Mostra Fotográfica AMSK/Brasil

Amigos do Blog

Pesquisar este blog

Carregando...

segunda-feira, 11 de julho de 2011

CALCÁREAS - UMA FAMÍLIA E TANTO. ACÉTICA E ARSENICOSA.


Comumente faz-se referencia a seis tipos dessa família gigante. Aqui retrataremos doze membros e esperamos realmente ajudar. As Calcáreas estão por todo lado, com uma personalidade peculiar, acabam sendo o uso comum para inúmeras deficiências e no fundo não é bem assim. Realmente temos que dar a mão a palmatória, essa família se desenvolve de forma comum na sociedade, entretanto, encontramos grandes nomes como Nux Vômica e ou Ignátia que ocupam um espaço e tanto nesse universo analítico, por assim dizer. A rainha das Calcáreas é a carbônica, em seguida a Calcárea Fluórica e assim se segue. O estudo da Calcarea carbônica teve por pai o próprio Hahnemann e sem sombra alguma de dúvida ela ocupa um lugar de destaque. Remédio constitucional por excelência, a Calcárea Carbônica – cascas de ostra – a luz de sua personalidade é capaz de esconder grandes seres humanos por excelência. 

Calcárea Acética – calc-ac


Acetato de lima, Acetato de cálcio, Calcium acetas e Acetas calcicus.
Não é segredo, o tratamento com Calcarea acética é usada para reduzir as dores excruciantes do câncer (oxálico Calcarea). Para tratar inflamações das membranas mucosas caracterizada por uma exsudação membranosa, ou esfregaço de mucosa, segundo tem relatado tão bem Vithoulkas, aprofundando o estudo já existente. 

Considerações específicas são dadas as vertigens ao ar livre, ao escurecimento das vistas/sentidos com cefaléia intensa, especialmente nas leituras, forçando a parar de ler e não saber onde parou.
Diarréia profusa, indolor e o não se sentir esgotado. Outro fato são as tosses, violentas, onde se expelem grandes quantidades de muco dos brônquios. A sudorese se faz presente, há também a sensação de frio na cabeça e o gosto amargo.

O Acetato de Cálcio também é usado para tratar pacientes com hiperfosfatemia – quando ocorre o excesso de fosfato no sangue – o que se observa em pacientes com doenças renais. O rim sendo atingido de alguma forma constatamos o sentimento de medo, o resfriamento de várias partes do corpo, a falta de mobilidade, tristeza e depressão. Aí encontramos muitas Calcáreas.  
É bom sempre comparar com Borax e Brom, outro medicamento bastante perto é o Calc. Oxak que acaba sendo usado para as dores de Câncer aberto.

Quando se vê Calcárea, se vê medo em todas elas, cada qual com seu específico. Aqui sabemos que ele existe, sua aparição é mais física, pelo rim no caso e pelo fato de que doenças renais e câncer são deficiências que assustam muito e transmitem receios, a esses receios chamamos de medo.

Uma dieta pobre em fósforo não deve desencadear a pobreza de cálcio, pois o excesso desse fósforo provoca dores pelo corpo, coceira intensa, fragilidade dos ossos com dores fortes e insuficiência renal.
A dica do pessoal da nutrição, só para exemplificar é evitar:

- Leite e seus derivados, incluindo sorvetes e yogurtes
- Pizzas
- Panquecas e waffles
- Biscoitos
- Cereais e farelos
- Vísceras (miolos, fígado, coração, língua, rins...)
- Ervilhas
- Feijão
- Nozes, amendoim e amêndoas
- Chocolate e cacau
- Alimentos feitos com farinha integral (pão, bolos, bolachas, torradas)
- Refrigerantes a base de cola (Coca-Cola e Pepsi)
- Cerveja
- Sardinha

- Salsichas, presuntos, linguiças...

O Acetato de cálcio inibe a absorção intestinal do fósforo da dieta dentro da homeopatia e fora dela.
A Calcárea Acética entra como um grande aliado, entretanto procurar um nutricionista é de suma importância. Ex> os feijões servem para aquecer o rim, tirá-lo da tristeza, dar-lhe conforto e aquecê-lo, nesse caso, ele deverá ser reduzido. A farinha integral passa a ser um vilão e não a heroína como é tido em muitas dietas. Cada caso um caso, é aí que entra os profissionais da nutrição, é aí que entra o grande sonho utópico da medicina holística. Juntar forças para viver melhor. 



CALCÁREA ARSÊNICOSA – Arsenito de Cálcio)
Calcium Arsenicosum e Calcii Arsenias.


Ei-la aqui, trabalhando também para ajudar nos tratamentos de nefrites e doenças do pâncreas. Coração fraco, com palpitações. Grande depressão mental. Mulheres muito gordas. Epilepsia. Dor de cabeça semanal que melhora se o paciente deitar sobre o lado doente. Impaludismo crônico. Gânglios inguinais inflamados. Câncer do útero. Alivio a dor do câncer no pâncreas. De novo temos a participação renal no assunto.

Aqui nos interessa dizer que a depressão mental realmente é grande e por tanto, imaginem suas conseqüências. A mais leve emoção é que leva a reação cardíaca. A obesidade mórbida, especialmente nas mulheres. Outro fato são os acidentes do alcoolismo especialmente nas abstenções.

Aqui vale a pena ler um pouco mais de Conium, Glonoinum, Opium e Pulsatilla, são medicações que lhe seguem bem e que nos ajudam melhor a mapear essa personalidade de difícil acesso. E como não nos lembrarmos de Arsenicum, especialmente nas solidões. Quando não se esquece a mágoa, e seu medo é dos castigos de Deus, certinho, paga suas contas, trabalha dobrado se precisar, mais paga, afinal de contas...olha o castigo de Deus.

UMA BOA AJUDA DE LEITURA

Existe um desânimo grande, uma fala relativamente solta. Calcária Ars. Sabe que está só, se sente só e tem medo disso, dispara esse tremor no corpo, tem dores, leva o peso para si – peso nas regiões periféricas do corpo – pernas e joelho (o grande urso da montanha – logo acima do joelho, com fortes dores que o impedem de se locomover e ou dobrar as pernas) essa dor permanece mesmo deitada ou sentada, é o peso da preocupação.

Duas coisas são incríveis aqui, dorme mal, sonha muito e acorda irritado com isso, esse é um fato, que é forte em Calcarea e em Arsênicum, imagine junto, numa mesma pessoa, numa mesma personalidade. Ansiedade física geral, não pode ficar parado, talvez porque saiba que ficar quieto vai fazer com que adoeça  - isso é muito arsenicum, se doar a família e estagnar em prol deles é Calcárea, o meio disso é uma bomba relógio.

Junte o fator medo da solidão, da loucura e de não encontrar o perdão. É algo muito profundo, tanto uma como a outra, por isso muitos a observam de forma distante, nunca imaginando o desdobramento disso. Pense num dragão adormecido, abatido e ferido, isso é Arsenicum, pense numa super mãe parada, com dificuldade de se mover e sem parar de chorar, isso é Calcárea. Pense num dragão fêmea, ágil, com seu ego no lugar, competente e com muita resistência as dificuldades da vida. O porto seguro, companheira inseparável, em casa e nas aventuras...onde foi que tudo isso desemboca, nas estruturas crônicas, nas cargas da infância, e no que levamos pras nossas vidas de adulto.
Calcárea Arsenicosa precisa receber o aval das pessoas, das pessoas que ama e que a rodeiam. Cansou de sentir medo, cansou da depressão, é toda profunda, intensa, gélida. Arsenicum tem medo do frio e da neve – provavelmente irá demorar anos para dizer isso, Calcárea gosta de tempo moderado, mais gela por dentro, pense só os dois juntos.
 HOMEOPATAS DOS PÉS DESCALÇOS
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Pesquise por matéria específica