Pular para o conteúdo principal

GRATIOLA OFFICINALIS - SERVE PRA QUE?

PEQUENAS HOMEOPATIAS – GRANDES RESULTADOS
SERVE PRA QUE?

Graciola; Erva dos Pobres, também chamada de a Graça de Deus, (em latim gratia dei)
Planta herbácea, perene, pertencente à família das Plantaginaceae (Scrophulariaceae), nativa da Eurásia e América do Norte. J.H.Clarke costumava atestar que sem sobra de dúvida é a mais importante do grupo das Escrofularia que por sua vez são nossas conhecidas. (Digitalis purpurea, Euphrasia officinalis, Scrofularia nodosa, Verônica officinalis, Verbascum thapsiforme, Tabacum) infelizmente pouco ensinado hoje em dia, não é figurinha fácil nos manuais, entretanto, seu estudo deve ser efetuado em conjunto com os outros, isso ajudaria muito. Nux vômica e Chamomilla não podem ser desprezados nos seus sintomas e sistema comparativo.
Tanto na sua estrutura, a sua personalidade acompanha essa desenvoltura. Graciola cresce em lugares úmidos, pantanosos bem expostos à luz; possui um rizoma delgado vivaz que se desliza a poucos centímetros do solo e paralelo a ele. Talvez por toda essa postura sua fama de orgulhoso seja grande.  Do mesmo surge um talo ereto que alcança uma altura de 50 com folhas opostas lanceoladas de bordos finamente dentados e das axilas surge uma flor solitária de cor branca ou rosada, sua extrema vaidade. Tem um cheiro nauseabundo e sabor intensamente amargo. Orgulho e vaidade definem essa homeopatia que deriva de uma planta tóxica pela presença de um cucrubitacinglicosídeo elatericida. Gratiola officinalis era chamada Gratia Dei (Latim - Graça de Deus), face às suas propriedades medicinais. É diferente, se destaca no meio onde vive. Em nada se parece com o pântano. Superior ao solo, ela aponta entrecortando o fosco e se supera , engana a todos com isso. 

Uma das mais presentes situações é vista no seu comprometimento mental. Várias doenças mentais podem afligi-las, entretanto o orgulho e a vaidade estarão presentes nesse desenvolvimento. Antes que seu orgulho e sua vaidade apontem, ela deve ser colhida e em seguida se segue o preparo da tintura, evitando o auge da toxidade, portanto antes da floração. 


Analisemos assim; dentro do seu contexto de vida. Tudo o que floresce em meio ao lodo e ao pântano, pode ser subjugado ou imponente. Gratiola ou Graciola é orgulho puro e possui a facilidade de desenvolver condições crônicas, como leucorréias e gonorréias. Sabemos também que o gênero feminino tem a sua preferência, pois deficiências ligadas a menopausa ou a menstruação passam por ela. Digitalis sempre é vista na fraqueza menstrual e nas complicações da evacuação.

 
Fisicamente o catarro espesso e as deficiências do trato gastrointestinal são a sua eleição física mais comumente conhecida. Podemos imaginar o que Nux vômica faz tão perto né? Essas dificuldades de digestão, a lentidão com dores e estado ansioso são próprias dele, mais antes de tudo os dois medicamentos tem a figura do orgulho muito forte.

Graciola engrossa o sangue – a dificuldade do pântano – por isso o estado catarral e o embotamento cerebral lhe são tão próprios. Assim a cefaléia é comum, com uma expressão bem própria da sua personalidade: o cérebro se contrai e a cabeça aumenta, avermelha e suas dores com o tempo são consideradas crônicas – sofro de dores de cabeça crônica – eis uma narrativa física comum de uma Graciola. Enruga a testa, seca os olhos, queima. A dor chega a enegrecer a vista e combinado com a sua dificuldade no trato gastrointestinal, acaba por ser uma boa pedida de análise complementar no caso de diabetes.


Graciola come e tem vertigens. Durante e depois. Come e não adianta, o vazio não passa, tem sempre um oco, um buraco no estômago, o que leva a muitos homeopatas optarem por Drósera. Distensão abdominal, câimbras e cólicas por alimentação são comuns e corriqueiras. Vale à pena lembrar que Graciola sofre de disfagia para líquidos.
Sendo a menstruação abundante e demorada ela tende a enfraquecer. Coisa quentes são bem vindas. 

O que evacuamos diz muito de nós. Diz de Graciola também. A diarréia é comum, com espuma, ácida, com queimação anal. Não há dor. O aparecimento de hemorróidas é comum, mais não há reclamação de muita dor. Graciola tem certeza da sua condição. Sabe que é superior, seu orgulho a coloca acima. Precisa se manter assim e acaba por se tornar hipocondríaca. Ser tão especial, chegar a ser considerada a Graça de Deus, em meio ao estagnado se encontra a vida, bela e ereta.

Ao agravar o seu estado mental e aumentando o embotamento cerebral a insônia também poderá se tornar crônica, seguida sempre do desconforto do estômago, das dores de cabeça e do intestino.
Uma boa dica é que Graciola acaba por desenvolver os sintomas de Ninfomania no período menstrual.




Porque seria chamada então de Erva dos Pobres? Abastados não morram em pântanos, Graciola tem a sua beleza e a sua imponência transformadas em vaidade e orgulho.






Ela é possível aos que poucos têm e traz dentro de si condições de ajudar nas deficiências muito comuns como as distenções abdominais, as gonorréias, a insônia e tantos outros como já vimos. 
Sendo assim sempre foi muito usada pelos menos favorecidos.


A personalidade de Graciola, quando encontra o equilíbrio se torna uma preciosidade de rara beleza e competência, tendo sempre que cuidar da fragilidade emocional. De onde vim, quem eu sou e o que consegui construir. O equilíbrio emocional torna as coisas mais fáceis para ela, no entanto a humilhação e o constrangimento que pessoas de nível mais humilde têm de passar para alcançar uma visibilidade maior podem ser seus maiores inimigos.

Homeopatas dos Pés Descalços

Postagens mais visitadas deste blog

IGNATIA AMARA - A CHAVE DO EQUILÍBRIO

IGNATIA AMARA  E A SUA PERSONALIDADE HOMEOPÁTICA
O excesso de luz cega a vista.
O excesso de som ensurdece o ouvido.
Condimentos em demais estragam o gosto.
O ímpeto das paixões perturba o coração.
A cobiça do impossível destrói a ética.
Por isso, o sábio em sua alma
Determina a medida de cada coisa.
Todas as coisas visíveis lhe são apenas
Setas que apontam para o Invisível.

(Tao-Te King, Lao-Tsé) Lao Tsé não tinha conhecimento de homeopatia, mais permeou o mundo das observações de forma intensa e clara, ajudou a dar uma nova visão ao ser humano e até hoje seja no oriente quanto no ocidente, viaja nas mentes de muitos. Ao ler seu pequeno texto a uns bons anos atrás e já com alguma bagagem de filosofia homeopática, me deparei com este, acima citado. Para mim a tradução mais poética de uma personalidade Ignácia. Homeopatas dos Pés Descalços 

Citemos Allen - "As pessoas mentalmente e fisicamente esgotados por uma dor concentrada e prolongada" (Allen) ou ainda "A alteração das condições …

GELSEMIUM - O REMÉDIO DAS GRANDES SENSIBILIDADES

PERSONALIDADES HOMEOPÁTICAS MAT. CEDIDA POR ELISA MACIEL COSTA/ESP.EM HOM/ACUPUNTURA/FITOTERAPIA

Pessoas com grandes fraquezas, com intensa prostração física e mental, chegando ao embotamento cerebral. Medo de cair e de adoecer[*] Histeria e neuroses, comoções e maus efeitos do medo, o remédio das grandes sensibilidades. Sonolencia dos estudantes, as mulheres apresentam  rouquidão durante a menstruação. Sente-se incapaz de enfrentar a vida cotidiana, Incapacidade para assumir responsabilidades, nervosismo de "ator", medo de exames dos estudantes, de aceitar novas tarefas. Evita as aflições da vida. É muito utilizado nas febres agudas ou intermitentes em que há um desejo absoluto de repouso. Na sua grande maioria apresenta ausência de sede, sem calafrios ou suores, piorando à tarde. Seu uso facilita o parto em situações de rigidez do colo uterino e alivia as cólicas menstruais muito fortes.  Apresenta fisicamente uma enorme falta de tônus muscular, torpor, lassidão e tremores, Par…

LYCOPODIUM CLAVATUM

LYCOPODIUM – o medo do conflito
Lycopodium é sem sombra de dúvida, uma das matérias médicas mais extensas dentro da homeopatia e mais interressantes também. Esse indivíduo tem as fases da sua vida bem marcadas, pois apresenta um grande estado distinto entre a infância, a idade mediana e sua idade mais avançada.
Entretanto o Lycopodium se encontra envolto pela covardia, tanto social, moral e física, o que permite ao homeopata analisar de forma cuidadosa essa personalidade, tendo em vista sua enorme capacidade de ser extrovertido, amigável e corajoso, qualidades essas opostas da sua real condição.
Por medo do conflito, Lycopodium foge covardemente.
Seu maior amor será pelo poder e com certeza irá chorar quando for homenageado. A criança Lycopodium
Quando alguém vai a sua casa o seu filho refugia-se por trás dos cortinados ou recusa-se a cumprimentar as visitas? Num primeiro contato é envergonhado? Sempre que o repreende fica com as lágrimas ao canto dos olhos? Tem medo de fantasmas e de dormi…