. NILO CAIRO. VOL I,II,III.

NOTA - Já para a CATARATA - propriamente dita, Nili Cairo refere-se a Sépia na 30º ou Secale na 30º como primeira opção em se tratando das mulheres e para os homens ele indica Causticum na 5º. Iodoformium para aquelas cataratas que progridem rapidamente - é usada na ch3 ou na ch5. Euphasia na ch5 não se deixa de lado. Uma dose a cada 12 horas. - pg 720. vol III.
HOMEOPATAS DOS PÉS DESCALÇOS

Postagens mais visitadas deste blog

IGNATIA AMARA - A CHAVE DO EQUILÍBRIO

IGNATIA AMARA  E A SUA PERSONALIDADE HOMEOPÁTICA
O excesso de luz cega a vista.
O excesso de som ensurdece o ouvido.
Condimentos em demais estragam o gosto.
O ímpeto das paixões perturba o coração.
A cobiça do impossível destrói a ética.
Por isso, o sábio em sua alma
Determina a medida de cada coisa.
Todas as coisas visíveis lhe são apenas
Setas que apontam para o Invisível.

(Tao-Te King, Lao-Tsé) Lao Tsé não tinha conhecimento de homeopatia, mais permeou o mundo das observações de forma intensa e clara, ajudou a dar uma nova visão ao ser humano e até hoje seja no oriente quanto no ocidente, viaja nas mentes de muitos. Ao ler seu pequeno texto a uns bons anos atrás e já com alguma bagagem de filosofia homeopática, me deparei com este, acima citado. Para mim a tradução mais poética de uma personalidade Ignácia. Homeopatas dos Pés Descalços 

Citemos Allen - "As pessoas mentalmente e fisicamente esgotados por uma dor concentrada e prolongada" (Allen) ou ainda "A alteração das condições …

GELSEMIUM - O REMÉDIO DAS GRANDES SENSIBILIDADES

PERSONALIDADES HOMEOPÁTICAS MAT. CEDIDA POR ELISA MACIEL COSTA/ESP.EM HOM/ACUPUNTURA/FITOTERAPIA

Pessoas com grandes fraquezas, com intensa prostração física e mental, chegando ao embotamento cerebral. Medo de cair e de adoecer[*] Histeria e neuroses, comoções e maus efeitos do medo, o remédio das grandes sensibilidades. Sonolencia dos estudantes, as mulheres apresentam  rouquidão durante a menstruação. Sente-se incapaz de enfrentar a vida cotidiana, Incapacidade para assumir responsabilidades, nervosismo de "ator", medo de exames dos estudantes, de aceitar novas tarefas. Evita as aflições da vida. É muito utilizado nas febres agudas ou intermitentes em que há um desejo absoluto de repouso. Na sua grande maioria apresenta ausência de sede, sem calafrios ou suores, piorando à tarde. Seu uso facilita o parto em situações de rigidez do colo uterino e alivia as cólicas menstruais muito fortes.  Apresenta fisicamente uma enorme falta de tônus muscular, torpor, lassidão e tremores, Par…

LYCOPODIUM CLAVATUM

LYCOPODIUM – o medo do conflito
Lycopodium é sem sombra de dúvida, uma das matérias médicas mais extensas dentro da homeopatia e mais interressantes também. Esse indivíduo tem as fases da sua vida bem marcadas, pois apresenta um grande estado distinto entre a infância, a idade mediana e sua idade mais avançada.
Entretanto o Lycopodium se encontra envolto pela covardia, tanto social, moral e física, o que permite ao homeopata analisar de forma cuidadosa essa personalidade, tendo em vista sua enorme capacidade de ser extrovertido, amigável e corajoso, qualidades essas opostas da sua real condição.
Por medo do conflito, Lycopodium foge covardemente.
Seu maior amor será pelo poder e com certeza irá chorar quando for homenageado. A criança Lycopodium
Quando alguém vai a sua casa o seu filho refugia-se por trás dos cortinados ou recusa-se a cumprimentar as visitas? Num primeiro contato é envergonhado? Sempre que o repreende fica com as lágrimas ao canto dos olhos? Tem medo de fantasmas e de dormi…