Amigos do Blog

Pesquisar este blog

Carregando...

terça-feira, 26 de julho de 2011

CALCÁREA FLUÓRICA


CALCÁREA FLUÓRICA 
O MEDO QUE PETRIFICA O CORPO E A MENTE.


Essa Calcárea recebe muitas atenções por parte dos bioquímicos. Disfarçada ela está na vida de quase todo mundo, mais nem todo mundo presta atenção nessa personalidade. Intrinsecamente ligada ao emocional, ao físico e ao psíquico dos indivíduos eis o porque esta permanece bastante ligada ao cotidiano dos seres vivos.

Pensa-se corriqueiramente nessa matéria, quando se avalia a sensação de aperto no peito, a constrição e os sinais de deficiência e degeneração. 





MEDO = PETRIFICAÇÃO (ENDURECIMENTO) = MATERIALISMO.

Bastante conhecido como mineral de elasticidade, podemos afirmar que é um componente das células dos ossos, nos revestimentos dos ossos, nas fibras dos tecidos, presente nos tecidos musculares e nas artérias. É encontrada na superfície dos ossos e no esmalte dos dentes. Fibras elásticas são encontradas na pele, no tecido conjuntivo e nas paredes vasculares. É também um componente das fibras elásticas e de epiderme. Resumindo: Calcárea Fluórica faz parte do nosso corpo de forma integral. Um desequilíbrio provoca uma dilatação dessas fibras e isso pode ser no estado crônico do relaxamento, por isso não há absorção nessa fase. Resumindo de novo, ocorre um endurecimento que pode ser visto como varizes, enfraquecimento da parede abdominal, glândulas endurecidas, hemorragias pós parto, tumores vasculares, hemorróidas/tumores, deslocamentos uterinos, veias varicosas, má circulação sanguínea, supuração nos ossos, aparecimento de fissuras na pele e ou rachaduras, dentes fracos, tosse seca e mais.


Até aqui nada de mais, onde é que fica a personalidade que poderá individualizar essa matéria. 



Classicamente encontramos Calcárea Fluórica (fluoreto de cálcio) assim descrito:


Indicado para moléstias que atacam os ossos, os dentes e as fibras elásticas da pele, do tecido conjuntivo ou das paredes vasculares. Hematomas arteriais ou venosos, hemorróidas, varizes e veias dilatadas, glândulas endurecidas como pedra. Fístulas dentárias. Exostose (proliferação óssea na superfície de um osso) traumática. Ventre frouxo. Lumbago. Nódulos duros no seio. Propensão a luxações. Desenvolvimento raquítico do fêmur nas crianças.




O Dr. Boericke costuma deixar claro nos seus escritos a palavra pedra, para explicar as endurações. No fundo é isso que podemos observar em vários sentidos. Não há vitalidade mental, física e muito menos emocional. Mais conhecido como rabugento ou eternamente insatisfeito, não pensem que ele não sabe que algo está errado, saber ele sabe, só não consegue entender aonde está o problema e nem o que é. Sua compreensão das coisas se torna lenta, fraca, desmemoriada, por isso a indiferença afetiva com tudo.
 


Suspira como Ignatia, tem um desejo enorme de viajar na tentativa de resolver a insatisfação como Tuberculino, geme, murmura, resmunga e se queixa de tudo como Chamomilla.

Entretanto faz parte da sua personalidade ser compassivo e sua ansiedade é sempre pelos problemas dos outros. Qualquer má notícia desencadeia uma crise, um transtorno. Qualquer mágoa lhe dá uma sobrecarga absurda, por isso o esgotamento físico tão claro e o estresse vívido.

Duas coisas são claras nessa personalidade, em qualquer idade irá tremer de medo ao ver tempestades e não conseguirá jamais se ligar a estruturas rotineiras.

Considerado materialista e sem grandes aptidões para se doar, se torna rígido como uma pedra, inflexível e um eterno sentimento de obrigação. Nunca satisfação pelas coisas. Costuma ter medo dos sonhos que tem, geralmente são vívidos, fortes e com perigo eminente.

Quando crianças aprendem a falar e a andar já bem tarde, são magras e esse corpo esquio normalmente o acompanha em toda a sua vida. Muito se liga a Tuberculino e deve-se analisar com calma. Existe um endurecimento no estado físico, as amídalas são grandes e duras, as solas dos pés racham em fissuras secas e profundas, nas mãos também. A pele sofre muito com essa secura, portanto temos de nos atentar ao pulmão.

O Tuberculino sofre de amor, o nosso amigo aí não, existe nos dois casos uma tristeza enorme, só que aqui sem a melancolia, só o excesso de insatisfação. O Tuberculino viaja para amar, procurar outros ares, abrir o pulmão e respirar melhor. Calcárea Fluorica nunca fica bem, sempre há algo difícil, rígido demais pra fazer com que se mova.

 Os colegiais com esforço mental rígido devem prestar atenção nessa medicação, se o cansaço for físico é Calcárea carbônica. O desejo sexual é aumentado quando está em crise, uma tentativa de movimento dessa personalidade, mais que não dura além do ato em si. 

Dificilmente se liga a alguém, é rotina.

Uma curiosidade é seu gosto por defumados, salames e doces (Tuberculino também é).
Natrum Muriaticum lhe segue bem, assim como silícia, Calcarea phosphorica e Phosphoricum acidum.

Possui uma espécie de depressão contínua, medo constante de se arruinar financeiramente e é com isso que sonha. É mais fácil vê-lo dizer quanto ele vale em dinheiro do que citar alguma qualidade que veja em si.




Calcárea Fluórica é marcada pelos seus medos de ruína financeira, pelo raquitismo, osteoporose e infecções purulentas do ouvido médio, essa é a maioria dos casos que chegam à descoberta dessa personalidade. Quando estabilizado tende a passar desapercebida, se misturando no dia a dia, na correria, na preocupação financeira de todos os dias, na osteoporose por falta de complementos ou excessos de remédio.

Calcárea Fluórica, o medo que petrifica literalmente de dentro pra fora.
 Homeopatas dos Pés Descalçso



Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Pesquise por matéria específica