Pular para o conteúdo principal

A GRANDE MONTANHA - CONVERSAS SOBRE HOMEOPATIA

Duas situações distintas, opostas no seu transcorrer diário, pontuais na conduta de qualquer indivíduo que deseja avançar no conhecimento de sí próprio.


"Cheguei a uma conclusão: amigo a gente identifica na hora da alegria, digo, do sucesso. Só um amigo aguenta a felicidade do seu sucesso, fica feliz junto, de verdade. Na hora do sofrimento, muita gente chega perto, é a indústria da reclamação. Todo mundo se junta pra ver quem tem o problema maior."
 (essa fala é de uma Ignátia, gozando de todo o seu equilíbrio conquistado).

"Tenho ficado impressionado, passei no concurso em meio ao tumulto, nunca imaginei que iria tirar a nota máxima. Cheguei em casa e tinham entrado no meu quarto pra arrumar a bagunça, disseram isso pra mim. Será que alguém imagina o desespero que me deu, tava tudo lá, só que eu demorei uma semana pra colocar do meu jeito. Eu me acho assim, na bagunça mesmo e daí, essa sou eu."
(essa fala é de uma Sulphor, constatando a sua genialidade em meio ao caos da bagunça)

As duas personalidades em questão, andaram muito, atravessaram um vale cheio de contradições, emoções e cada uma a seu tempo e dentro de sua limitações começou a enxergar seu ponto fraco como possibilidade de reversão dos fatos diários. Só nos conhecemos quando adoecemos e podemos dentro desse caminho enxergar uma brecha para a análise dos fatos. Essa pessoa não estará definitivamente entregue ao estado doentio pra sempre, podemos mudar o rumo das nossas personalidades, não elas em si, mais a tragetória que a vida nos impõe. não é receita de bolo, mais funciona assim:
Um Arsênicum permanecerá com seu impulso todo o tempo? Irá atingir os estágios de adoecimento? Ele pode mudar, dentro do que é.
Todo defeito pode se tornar uma peça única, toda virtude poderá alcançar o extremo oposto.
Quem nunca ouviu falar de amor e ódio?


'Eu nunca imaginei que jogar o carro pra cima das pessoas fazia parte do meu cotidiano, porque ninguém nunca me falou nisso, acabo fazendo com os outros aquilo que mais odeio, isso é pressão, abuso mesmo. Depois que eu falei o primeiro não - quase morri de chorar, sofri, me achei a última pessoa do mundo, percebi que as pessoas vinham pra cima, como se eu pudesse mudar de idéia a qualquer momento, ninguem me respeitou, claro, eu permiti isso, minha vida inteira, sempre cedendo. Chega, não quero mais sentir medo, cansei." 
(essa fala é de uma Calcárea Carbônica, se deparando com a extensão do seu próprio medo)




"Jamais, em tempo algum eu poderia ver isso, não ia aceitar nunca, sou eu que me imponho o não fazer e coloco a culpa e a responsabilidade nos outros. Posso sim, vai ter dificuldades, mais eu resolvo. Não é opressão, minha sensibilidade e percepção pras coisas é que é grande mesmo e quando eu me sentia precionada, vinha um ódio de tudo e de todos que eu simplesmente não controlava. O mecanismo, agora eu comecei a entender. Tudo é desde criança mesmo, eu não esqueço e não perdoo, mais carrego comigo até adoecer."( a fala é de um Arsênicum album, conseguindo quebrar o mecanismo).


Essas são falas de mulheres que aceitaram trabalhar suas personalidades e seus medos, manias, anceios e tantas outras coisas. não há perfeição, há equilíbrio, não só alegrias, há entendimento do tamanho real da dor. sem milagres além o da própria vida e dentro dos limites impostos por cada cotidiano. Essa é a nossa Homeopatia. Uma via de mão dupla. Aprendemos nós por aqui com tudo isso, e muito. A reação de personalidades iguais, seu tempo de reação totalmente diferente. A cérebre frase, conhecer os outros pertence a um sábio, o iluminado conhece a si mesmo - Lao Tsé, acaba por fazer parte dos avanços dessas mulheres. Longe da perfeição, talhando, consertando, esperando o momento certo de subir o degrau. 
E sim, podemos mudar, todas nós, podemos ser melhores e mais felizes com nosas virdutes e nossos defeitos. E sim, cada qual tem seu tempo, sua hora e seu momento.
E chegamos a uma conclusão, homeopatia é mais que medicação natural, é uma forma de viver, pensar e agir. E é muito bom saber disso.
Homeopatas dos Pés Descalços.



Postagens mais visitadas deste blog

IGNATIA AMARA - A CHAVE DO EQUILÍBRIO

IGNATIA AMARA  E A SUA PERSONALIDADE HOMEOPÁTICA
O excesso de luz cega a vista.
O excesso de som ensurdece o ouvido.
Condimentos em demais estragam o gosto.
O ímpeto das paixões perturba o coração.
A cobiça do impossível destrói a ética.
Por isso, o sábio em sua alma
Determina a medida de cada coisa.
Todas as coisas visíveis lhe são apenas
Setas que apontam para o Invisível.

(Tao-Te King, Lao-Tsé) Lao Tsé não tinha conhecimento de homeopatia, mais permeou o mundo das observações de forma intensa e clara, ajudou a dar uma nova visão ao ser humano e até hoje seja no oriente quanto no ocidente, viaja nas mentes de muitos. Ao ler seu pequeno texto a uns bons anos atrás e já com alguma bagagem de filosofia homeopática, me deparei com este, acima citado. Para mim a tradução mais poética de uma personalidade Ignácia. Homeopatas dos Pés Descalços 

Citemos Allen - "As pessoas mentalmente e fisicamente esgotados por uma dor concentrada e prolongada" (Allen) ou ainda "A alteração das condições …

GELSEMIUM - O REMÉDIO DAS GRANDES SENSIBILIDADES

PERSONALIDADES HOMEOPÁTICAS MAT. CEDIDA POR ELISA MACIEL COSTA/ESP.EM HOM/ACUPUNTURA/FITOTERAPIA

Pessoas com grandes fraquezas, com intensa prostração física e mental, chegando ao embotamento cerebral. Medo de cair e de adoecer[*] Histeria e neuroses, comoções e maus efeitos do medo, o remédio das grandes sensibilidades. Sonolencia dos estudantes, as mulheres apresentam  rouquidão durante a menstruação. Sente-se incapaz de enfrentar a vida cotidiana, Incapacidade para assumir responsabilidades, nervosismo de "ator", medo de exames dos estudantes, de aceitar novas tarefas. Evita as aflições da vida. É muito utilizado nas febres agudas ou intermitentes em que há um desejo absoluto de repouso. Na sua grande maioria apresenta ausência de sede, sem calafrios ou suores, piorando à tarde. Seu uso facilita o parto em situações de rigidez do colo uterino e alivia as cólicas menstruais muito fortes.  Apresenta fisicamente uma enorme falta de tônus muscular, torpor, lassidão e tremores, Par…

LYCOPODIUM CLAVATUM

LYCOPODIUM – o medo do conflito
Lycopodium é sem sombra de dúvida, uma das matérias médicas mais extensas dentro da homeopatia e mais interressantes também. Esse indivíduo tem as fases da sua vida bem marcadas, pois apresenta um grande estado distinto entre a infância, a idade mediana e sua idade mais avançada.
Entretanto o Lycopodium se encontra envolto pela covardia, tanto social, moral e física, o que permite ao homeopata analisar de forma cuidadosa essa personalidade, tendo em vista sua enorme capacidade de ser extrovertido, amigável e corajoso, qualidades essas opostas da sua real condição.
Por medo do conflito, Lycopodium foge covardemente.
Seu maior amor será pelo poder e com certeza irá chorar quando for homenageado. A criança Lycopodium
Quando alguém vai a sua casa o seu filho refugia-se por trás dos cortinados ou recusa-se a cumprimentar as visitas? Num primeiro contato é envergonhado? Sempre que o repreende fica com as lágrimas ao canto dos olhos? Tem medo de fantasmas e de dormi…