NATRUM MURIÁTICUM

VAN GOGH - A DEPRESSÃO DO NATRUM MURIÁTICUM

Não vivo em plenitude

Amores, os tenho nos livros, mas,

Tenho sede de justiça,

Releio todos os fatos da minha vida e

Um por um ,

Magoa após mágoa me envolvo.


Meu mundo de sonhos é perfeito,

Um dia quem sabe os realizo.

Retidão e senso de justiça,

Isso me definirá?

Almejo muitas coisas

Tão poucas as vivo.

Inclinome para a solidão,

Contido me perco e

Morro como se nunca tivesse vivido.