Pular para o conteúdo principal

RESULTADO DA PESQUISA

VOCÊ CONFIA NA HOMEOPATIA?


Essa foi  a nossa pergunta. Estranho não acha? Perguntar o óbvio num blog que fala sobre Homeopatia?

Samuel Hannhemann, o pai da Homeopatia, provavelmente faria novamente essa pergunta nos tempos de hoje. Saber que se conseguiu algo inovador em tempos tão difíceis como os que ele presenciou. Compilar matérias tão exaustivas, múltiplas anotações de forma á detalhadar o corpo e suas mazelas, a mente e suas artimanhas, os sentimentos e suas carências mais prementes.

Ele ousou fazer isso, num tempo de medicina caótica, sob regras rígidas de condutas e misticismos, movido pelo ideal de ser médico; sacrificou muito e muitos que viviam com ele naqueles tempos. Condenou a família e a sí próprio a viverem com o mínimo e nesse caminho tortuoso e de completa obscuridade vencer o que o havia abalado tão profundamente, o desgosto pela medicina vigente.

Alguns grandes o seguiram, outros de similar grandeza o condenaram por isso. Essa tragetória de condenações e insultos segue até hoje com qualquer um que ouza desafiar padrões pré estabelecidos de saúde e simplificar de forma genuína o que é mais simples ainda: viver. Outros seguiram seu raciocínio no sentido máximo de toda a sua obra, a cura do ser humano, suas mazelas e seus sofrimentos tanto físicos quanto emocionais.


Com ele, seguiram Kent, Taylor, Larck, no passado/Brasil, presentes em nossas memórias e considerações seguem Dr. Eurípdes de Bosanulfo, Dr. Bezerra de Menezes, Dr. Roberto Costa, Dr. Nilo Cairo, pelo mundo afora George Vithoukas e Dr. Prafull Vijayakar, hoje expoentes desse mesmo pensamento.

E tantos outros em tantos paises que fizeram de suas condutas a manivela mestra para a prática da medicina homeopática. Em todos eles o sentimento de fusão emtre corpo e mente, a visão do sofrimento alheio e de seus desdobramentos mais dolorosos (o que conhecemos por doenças) esteveram quardados a sete chaves e isso observamos em todos os trabalhos que hoje temos o privilégio de ler , acompanhar e estudar. 

77% participantes da pesquisa afirmam que sim; acreditam na Homeopatia,
11% participantes dizem que depende de qual seja a doença,
24% participantes afirmam que sempre acreditam.
Apenas 1 voto contra, o que em valores totais representa 0% da pesquisa.


Acreditamos até onde? Em que termos? De que forma? A Homeopatia não é receita de bolo, ela funciona pela digital de cada um. Meu sofrimento interno pode ser o medo da chuva, o seu também e de mais 1/2 milhão de pessoas e ainda assim os remédios e as doses irão variar. Não existem doenças bobas ou banais, todas as doenças são no mínimo a porta de entrada para resoluções pessoais e/ou doenças mais graves.


A homeopatia é tão bela quanto a diversidade de cores com que Deus pintou o mundo. Muitos relatos confirmam que as vezes apenas de ir ao consultório de um Homeopata, se sentar, conversar e ser olhado por dentro e nos olhos, já se apresenta a melhora. Infelizmente confiança e respeito não se vendem em farmácias, então, ainda teremos de encontrá-las nos profissionais qualificados. É como o sorriso, não se vende, não se compra, mais pode salvar vidas.

 A homeopatia não é lenta, é precisa e pontual e é exatamente isso que assusta. Assusta a consciência da extensão, assusta o tempo que gastamos com nós mesmos, assusta os preços baixos, assusta o pouco valor que se atribui a doença e o enorme enfoque que se dá ao seu portador.


Aos que dizem que homeopatia não se usa em emergência e nem em calamidades, nos resta indicarmos o Instituto Roberto Costa em Petrópolis e todos os avanços e ajudas possíveis. Os trabalhos do Prof. Casali  - UFV e tantos outros trabalhos desenvolvidos pelos  Homéopathes sans frontières.
Outro exemplo é o do Hôpital Saint Jacques/Fr.

Em todos os casos acima com links, podemos entender que é possível sim, basta querer passar por cima de desejos e vaidades que sempre emperraram os caminhos quando se trata de Homeopatia Popular, ao alcance de todos e para todos. 


Deixamos aqui a fala do Dr. Carlos Lyrio (Inst. Roberto Costa), ele traduz melhor que ninguem o rumo que o separatismo e a prepotência chegam, aonde não deveriam estar, na saúde.


Assim sendo, nossa pesquisa passa para uma outra pergunta, de cunho pessoal agora: Porque adoecemos? De que serve a doença?
A Homeopatia está longe de ser a única verdade médica, seu criador classifica radicalismo como forma de identificação de algumas personalidades - matérias médicas - é que podemos escolher e devemos escolher como queremos nos tratar e de que forma e de quantas cores queremos pintar nossas vidas. A homeopatia traz para cada um a responsabilidade por si mesmo e pelo coletivo e isso é no mínimo humano e honesto. Vocês já pensaram o porque de se dizer que um país está em depressão? Sentimento coletivo, tristeza, amargura, minusvalia, depressão.

"Quando chove, usamos um guarda chuva pra nos proteger da chuva, assim é a homeopatia, as vezes ela não impede a chuva, mas tal qual o quarda chuva, ela nos ajuda a continuar caminhando."





Homeopatas dos Pés Descalços
Somos poucas, mais somos fortes, não conhecemos tudo, mais sabemos muito, podemos e iremos ajudar a formar uma rede de solidariedade capaz de salvar vidas e mudar estatísticas. Podemos porque queremos.
AMSK/Brasil

Postagens mais visitadas deste blog

IGNATIA AMARA - A CHAVE DO EQUILÍBRIO

IGNATIA AMARA  E A SUA PERSONALIDADE HOMEOPÁTICA
O excesso de luz cega a vista.
O excesso de som ensurdece o ouvido.
Condimentos em demais estragam o gosto.
O ímpeto das paixões perturba o coração.
A cobiça do impossível destrói a ética.
Por isso, o sábio em sua alma
Determina a medida de cada coisa.
Todas as coisas visíveis lhe são apenas
Setas que apontam para o Invisível.

(Tao-Te King, Lao-Tsé) Lao Tsé não tinha conhecimento de homeopatia, mais permeou o mundo das observações de forma intensa e clara, ajudou a dar uma nova visão ao ser humano e até hoje seja no oriente quanto no ocidente, viaja nas mentes de muitos. Ao ler seu pequeno texto a uns bons anos atrás e já com alguma bagagem de filosofia homeopática, me deparei com este, acima citado. Para mim a tradução mais poética de uma personalidade Ignácia. Homeopatas dos Pés Descalços 

Citemos Allen - "As pessoas mentalmente e fisicamente esgotados por uma dor concentrada e prolongada" (Allen) ou ainda "A alteração das condições …

GELSEMIUM - O REMÉDIO DAS GRANDES SENSIBILIDADES

PERSONALIDADES HOMEOPÁTICAS MAT. CEDIDA POR ELISA MACIEL COSTA/ESP.EM HOM/ACUPUNTURA/FITOTERAPIA

Pessoas com grandes fraquezas, com intensa prostração física e mental, chegando ao embotamento cerebral. Medo de cair e de adoecer[*] Histeria e neuroses, comoções e maus efeitos do medo, o remédio das grandes sensibilidades. Sonolencia dos estudantes, as mulheres apresentam  rouquidão durante a menstruação. Sente-se incapaz de enfrentar a vida cotidiana, Incapacidade para assumir responsabilidades, nervosismo de "ator", medo de exames dos estudantes, de aceitar novas tarefas. Evita as aflições da vida. É muito utilizado nas febres agudas ou intermitentes em que há um desejo absoluto de repouso. Na sua grande maioria apresenta ausência de sede, sem calafrios ou suores, piorando à tarde. Seu uso facilita o parto em situações de rigidez do colo uterino e alivia as cólicas menstruais muito fortes.  Apresenta fisicamente uma enorme falta de tônus muscular, torpor, lassidão e tremores, Par…

LYCOPODIUM CLAVATUM

LYCOPODIUM – o medo do conflito
Lycopodium é sem sombra de dúvida, uma das matérias médicas mais extensas dentro da homeopatia e mais interressantes também. Esse indivíduo tem as fases da sua vida bem marcadas, pois apresenta um grande estado distinto entre a infância, a idade mediana e sua idade mais avançada.
Entretanto o Lycopodium se encontra envolto pela covardia, tanto social, moral e física, o que permite ao homeopata analisar de forma cuidadosa essa personalidade, tendo em vista sua enorme capacidade de ser extrovertido, amigável e corajoso, qualidades essas opostas da sua real condição.
Por medo do conflito, Lycopodium foge covardemente.
Seu maior amor será pelo poder e com certeza irá chorar quando for homenageado. A criança Lycopodium
Quando alguém vai a sua casa o seu filho refugia-se por trás dos cortinados ou recusa-se a cumprimentar as visitas? Num primeiro contato é envergonhado? Sempre que o repreende fica com as lágrimas ao canto dos olhos? Tem medo de fantasmas e de dormi…