Pular para o conteúdo principal

ERVA CIDREIRA (Melissa officinalis) as mais usadas no mundo.

Erva Cidreira (Melissa officinalis):
Esta erva tem um leve aroma frutado, de limão, e torna-se mais intenso quando está seca.Composta principalmente de fibras, seu valor nutricional provém do óleo essencial. Ela é considerada digestiva, calmante, sudorífera, analgésica, antiespasmódica. São comumente indicadas para aliviar cólicas intestinais, - combate à insônia, - acelera a vinda da menstruação, é indicada para febres, dores de cabeça, bronquite crônica e resfriados e a sua infusão na água do banho, além de perfumar, funciona como calmante.
Já conhecida dos antigos romanos, a erva-cidreira manteve sua fama de remédio eficaz através dos tempos. Hoje, no Brasil, ela é conhecida como um dos mais sérios e eficazes remédios caseiros. Suas folhas - verdes ou secas, inteiras ou maceradas, cruas ou cozidas - são usadas para os mais variados problemas, desde uma simples dor de dente até uma séria crise de melancolia. A erva-cidreira é tida como um remédio eficiente no tratamento de doenças nervosas, como a histeria, a melancolia e a hipocondria. Quem adquire o hábito de tomar chá dessa planta certamente se livra de um outro hábito: o de tomar muitos e diferentes remédios para as doenças que tem ou que imagina ter. E nem se pode estranhar que isso aconteça, pois, sozinha, a erva-cidreira vale por uma prateleira de farmácia. Além de ser um calmante eficiente, ela é um antiespasmódico vigoroso. Por isso, é indicada para as dores de cabeça (inclusive as enxaquecas), para os problemas gástricos e para as cólicas menstruais. Mas não é só como chá que a planta é usada de maneira satisfatória. Suas folhas verdes, maceradas e aplicadas como cataplasma frio sobre os olhos, descongestionam as pálpebras e melhoram as conjuntivites. Cozidas, essas folhas podem ser usadas em bochechos para acalmar as dores de dente e desinflamar as gengivas. As folhas amassadas em água e sal ajudam a diminuir o inchaço causado pela caxumba. Fora isso, a erva-cidreira é o principal elemento da água de melissa, uma conhecida receita dos padres carmelitas franceses. Essa água, que é um poderoso descongestionante, pode ser comprada nas farmácias e nas lojas que vendem produtos naturais. Mas também pode ser feita em casa. Junte 75 g de folhas e flores secas de erva-cidreira, 20 g de camomila e 15 g de hortelã. Cozinhe essas ervas em 300 ml de água, deixe-as em infusão por 10 minutos e filtre-as. Recomenda-se tomar esse líquido três vezes ao dia para manter sempre o bom humor e a tranqüilidade. Na aromoterapia é indicada para pessoas com problemas de depressão.
O incenso de erva cidreira confere felicidade e sucesso, ajuda a encontrar o verdadeiro amor, e combate à timidez e a falta de autoconfiança. Além de ter um sabor e aroma ótimo para condimentar alimentos, dela se faz também a “água de melissa” e xarope, além de ser usada na cosmética, como essência de perfumes, sabonetes xampus...
HOMEOPATAS DOS PÉS DESCALÇOS

Postagens mais visitadas deste blog

IGNATIA AMARA - A CHAVE DO EQUILÍBRIO

IGNATIA AMARA  E A SUA PERSONALIDADE HOMEOPÁTICA
O excesso de luz cega a vista.
O excesso de som ensurdece o ouvido.
Condimentos em demais estragam o gosto.
O ímpeto das paixões perturba o coração.
A cobiça do impossível destrói a ética.
Por isso, o sábio em sua alma
Determina a medida de cada coisa.
Todas as coisas visíveis lhe são apenas
Setas que apontam para o Invisível.

(Tao-Te King, Lao-Tsé) Lao Tsé não tinha conhecimento de homeopatia, mais permeou o mundo das observações de forma intensa e clara, ajudou a dar uma nova visão ao ser humano e até hoje seja no oriente quanto no ocidente, viaja nas mentes de muitos. Ao ler seu pequeno texto a uns bons anos atrás e já com alguma bagagem de filosofia homeopática, me deparei com este, acima citado. Para mim a tradução mais poética de uma personalidade Ignácia. Homeopatas dos Pés Descalços 

Citemos Allen - "As pessoas mentalmente e fisicamente esgotados por uma dor concentrada e prolongada" (Allen) ou ainda "A alteração das condições …

GELSEMIUM - O REMÉDIO DAS GRANDES SENSIBILIDADES

PERSONALIDADES HOMEOPÁTICAS MAT. CEDIDA POR ELISA MACIEL COSTA/ESP.EM HOM/ACUPUNTURA/FITOTERAPIA

Pessoas com grandes fraquezas, com intensa prostração física e mental, chegando ao embotamento cerebral. Medo de cair e de adoecer[*] Histeria e neuroses, comoções e maus efeitos do medo, o remédio das grandes sensibilidades. Sonolencia dos estudantes, as mulheres apresentam  rouquidão durante a menstruação. Sente-se incapaz de enfrentar a vida cotidiana, Incapacidade para assumir responsabilidades, nervosismo de "ator", medo de exames dos estudantes, de aceitar novas tarefas. Evita as aflições da vida. É muito utilizado nas febres agudas ou intermitentes em que há um desejo absoluto de repouso. Na sua grande maioria apresenta ausência de sede, sem calafrios ou suores, piorando à tarde. Seu uso facilita o parto em situações de rigidez do colo uterino e alivia as cólicas menstruais muito fortes.  Apresenta fisicamente uma enorme falta de tônus muscular, torpor, lassidão e tremores, Par…

LYCOPODIUM CLAVATUM

LYCOPODIUM – o medo do conflito
Lycopodium é sem sombra de dúvida, uma das matérias médicas mais extensas dentro da homeopatia e mais interressantes também. Esse indivíduo tem as fases da sua vida bem marcadas, pois apresenta um grande estado distinto entre a infância, a idade mediana e sua idade mais avançada.
Entretanto o Lycopodium se encontra envolto pela covardia, tanto social, moral e física, o que permite ao homeopata analisar de forma cuidadosa essa personalidade, tendo em vista sua enorme capacidade de ser extrovertido, amigável e corajoso, qualidades essas opostas da sua real condição.
Por medo do conflito, Lycopodium foge covardemente.
Seu maior amor será pelo poder e com certeza irá chorar quando for homenageado. A criança Lycopodium
Quando alguém vai a sua casa o seu filho refugia-se por trás dos cortinados ou recusa-se a cumprimentar as visitas? Num primeiro contato é envergonhado? Sempre que o repreende fica com as lágrimas ao canto dos olhos? Tem medo de fantasmas e de dormi…